sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Os desafios da Pascom em 2009

por Daniel Gomes – jornalista, moderador do blog da Pascom

A Pastoral da Comunicação da Região Episcopal Brasilândia superou desafios e deu passos importantes neste ano de 2008. Fomos às comunidades, criamos novos canais de comunicação com os cristãos e tentamos implementar uma rede informativa sobre os acontecimentos dos grupos sociais e das atividades da igreja na Região.

Mesmo com uma severa limitação de recursos e de equipe, não atuamos em mais de sete pessoas, conseguimos conduzir, até meados de maio, um programa na rádio na 9 de Julho, mandamos notícias semanais para o jornal O São Paulo, criamos e atualizamos o blog da Pascom, mantivemos algumas formações nas comunidades e garantimos nossa representação em encontros regionais de comunicação.

Particularmente, acredito que nosso principal desafio em 2009 será aumentar o número de pessoas na pastoral. Temos muitos projetos em mente, mas a carência de agentes limita nossas ações. Outra tarefa será fazer que as comunidades acreditem que podem ser notícia: por muitas vezes, passamos semanas sem receber informações sobre festas e atividades nas paróquias. Tinhamos os canais para divulgar os fatos, mas a notícia não surgia por falta de matéria prima: Quem? O que? Onde? Porque? Quando?

Em 2009 contamos com o apoio de todas as paróquias e comunidades para potencializarmos essa rede de informações sobre a Igreja Católica na Região Episcopal Brasilândia. Em nome de toda a equipe da Pascom, agradeço àqueles que nos enviaram notícias e fotos, ou colaboraram de alguma maneira com nosso trabalho pastoral. Feliz Natal e um 2009 com excelentes oportunidades para comunicar.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

O mágico orçamento de São Paulo em 2009

Após “ouvir” as entidades da sociedade civil em audiências públicas que definiram o projeto orçamentário da cidade para 2009, a Comissão de Finanças do Orçamento de São Paulo decidiu reduzir em 7,5%, o dinheiro disponível para a cidade no próximo ano. A proposta original contemplava R$ 29,4 bilhões. Agora serão R$ 27,2 bilhões.

O mágico orçamento de São Paulo deverá ser suficiente para os gastos de mais de R$ 20 bilhões de reais com funcionalismo público, aposentadorias, pensões e limpeza urbana. Esses valores são praticamente fixos, assim como os 31% do orçamento a serem destinados à educação e os 15% à saúde, estes últimos, exigências constitucionais. Do total aprovado, 15% poderá ser remanejado conforme as necessidades administrativas.

A cidade vive no espaço do real e não nos arranjos dos números. A realidade de 2009 será de gastos para cobrir problemas circunstanciais e ausência de investimentos em infra-estrutura na área de transportes, saneamento básico, habitação e obras viárias.

Em síntese: a passagem de ônibus pode até não aumentar, mas a lotação nos coletivos não muda; os congestionamentos das ruas continuarão nos noticiários e uma reforma dos espaços urbanos ainda será uma utopia. Não há mágicas, mesmo com a prefeitura acreditando em um aumento de 14% na arrecadação para o próximo ano.

A conta não fecha, e os problemas persistem.
Ocorreu um erro neste gadget

Acessos