quinta-feira, 25 de abril de 2013

Pascom Brasilândia realiza encontro de Comunicação

Reportagem: Daniel Gomes (texto) e Ricardo Luciano (fotos)
a 
Com o propósito de explicar a estrutura da comunicação da Igreja no Brasil e conhecer os desafios e experiências comunicativas das paróquias e comunidades da Brasilândia, a Pascom da região realizou no sábado, dia 20, na Creche Azul, em Taipas, um encontro com agentes da pastoral nas paróquias e com pessoas que queiram ajudar a implementá-la nas comunidades.
a
Na abertura da atividade, Anderson Braz, coordenador regional da Pascom, apontou que desde a eleição do papa Francisco, a Igreja tem ampliado interesse por uma comunicação mais próxima das pessoas, e salientou que todos os agentes da Pascom, como formadores de opinião, devem ter “a mente aberta sobre a comunicação que têm feito”.
a
Na sequência, padre Cilto José Rosembach, assessor regional da pastoral, explicou a estruturação da comunicação da Igreja no país e comentou que a Pascom está alicerçada nos eixos de formação, articulação, espiritualidade e produção, que constituem elementos para que o comunicador anuncie a boa nova de Jesus em consonância com os princípios cristãos.
a
O assessor enfatizou que comunidades, paróquias, grupos e organizações da Igreja não podem considerar que por terem um veículo de comunicação – jornal impresso, blog ou site - já estejam fazendo pastoral de comunicação, uma vez que esta pastoral tem uma missão mais ampla, de explicitar o sentido do Reino de Deus nas ações comunicativas, de se inserir nas mudanças culturais provocadas pelas tecnologias e de privilegiar o homem enquanto sujeito de comunicação.
a
Anderson Braz apresentou a estruturação da Pascom na Arquidiocese de São Paulo e lembrou que são feitas reuniões mensais com representantes de todas as regiões episcopais para refletir sobre a realidade da pastoral em âmbito arquidiocesano. Disse ainda que na Brasilândia a pastoral tem trabalhado para aprimorar o fluxo de informação entre as comunidades e paróquias com a Pascom regional e também junto ao bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo para a Brasilândia, dom Milton Kenan Júnior.
a
Durante o encontro, houve ainda a apresentação dos trabalhos realizados pela Pascom Brasilândia, tais como atualização de blog e de Facebook, informes por e-mail, reportagens impressas e radiofônicas, todos priorizando uma linguagem objetiva, criativa e não superficial.
a
Na parte final da atividade, os agentes pastorais das paróquias Nossa Senhora da Conceição, São Francisco de Assis, Santa Isabel e Santa Luzia, Santos Apóstolos, São Judas Tadeu e Imaculado Coração de Maria partilharam com a equipe regional as experiências pastorais comunicativas que têm realizado e refletiram sobre como integrar o que fazem como as diretrizes da pastoral na região.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Apostolado da Oração faz retiro na Brasilândia

Reportagem Pascom: Ana Lúcia Contarelli (apuração) e Daniel Gomes (redação)
a
A chuva do sábado, dia 13, não foi obstáculo para que dezenas de associados do Apostolado da Oração da Brasilândia (AO) participassem de um retiro na Casa de Encontros Santa Lúcia Filippini, na Freguesia do Ó, com a presença do assessor regional e arquidiocesano, padre Armênio Rodrigues Nogueira, e do pregador do dia, padre Florentino de Mello, assessor do AO na Região Episcopal Belém.
A
Padre Florentino lembrou que na Quaresma e durante todo o período pascal, a Igreja convoca os fiéis a quatro atividades fundamentais: rezar com mais frequência, apoiar sempre os irmãos necessitados, incentivar as famílias, e acompanhar mais de perto os adolescentes e jovens, neste ano, de modo especial, motivando que participem da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), no Rio de Janeiro, em julho.
A
O pregador convidou os participantes a pensarem no valor que possuem por serem cristãos e pontuou que desde a origem, o Apostolado mantém um especial carinho pelo papa.
A
“Agradeçamos agora pelos exemplos de fé e coragem do papa Bento 16, agora bispo emérito de Roma, e pelo atual santo padre, o papa Francisco, que com sua simplicidade já cativa e conquista milhares de novos cristãos, mostrando ao mundo que para renovar a vida necessitamos de três pequenas atitudes: caminhar sempre com a Igreja, edificar a todos com gestos e atitudes de confiança e transparência, e confessar, como testemunho da nossa fé batismal, pois é possível renovar o mundo, a mente e os corações para que haja a paz e o Evangelho seja conhecido por todos”, afirmou.
A
O pregador lembrou ainda que todos são chamados a anunciar efetivamente a ressurreição de Cristo e desejou que o tempo pascal seja bem vivido pelos associados do AO, de modo que tornem-se instrumentos de esperança e de certeza na vida eterna. Ele ainda pediu orações especiais aos integrantes do Movimento Eucarístico Jovem (MEJ) - ala jovem do AO-, que participarão da JMJ.
A
O retiro foi concluído com missa, presidida por padre Florentino e concelebrada pelo padre Armênio Rodrigues.
A

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Brasilândia lembra jovens assassinados

Renata Moraes (apuração); Daniel Gomes (texto) - pela Pascom Brasilândia
a
"Quantas vezes mais? quantos jovens mais? Nós, jovens, queremos vida em abundância, vida e dignidade, vida e esperança, estamos cansados, exaustos, de perder amigos, familiares, irmãos. Não serão os bandidos, não serão as milícias que cessarão nossa sede de Cristo, nossa sede de amor. É necessário repensarmos, questionarmos e nos posicionarmos a favor da vida, para que não tenhamos mais vítimas, como tantos adrianos e vinicius, que são abatidos por tão pouco”.
a
A mensagem lida por integrantes da Pastoral da Juventude da Região Brasilândia sintetiza o sentimento predominante na missa de 7º Dia dos jovens Vinicius do Nascimento Lima, 14 anos, e Adriano Ferreira Pessoa, 20 anos, assassinados na noite de 27 de março, no Parque Belém, nas proximidades da Paróquia Espírito Santo, na periferia da zona noroeste.
a
A missa foi celebrada na mesma paróquia na quarta-feira, dia 3, presidida por dom Milton Kenan Júnior, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região Brasilândia, e concelebrada por dom Angélico Sândalo Bernardino, bispo emérito de Blumenau (SC) e pelo pároco, padre Jaime Estevão Gomes.
a
Durante a celebração, foi recordado o contexto da morte dos jovens: Vinicius conversava com um grupo de amigos, quando dois homens em uma moto passaram atirando pela rua Nícia Patrícia Coutinho. Uma das balas o atingiu fatalmente e outra acertou Adriano, que passeava de bicicleta pelo local.  
a
Dom Milton expressou sua solidariedade às famílias dos jovens assassinados, apontou que todos devem lutar pela paz, pois o plano de Jesus é que a humanidade tenha vida em abundância, e lembrou que todos os moradores do bairro estão aflitos com as situações de violência.
a
O Bispo comentou ainda que ao saber da notícia do assassinato, o secretário estadual de Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, prometeu empenho nas investigações e propôs que a paróquia crie uma comissão para ajudar a secretaria a identificar as raízes das situações de violência que assolam o bairro desde novembro do ano passado. O secretário foi representado na celebração por seu assessor, o promotor Eduardo Dias.
a
Dom Angélico, ao final da missa, abraçou os pais e irmãos dos jovens assassinados e estimulou toda a assembleia a não se intimidar diante da violência. “Nada de ficar de cabeça baixa. A pior coisa é o povo ficar com medo, com receio. Eu mesmo já fui assaltado duas vezes nesta cidade, certa vez até coronhada na cabeça eu levei. Onde está a fábrica de tanta violência, criminalidade? Muitas vezes, isso começa pela educação. Os jovens hoje entram na escola às oito da manhã e saem ao meio dia. É pouco. É preciso investir em educação, em transporte, em melhorias para a periferia”, destacou o bispo emérito, estimulando a população a participar dos conselhos de representantes dos equipamentos públicos.
a
Em entrevista, padre Jaime comentou que tem recebido apoio do clero da Brasilândia e em especial de dom Milton e dom Angélico para prosseguir com as atividades pastorais no bairro e também lembrou que o bispo regional tem intermediado as conversas com a Secretaria de Segurança Pública para que se chegue a medidas práticas diante do desafio da violência.
a
“Todo este cenário de violência, atentados, nos leva a refletir sobre a necessidade de renovar a nossa fidelidade ao Deus da vida, rezando estes acontecimentos não como derrotas, e sim como elementos do cotidiano, que nos levam a saudar o Deus da Vida, e ver a necessidade de esse Deus acolhedor, carinhoso e de esperança ser apresentado aos outros jovens”, refletiu o pároco. 

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Brasilândia realiza teatro da Paixão de Cristo

VEJA FOTOS DO EVENTO (por Marcos Paulo)
a
Redação: Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a
Na noite da Sexta-feira Santa, 29, cerca de 2.500 pessoas foram ao estacionamento do Supermercado Atacadão, na Parada de Taipas, para assistir a encenação de uma das mais belas histórias de amor da humanidade: a paixão, morte e ressureição de Cristo.
a
A peça teatral, feita na periferia da cidade, idealizada pelo grupo teatral Arte de Viver, junto com a Cia de teatro Monfort, ofereceu ao público um espetáculo que reuniu artes de teatro, dança música, capoeira, envolvendo mais 80 pessoas entre atores e figurantes.
a
A abertura do evento foi conduzida por dom Milton Kenan Júnior, bispo auxiliar da Região Episcopal Brasilândia, que relembrou a importância da manifestação pública da fé através do teatro. “Por mais que meditemos o mistério da Paixão e que queiramos traduzir com as nossas palavras os últimos acontecimentos da vida de Jesus, nossas palavras sempre serão insuficientes, pois não somos capazes de expressar todo o significado deste acontecimento. Nada melhor do que a encenação, que nos ajuda e nos faz perceber a realidade dos fatos, o verdadeiro significado dos acontecimentos. Esta noite é uma extensão da nossa celebração, pois poderemos ver e acompanhar os últimos acontecimentos da vida de Jesus”, afirmou.
a
O enredo da peça trouxe o relato do nascimento e dos principais momentos da vida de Jesus, seus milagres, suas obras e o encontro com os apóstolos, passando pelo momento da traição de Judas e da entrega do Filho de Deus para a morte de cruz.
a
Em seguida, o público foi convidado a fazer a via sacra, relembrando os últimos momentos do sofrimento de Jesus. Aos poucos, a procissão tomou ruas do bairro, as pessoas se emocionavam e ajudavam o Cristo a carregar a cruz, como verdadeiros Cirineus, antes de retornar ao local da apresentação para o momento da crucificação e morte de Cristo. Um dos momentos mais emocionantes da peça foi quando Maria recolheu seu filho da cruz, e se fez memória das dores de tantas mães que perdem seus filhos vítimas da violência. O espetáculo foi encerrado com o grande momento da ressurreição de Cristo.
a
Em entrevista à Pascom Brasilândia, Roberto Bueno, diretor da peça e idealizador do grupo teatral Arte de Viver, contou que este sonho começou em 1996, na Paróquia Nossa Senhora das Dores. “Tínhamos o desejo de criar um grupo de teatro para evangelizar através da arte. Começamos nos fundos da paróquia, e com o passar do tempo o grupo foi crescendo, o público aumentando até que em 2007 começamos as apresentações no estacionamento do supermercado”. 
a
Segundo o ator e assessor de comunicação do grupo, Paulo Gratão, a produção da peça começou em janeiro e foram dois meses de ensaios semanais para compor o espetáculo.
a
Com o apoio da Prefeitura da Cidade de São Paulo e da Subprefeitura de Pirituba/Jaraguá, o evento está no calendário oficial da cidade de São Paulo, é o maior da região e um dos únicos contatos que muitos moradores locais têm com a arte teatral.
a
Violência na Brasilândia
a
Ainda na abertura da encenação da paixão de Cristo, dom Milton falou sobre violência que aconteceu nos últimos dias na Região Brasilândia. “Nos últimos dias chegam ao nosso conhecimento à morte de dois jovens, que foram assassinados no dia 27, vítimas de uma chacina no Parque Belém. São episódios que só repetem constantemente entre nós, e precisamos parar diante desses fatos, pois quem está morrendo é gente inocente. São os nossos jovens que estão morrendo. A Campanha da Fraternidade deste ano nos chama á conversão, Fraternidade e Juventude. É preciso que a gente se organize para dar um basta a todo tipo de violência, sobretudo aquela que atinge o jovem e os adolescentes de nossa periferia. Vamos rezar, pedindo a Deus que cesse toda a forma de violência e que reine a paz no meio de nós”.
Ocorreu um erro neste gadget

Acessos