quarta-feira, 27 de junho de 2012

Brasilândia inicia peregrinação da réplica da Cruz da JMJ

Por Juçara Terezinha, pela Pascom Brasilândia
(Foto: Catarina Spilla)
a
Com a expectativa da realização da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que acontece de 23 a 28 de julho de 2013 no Rio de Janeiro, o setor juventude da Região Brasilândia realizou no domingo, dia 24, uma celebração que marcou o início da peregrinação da réplica da cruz da JMJ.
a
A missa foi animada, festiva, com muita criatividade. Muitas bandeiras, cartazes, cânticos e gritos de ordem marcaram o evento que aconteceu na Paróquia São Luís Gonzaga, Setor Pereira Barreto, presidida pelo bispo regional, dom Milton Kenan Júnior.
a
No início, dom Milton acolheu a todos os jovens com carinho e entusiasmo e disse: “hoje a nossa tarde tem sabor de jornada mundial de juventude”. 
a
A réplica da Cruz da JMJ foi levada até o altar por um grupo de jovens, que motivados pelo jovem José Elias, da Comunidade Missão Mensagem da Paz, convocou a assembleia a fazer a acolhida da cruz.
a
Durante a homilia, dom Milton fez menção à festa da Natividade de São João Batista, que apresenta a missão de preparar os caminhos. O bispo lembrou que a jornada mundial já se iniciou na cidade de São Paulo e que a Igreja espera muito da juventude.
a
“São vocês, jovens, que vão continuar o trabalho de evangelização. Por isso, vocês, jovens, são os personagens principais. Mas a jornada deve ecoar por toda a Igreja e apontar uma sociedade justa e igualitária”.
a
A Cruz é um dos símbolos da jornada, e a original foi entregue aos jovens de todo mundo pelo papa João Paulo 2°, em 1984, na praça de São Pedro, no Vaticano, por  ocasião do Ano Santo da Redenção.
a
Em 1985 foi declarado Ano Internacional da Juventude pelas Nações Unidas. Em março, houve outro encontro internacional de jovens no Vaticano e no mesmo ano o Papa anunciou a instituição da Jornada Mundial da Juventude.
a
Todos os anos, a jornada acontece em âmbito diocesano, celebrada no Domingo de Ramos e, com intervalos que podem variar entre dois e três anos, são feitos os grandes encontros internacionais.
a
Ao final da missa, dom Milton também falou sobre a importância da articulação das paróquias para acolher jovens de todo o mundo, durante a semana missionária, que será realizada de 17 a 21 de julho, do próximo ano, antecedendo a JMJ.
a
“É um momento importante de rearticulação das juventudes na nossa região. Por isso, conclamo a todos e todas para dedicarem tempo, esforço no sentido de acolher bem os jovens que estarão em missão na nossa região”.
a
Dom Milton ainda procedeu à bênção da replica da Cruz e entregou para os jovens da Paróquia São Judas Tadeu, Setor Nova Esperança. O momento da saída da Cruz foi de muita emoção, com muitas palmas, gritos que ecoaram por todos os cantos da Brasilandia.
a
A coleta da celebração foi entregue pelo padre Ricardo Pedro Pieroni, pároco da São Luís Gonzaga, ao bispo regional para iniciar os fundos de recursos para auxiliar os jovens que irão para a JMJ no Rio de Janeiro.
a
O evento contou com a cobertura de diversas mídias alternativas e foi transmitido pela webtv WEM (www.mensagemdepaz.org.br), onde estão disponíveis os vídeos e as fotos da celebração. Outras informações sobre o itinerário da Cruz podem ser obtidas na cúria regional, pelo telefone (11) 3924-0020 ou pelo e-mail jmj2013@rebra.uol.com.br

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Brasilândia venera Santo Antônio

Por Daniel Gomes, pela Pascom Brasilândia
(Com colaboração de Catarina Spilla)
a
Paróquias e comunidades da Região Episcopal Brasilândia realizaram na quarta-feira, 13, missas em louvor a Santo Antônio. Na paróquia dedicada ao santo, na Vila Brasilândia, as sete celebrações feitas na data tiveram a participação de cerca de 400 pessoas, número que foi superior na última das missas, às 20h, presidida pelo padre Marcos Câmara, pároco, e concelebrada pelo padre José Domingos Bragheto, vigário paroquial.
a
A celebração marcou o encerramento da trezena do padroeiro, que teve momentos significativos como a dedicação da igreja e do altar, por dom Milton Kenan Júnior, bispo regional, no dia 2, e pela missa presidida pelo cardeal dom Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo, no dia 10. A primeira visita do Cardeal à comunidade motivou que 600 pessoas fossem à celebração.
a
Casais, mulheres com crianças de colo, idosos e jovens foram maioria na última missa da trezena, na qual o pároco abençoou os pães de Santo Antônio e os objetos de uso e de devoção dos fiéis e também enfatizou a importância do Batismo, da vida comunitária e da oração do Pai-Nosso, tema da festa deste ano.
a
Padre Marcos destacou que a dedicação de Santo Antônio é um exemplo a seguir seguido para a vida comunitária e pessoal. “Santo Antônio é o homem da palavra, anunciou incansavelmente Jesus Cristo. Nós como comunidade temos que fazer a mesma coisa. Jesus tem que sair da nossa boca, tem que sair do nosso coração, e ir em direção aos outros”, apontou na homilia.
a
“Santo Antônio é uma figura inspiradora, porque traz algumas coisas que são fundamentais para nós, Igreja, especialmente para uma paróquia dedicada a ele: o simbolismo da palavra e o simbolismo do pão. Esses dois simbolismos já são suficientes para animar qualquer Igreja a fazer aquilo que a Igreja deve fazer que é anunciar, celebrar e praticar a caridade”, afirmou ao Blog da Pascom.
a
O santo também foi venerado na trezena da Comunidade Santo Antônio de Taipas, vinculada à Paróquia São Luis Maria Grignon de Montfort. Uma das celebrações da festa, no domingo, 10, foi presidida pelo cardeal dom Cláudio Hummes, arcebispo emérito de São Paulo, que motivou a comunidade ao anúncio do Evangelho e à transmissão da fé.
a
Dom Cláudio apontou Santo Antônio como “grande pregador, que conhecia o Evangelho, lia, estudava muito, e que recebeu o título do doutor da Igreja”, e recordou ainda que o santo morreu muito jovem, aos 36 anos, e teve a santidade prontamente reconhecida pelo povo.
a
“Que vocês tenham nele um grande intercessor, mas também um modelo de vida, amor ao Evangelho, modelo de amor a Jesus Cristo e à capacidade de pregar o santo Evangelho a todas as pessoas”, disse o Cardeal ao final da missa.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Corpus Christi une Arquidiocese de São Paulo

Daniel Gomes, reportagem publicada no O São Paulo (com complementos)
a
“Vinde todos a mim”. O tema do 4° Congresso Eucarístico Nacional, em setembro de 1942, em São Paulo, inspirou, quase 70 anos depois, a participação de cerca de 10 mil pessoas na solenidade arquidiocesana de Corpus Christi, na quinta-feira, dia 7 de junho, no centro de São Paulo.
a
A chuva constante durante toda a manhã impediu que a missa fosse celebrada na praça da Sé, como previsto inicialmente, mas não prejudicou o ardor da veneração pública ao Santíssimo Sacramento pelas ruas do centro de São Paulo desde a Igreja de Santa Ifigênia.
a
Com faixas, cartazes e o multicolorido de guarda-chuvas, os fiéis seguiram em procissão por cerca de uma hora. Muitos dos quais vindo em caravanas paroquiais, onde as missas do Corpus Chrtisti foram celebradas na parte da tarde do mesmo dia.
a
A animação dos fiéis e do clero arquidiocesano manteve-se durante a missa realizada na Catedral da Sé e também acompanhada por milhares de pessoa em um telão na praça, e também pela rádio 9 de Julho e a Rede Vida de Televisão.
a
A celebração foi presidida pelo núncio apostólico no Brasil, dom Giovanni D´Aniello, e concelebrada pelo cardeal dom Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo, e pelos bispos auxiliares.
a
“Hoje é dia de Festa da Eucaristia, festa de Jesus Cristo no meio de nós. Ele que nos reúne, nos alimenta e nos conduz na esperança. Quero de modo particular saudar a todos vocês que enfrentaram chuva, frio, umidade e vieram para participar da procissão e agora também da Eucaristia”, expressou o Cardeal no início da celebração.
a
Dom Giovanni também manifestou alegria com testemunho de fé dos fiéis da Arquidiocese. “Eu fiquei simplesmente admirado com esta comunidade e a manifestação de sua fé a Deus”. Na homilia, o núncio apontou que a morte e ressurreição de Jesus trouxe vida nova ao mundo e que, por meio da Eucaristia, Deus estabeleceu com a humanidade uma nova aliança.
a
O núncio também destacou que com a procissão do Santíssimo Sacramento pelas ruas da cidade “quisemos mostrar que o Cristo ressuscitado anda conosco e nos guia em direção ao Reino dos céus”; e que a celebração de Corpus Christi convida os cristãos a refletirem sobre o compromisso de amor a Cristo e ao próximo.
a
Os fiéis também manifestaram a fé em Maria, venerando a imagem de Nossa Senhora Aparecida doada para a realização do congresso eucarístico de 1942 e que permanece na paróquia a ela dedicada na Região Episcopal Ipiranga. “Hoje pedimos para trazê-la aqui, para que ela pudesse estar entre nós e para nos recordar sempre que onde estão os discípulos de Jesus, a mãe de Jesus também lá está”, explicou o Cardeal.
a
Ao final da missa, dom Odilo agradeceu aos que participaram e articularam as atividades da celebração arquidiocesana de Corpus Christi e o núncio apostólico manifestou satisfação por ter celebrado com os fiéis de São Paulo.
a
“Que a lembrança, a memória do congresso eucarístico, seja para cada um de nós fazer cada vez mais, porque precisamos testemunhar o amor de Deus para conosco e entre nós também precisamos nos amar. Que a Igreja aqui em São Paulo seja sempre testemunho do amor de Deus pela humanidade”, expressou dom Giovanni.
a
Dona Conceição Arantes, do Apostolado da Oração da Paróquia São Luis Montfort, da Região Brasilândia, participou da procissão e da missa. “Valeu a pena enfrentar a chuva para adorar a Cristo. Que a gente tenha cada vez mais essa fé que tivemos para vim aqui e que Deus abençoe a gente para ter cada dia uma vida melhor”.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Semana de formação mobiliza Brasilândia

Por Juçara Terezinha, pela Pascom Brasilândia
Fotos: Ricardo Luciano
a
Com a participação de cerca de 600 pessoas, a Semana Regional de Formação sobre Liturgia aconteceu nas noites de 28 a 31 de maio, tendo por base as propostas litúrgicas do Concílio Ecumênico Vaticano 2°. A atividade foi distribuída em quatro paróquias: Santo Antônio, para os setores Cântaros e Nova Esperança; Santos Apóstolos, setores Freguesia do Ó e São José Operário; São Luís Gonzaga, para os setores Pereira Barreto e Jaraguá; e Santa Rosa de Lima,  no setor  Perus.
a
Em caravanas de paróquias e comunidades, ou individualmente, as pessoas, mesmo cansadas do dia de trabalho, chegaram mostrando disposição para as formações, conduzidas, de maneira didática e participativa, por quatro assessores, que se revezaram pelas paróquias ao longo da semana.
a
Padre Pedro Savelli tratou sobre a constituição Sacrosanctum Concilium, documento conciliar do Vaticano 2° sobre a liturgia, e que propõe fomentar a vida cristã entre os fiéis, adaptá-la melhor às necessidades do momento histórico, promover o que pode ajudar à união de todos os crentes em Cristo, e fortalecer o que pode contribuir para chamar a todos ao seio da Igreja.
a
Liturgia como ação preparada foi a temática apresentada pelo padre Roberto Moura (Beto) , que apontou para a necessidade de garantir uma boa preparação da liturgia, que deve estar em sintonia com a vida da comunidade e quando bem ajuda  que todos os fiéis celebrem melhor.
a
Dando sequência a esse tema, padre Joel Nery falou sobre liturgia como ação participada. Esta ação requer um envolvimento da comunidade. As iniciativas litúrgicas são ações coletivas, por isso, as celebrações pertencem a todo o corpo da Igreja.
a
O tema comunicação na liturgia foi assessorado pelo padre Cilto José Rosembach, que destacou que na liturgia a comunicação com Deus precisa ser o centro; e que é preciso executar bem o que está prescrito no rito. O padre também apontou que a comunicação litúrgica revela a manifestação do sagrado, da dimensão orante, comunitária, festiva, trinitária, cristã, pascal, eclesial, memorial e eucarística; e apresentou algumas técnicas para melhor a comunicação, principalmente à proclamação da Palavra  e o uso dos diversos meios.
a
Na avaliação do padre José Roberto, um dos articuladores da semana regional de formação a atividade superou as expectativas. “Percorri os quatro locais de formação e vi que atingiu o objetivo de despertar um pouco mais a questão litúrgica na nossa Igreja, o acolhimento. Os quatro palestrantes estavam bastante interados do assunto e a quantidade de pessoas foi além do que imaginávamos”, opinou. A próxima semana de formação será realizada de 16 a 19 de julho, em locais a serem divulgados. 
Ocorreu um erro neste gadget

Acessos