quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Pascombras capacita lideranças para a comunicação na liturgia

Daniel Gomes, pela Pascom Brasilândia
a
A Paróquia Santos Apóstolos, no Jardim Maracanã, acolheu no sábado, dia 25, a segunda edição do curso regional de técnicas de comunicação litúrgica, articulado pela Pastoral da Comunicação (Pascom) e que contou com a participação de 40 agentes pastorais dos setores São José Operário, Freguesia do Ó, Cântaros e Nova Esperança.
a
A atividade foi conduzida pelo padre Cilto José Rosembach, assessor regional da Pascom, que inicialmente enfatizou que na liturgia a comunicação de Deus é mais importante que os meios utilizados e o desempenho dos atores rituais, aqueles que conduzem as celebrações.
a
Padre Cilto pontuou que a comunicação litúrgica, quando bem feita, favorece a manifestação do sagrado e indicou que é preciso que seja preparada previamente, a fim de que os agentes de liturgia procedam de forma correta, saibam sobre o que vão dizer e acreditem no que será proclamado. “É preciso passar credibilidade, eu acredito naquilo que proclamo”, disse o padre, destacando que a proclamação da Palavra não deve ser feita de qualquer jeito.
a
O assessor também elencou algumas características da comunicação litúrgica como ser festiva (alegria no contexto da ressurreição de Jesus), trinitária, eucarística, pascal, eclesial e memorial; apresentou cinco desafios comunicativos: falar bem, ouvir bem, entender, processar o conteúdo e responder; e salientou que a comunicação está associada ao relacionamento das pessoas.  
a
“A comunicação é a forma como as pessoas se relacionam entre si, dividindo e trocando experiências, ideias, sentimentos, informações, modificando mutuamente a sociedade onde estão inseridas. Sem a comunicação, cada um de nós seria um mundo isolado”, pontuou.
a
Com base nas conceituações apresentadas, os participantes, em grupos, debateram os entraves da comunicação litúrgica nas paróquias onde atuam. Alguns relatos convergiram para problemas como a precária acolhida das pessoas, reuniões sem pauta de assuntos, formações com horários e formatos pouco atrativos para a juventude, equipamentos de som ineficientes, padres e lideranças das comunidades pouco receptivas a críticas, excesso de avisos ao final das celebrações e falta de escala de leitores. 
a
O curso contemplou também apresentações sobre técnicas para o uso adequado de datashow e microfone, para que não causem ruído na comunicação litúrgica, ou seja, não tirem o foco da comunicação de Deus; e sobre a elaboração e estruturação dos avisos da comunidade (o ideal é que sejam passados, no máximo, quatro avisos ao final das missas, com redação objetiva). Houve ainda exercícios práticos para aprimorar a interpretação e respiração durante a proclamação de textos bíblicos.
 

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Lideranças da Brasilândia participam de reunião do CRP

Por Anderson Braz, pela Pascom Brasilândia
(Edição: Daniel Gomes)
a
Na manhã do sábado, 18 de agosto, aconteceu a reunião do Conselho Regional de Pastoral (CRP), na Paróquia São Luís Gonzaga, no bairro de Pirituba. A atividade foi iniciada com acolhida feita pelo padre Valdiran Ferreira dos Santos, coordenador regional de pastoral, que convidou a todos a rezarem a oração “missão é partir”, escrita por dom Hélder Câmara.
a
A primeira pauta do dia foi a avaliação do debate com os candidatos à Prefeitura de São Paulo, realizado em 11 de agosto na quadra da Associação Amigos de Parada de Taipas. Aguinaldo Lima, do núcleo regional da Cáritas, que moderou o debate, avaliou o encontro como uma ação positiva e que teve grande repercussão dentro e fora da Igreja, com repercussões na grande mídia como TV Globo, jornal Folha de S. Paulo.  Aguinaldo pontuou que as regras impostas foram respeitadas pelos candidatos, o que evitou pedidos de tempo réplicas ou tréplicas.
a
Foi mencionada com muito positiva a transmissão ao vivo feita pelas rádios comunitárias Cantareira e Ágape. “Isso foi um ganho em acompanhamento de proposta dos candidatos para quem não pode estar presente”, avaliou Aguinaldo.
a
Por conta da repercussão do evento, dom Milton Kenan Júnior, bispo regional, cogita promover um encontro no mês de setembro com os candidatos a vereadores que circundam as lideranças da região. A meta é ouvir as propostas que possuem. Devem ser convidados 15 candidatos para esse encontro, que começara a ser estruturado na quinta-feira, 23 de agosto, em uma reunião da Pastoral Fé e Política.  
a
A sequência da reunião tratou dos preparativos para a participação da Região Brasilândia na Jornada Mundial da Juventude. Leandro Silva, da Pastoral da Juventude regional, explicou a ausência de informação e lamentou que ‘ruídos’ estejam acontecendo em âmbito arquidiocesano quando há necessidade de maiores esclarecimentos sobre a JMJ e da Semana Missionária que a antecederá.
a
Fernando Baptista, da Comunidade Missão Mensagem de Paz, pediu ação urgente dos setores que não organizaram suas equipes paroquiais para a JMJ, destacando que se estiverem organizadas ficará mais fácil a articulação.  “Alguns setores não nos deram um retorno, embora saibamos que muitos já caminharam como Cântaros e Jaraguá, mas necessitamos que em nossa região a comunicação aconteça via essa comissão”, expressou.
a
Outro assunto tratado na reunião foi a organização para a missa de jubileu de 25 anos de ordenação sacerdotal de dom Milton Kenan Júnior, que será realizada no domingo, 2 de setembro, às 15h, na Paróquia São Luís Gonzaga.  De acordo com padre Marcos Câmara, dom Milton pediu uma missa simples, com rituais e leituras do dia.
a
Também esteve em pauta a realização dos mutirões bíblicos, que serão realizados pelos setores em 30 de setembro. Pediu-se um aprofundamento do estudo bíblico e a utilização de uma linguagem mais popular no documento do 11º Plano Arquidiocesano de Pastoral da Arquidiocese, em elaboração. Destacou como positivo que desta vez a proposta está vindo de baixo para cima, sendo construída em conjunto, conforme comentou o diácono Franco Abelardo.
a
Ao final da reunião, padre Valdiran pediu à Pascombras o auxilio para que se trace um panorama sobre como andam as iniciativas pastorais propostas e iniciadas durante o 1° Congresso de Leigos, realizado em 2010, a fim de que este conhecimento chegue à assembleia regional e sirva de base para na elaboração do novo plano pastoral. A próxima reunião do CRP está agendada para 29 de setembro, às 9h, na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, localizada na Rua Luciano D`Amore, 47, na Vila Souza.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Debate na Brasilândia reúne candidatos à Prefeitura

Por Daniel Gomes, pela Pascom Brasilândia

Com atuação em bairros de quatro subprefeituras da cidade (Casa Verde, Freguesia do Ó, Perus e Pirituba), o clero e os agentes de pastoral da Região Episcopal Brasilândia conhecem de perto as demandas dos 1,3 milhão de habitantes dessas localidades. Para apresentar tais demandas e ouvir as propostas dos candidatos a prefeito, a região promoveu no sábado, dia 11, um debate sobre as eleições municipais.

Ana Luiza de Figueiredo (PSTU), Carlos Giannasi (PSOL), Celso Russomano (PRB), Miguel Manso Perez (PPL) e Soninha Francine (PPS) acolheram o convite que a região fez aos 12 postulantes ao executivo paulistano e compareceram ao debate, além de Nádia Campeão, candidata a vice-prefeita na chapa de Fernando Haddad (PT).

Aproximadamente 300 pessoas foram ao evento realizado na Parada de Taipas, na zona noroeste da cidade, e expressaram reivindicações, que foram reforçadas pela apresentação das demandas regionais compiladas pela Pastoral Fé e Política, relativas às urgências nas áreas de saúde, moradia, meio ambiente, educação, segurança pública e transporte.

Junto a um grupo de 30 jovens, do coletivo Levante Popular da Juventude, Juliane Furno, 23 anos, participou de intervenções culturais e em entrevista sintetizou os anseios da juventude da periferia, quanto à falta de moradia, educação e lazer.  “Aqui tem pouco espaço para a juventude se expressar. Tem pouca praça, tem pouco espaço cultural, a gente acaba ficando na rua e sem muita perspectiva de construção de um futuro diferente”, comentou.

Também para dom Milton Kenan Júnior, bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo para a Região Brasilândia, o próximo prefeito deve dar mais atenção aos jovens.

“Na periferia da grande cidade existe um descaso à realidade da juventude. As escolas são de péssima qualidade, o serviço de promoção dos jovens não existe, a capacitação dos jovens para o mundo profissional é ineficiente, então, se nós queremos uma nação onde todos tenham direito à vida, é urgente uma atenção dos candidatos à realidade da juventude”, afirmou o bispo.

Durante o debate, dom Milton também pediu que o próximo prefeito discuta com as autoridades estaduais e federais um novo traçado para o Rodoanel, agilize a construção do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) – já há verba do governo federal para as obras, falta a liberação de um terreno na região, e tenha atenção à revisão da lei de zoneamento urbano.  

Na avaliação do bispo, com o debate, “a Região Episcopal Brasilândia presta um serviço à democracia”. Opinião similar expressou Nery da Silva Oliveira, da Pastoral Fé e Política. “Estamos a resgatar no povo a consciência da necessidade de participação, da necessidade de se mobilizar para defender seus interesses, buscar aquilo que é de nossa carência e que o poder público tem obrigação de nos oferecer, especificamente nos pontos de educação, saúde, segurança pública, transporte, moradia e meio ambiente”, afirmou em entrevista, complementando: “Esperamos que o próximo prefeito tenha um olhar mais dedicado à Brasilândia que está nos morros da periferia e, muitas vezes, é esquecida”.

Ao final do encontro, os candidatos assinaram uma carta-compromisso elaborada pela Pastoral Fé e Política da região, com 14 pontos de conduta que devem adotar se forem eleitos prefeitos. Outros coletivos regionais também puderam apresentar propostas por escrito aos pleiteantes ao executivo paulistano.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Região Brasilândia valoriza identidade negra

Apuração: Anderson Braz e Juçara Terezinha
Edição: Daniel Gomes
a
“Estamos tentando conscientizar as pessoas para que aceitem a Pastoral Afro como ela deve ser. Não é só uma pastoral para dança e música”. A frase de Conceição Aparecida Rosa, da coordenação regional da Pastoral Afro, sintetiza os desafios a serem superados para que a identidade negra católica esteja presente em todas as paróquias da Brasilândia.
a
Para refletir sobre tais desafios e as contribuições dos negros na sociedade e na Igreja, a pastoral realizou no domingo, 29 de julho, na Paróquia Nossa Senhora da Expectação, um encontro dos grupos paroquiais, tendo como tema “Quilombo-negritude, consciência e fé” e lema “Negros se organizando nas suas comunidades”.  
a
A atividade teve assessoria de Frei Davi Raimundo dos Santos, assessor da Rede Educafro; de André Milani, teólogo; e de irmã Márcia da Tanzânia. “Cada pessoa tem de saber de sua história para fazer uma nova história a partir desta base, caso contrário, irá contra seus princípios. Deveríamos conversar com os mais velhos para nos ajudar e não nos perder em nossa história”, enfatizou a irmã, destacando que os negros ao virem como escravos para o Brasil foram obrigados a manter muitas das suas tradições de se comunicar com Deus apenas na imaginação, no simbólico, e não concretamente, devido à imposição dos colonizadores.
a
Fazer com que cada negro atuante nas paróquias e comunidades da Brasilândia resgatem a própria identidade é uma das metas da Pastoral Afro na Brasilândia. “Um dos principais desafios que a gente percebe é a participação, principalmente das pessoas que já são paroquianas, mas não se assumem como negro. A gente tem dificuldade dessa parceria com as paróquias”, explicou Magda Santos, também integrante da coordenação regional pastoral, que, segundo ela, procura mostrar que os negros avançaram na sociedade, apesar dos preconceitos que ainda persistem, e também estimula que os negros assumam a própria identidade.
a
Conceição destacou que a meta é que cada paróquia tenha um grupo da Pastoral Afro. “Queremos que cada paróquia tenha seu quilombo, um grupo de pessoas para a pastoral, para a gente poder fazer um trabalho conscientizador, um trabalho social”.
a
Montar uma nova história que valorize o negro foi o desafio assumido por todos os participantes do encontro no encerramento das atividades, feito com cantos, orações e a peculiar alegria do louvor dos negros a Deus.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Brasilândia se prepara para debate a prefeito em 11 de agosto

Daniel Gomes, pela Pascom Brasilândia
a
Está tudo praticamente pronto para a realização do debate dos candidatos a prefeito de São Paulo, que será promovido em 11 de agosto, das 14h30 às 17h, pela Pastoral Fé e Política da Região Brasilândia, na quadra da Sociedade Amigos da Parada de Taipas, localizada na Avenida Deputado Cantídio Sampaio, 6.530, na Parada de Taipas.
a
Os cartazes com a divulgação do evento já estão colocados na maioria das comunidades e paróquias da região e os 12 postulantes ao executivo paulistano foram convidados:
a
Ana Luiza de Figueiredo (PSTU), Anaí Caproni (PCO), Carlos Giannasi (PSOL), Celso Russomano (PRB), Fernando Haddad (PT), Gabriel Chalita (PMDB), Levy Fidelix (PRTB), José Maria Eymael (PSDC), José Serra (PSDB), Miguel Manso Perez (PPL), Paulinho da Força (PDT) e Soninha Francine (PPS).
a
A proposta do debate, de acordo com o padre Daniel Francis McLaughlin, assessor regional da Pastoral Fé e Política, é saber quais os compromissos dos candidatos diante das demandas regionais nas áreas de saúde, educação, meio ambiente, segurança, moradia e transporte.  A comissão organizadora do debate, composta por dez pessoas, compilou, em visita aos bairros da região, tais demandas e irá apresentá-las no debate.
a
De acordo com o padre, o debate será iniciado com a apresentação de cada candidato. Na sequência, serão exibidas as demandas dos bairros, bem como sugestões de ação para o executivo municipal. Posteriormente, cada candidato apresentará suas propostas diante da realidade exposta e responderá perguntas dos que forem ao evento. Ao final, após as considerações conclusivas, os candidatos serão convidados a assinar uma carta compromisso.
a
Em mensagem encaminhada a Região Brasilândia na última semana, padre Daniel reforçou o convite para a participação no debate.  “Organize seu grupo, sua comunidade, seu bairro para este grande debate com os candidatos a prefeito de São Paulo. Nossa gente merece uma administração coerente, comprometida com os trabalhadores (as), de garantia de direitos básicos de qualidade de vida saudável. Garantir o direito ao acesso à saúde com qualidade e dignidade, uma educação libertadora, moradia digna, transporte de qualidade e uma segurança pública efetiva”.
Ocorreu um erro neste gadget

Acessos