sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Abertura da CFE reúne mais de 2.000 pessoas

por Karla Maria, pela Pascom Brasilândia

A Região Episcopal Brasilândia, em comunhão com as igrejas cristãs no Brasil, participa ativamente das discussões em torno do sistema econômico vigente e de como ele tem ditado valores distintos do Evangelho de Jesus Cristo, na vida da sociedade.

Esse compromisso foi reafirmado no domingo, 21 de fevereiro, na abertura regional da Campanha da Fraternidade Ecumênica – CFE-2010 – “Economia e Vida” - “Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro (Mt 6, 24)”. Mais de 2.000 pessoas dos sete setores paroquiais se reuniram para o evento no Santuário da Mãe Rainha Três Vezes Admirável de Schoenstatt, no setor Jaraguá.

A abertura contou com a presença de Grupos da região, que praticam a economia solidária, como o grupo Mãos Empreendedoras, grupos da Pastoral da Mulher, das Irmãs Missionárias de São Francisco de Assis, e o Grupo Dignidade, estiveram presentes com seus artesanatos e alimentos, todos produzidos de maneira auto-sustentável.

A equipe organizadora da CFE na Brasilândia, coordenada pelo padre Reinaldo Torres, reservou momentos de oração, celebração e contato com o próximo, num bonito abraço da paz. Houve também a reflexão sobre a dura realidade imposta pelo sistema capitalista que exclui os mais pobres. Jovens da Brasilândia, vítimas desse sistema, apresentaram os sinais de morte que permeiam o dia-a-dia da região como o empobrecimento das famílias, desemprego, individualismo, consumismo, alienação e comodismo, concentração de terra e destruição ambiental.

Durante a abertura da CFE, padre Antônio Manzatto, professor de Teologia na PUC, apontou que a Campanha é um tempo especial para a reflexão e trabalho em conjunto. “Nenhum de nós é tão bom, quanto nós todos juntos”, reforçou. O padre apontou três “passos” para que a CFE 2010 de fato aconteça. Primeiro, orientou que cada um, observe na própria vida o valor que coloca nos bens materiais e nas pessoas; em seguida, lembrou que as comunidades devem partilhar os bens; e por fim, destacou que a economia precisa estar a serviço das pessoas. “O capitalismo se preocupa com as coisas, com o lucro, não com as pessoas; este é um sistema de pecado e há quem o defenda. Como Igreja, precisamos despertar nossa consciência”, concluiu.

Para dom Milton Kenan Júnior, bispo-auxiliar da região Brasilândia, a abertura da CFE na região, foi “extraordinária, maravilhosa”, e “a presença do povo nos anima, nos encoraja, nos estimula, nos chama a assumir o compromisso efetivo na construção do Reino de Deus”. O bispo apontou quais os passos para se construir uma economia e uma vivência mais solidária. “Precisamos ajudar o mundo a ser mais irmão e devemos aprender com o Evangelho a cuidar das pessoas em primeiro lugar. Acima das coisas, estão as pessoas. Precisamos nos convencer de que quando se fere a dignidade de uma pessoa, fere-se a dignidade de todas as pessoas, de toda a sociedade”, afirmou.

Dom Milton destacou os objetivos concretos da CFE 2010. “Esta não é uma campanha inocente não, porque ela toca em um aspecto que é o eixo da nossa organização social, ela toca na questão do dinheiro e hoje, observamos que tudo gira em torno dele, é ele quem determina os valores, quem é feliz e quem não é feliz e esta é uma questão central. Nós cristãos temos a coragem profética de dizer que não vamos nos curvar diante do dinheiro, não somos inocentes, somos conscientes”, enfatizou.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Pascom Brasilândia: ainda mais presente em 2010

Por Daniel Gomes, pela Pascom Brasilândia

A equipe da Pascom Brasilândia reuniu-se pela primeira vez neste ano, no sábado, 13 de fevereiro. No encontro, realizado na paróquia Nossa Senhora Mãe e Rainha, setor Jaraguá, e prestigiado pelas lideranças daquela Igreja, estiveram em pauta, as reflexões sobre o Muticom 2010, a participação da equipe no 1° Congresso de Leigos da Arquidiocese, além da apresentação das novidades no Blog da Pascom e as temáticas a serem tratadas com o novo bispo Região, dom Milton Kenan Júnior.

A reunião foi iniciada com um balanço sobre o Muticom 2010. Padre Cilto José Rosembach, representante da equipe no evento, motivou a leitura da carta de Porto Alegre e destacou as abordagens que podem ser aplicadas no trabalho pastoral de comunicação na Brasilândia, como “dar voz” aos silenciados da história, homens e mulheres atuantes no dia a dia das comunidades, mas sem poder de voz.

Cilto lembrou que a Igreja deve se atentar ao murmúrio desses silenciados, pois a cidadania plena só acontece quando o ser humano pode se comunicar. O padre destacou ainda que a experiência do Muticom mostrou que a integração multicultural é um dos grandes desafios da comunicação. Por fim, Cilto sugeriu que o conteúdo da carta de Porto Alegre seja disponibilizado e trabalhado em pequenos programas de rádio.

Outro ponto abordado na reunião foi a participação da equipe da Pascom no 1° Congresso de Leigos da Arquidiocese de São Paulo. Por consenso entre os presentes, definiu-se que o coordenador da Pascom Brasilândia, Anderson Braz será o representante pela Brasilândia no grupo de comunicação do Congresso, e poderá ser auxiliado pela estudante de jornalismo Karla Maria Souza, das CEBs regional. A equipe lamentou que não tenha havido uma divulgação antecipada sobre o evento, mas se coloca a dispor da Arquidiocese para auxiliar nas comunicações das atividades.

Na reunião também foram apresentadas informações e novidades sobre o Blog da Pascom Brasilândia. O moderador, o jornalista Daniel Gomes, lembrou que em 19 de fevereiro o Blog completará a marca de 100 atualizações na página principal e que em janeiro houve aprimoramentos, com a troca do logotipo de apresentação do blog e a criação da sessão “Eixo-Temático”, destinada à publicação de artigos sobre temas gerais que priorizem uma abordagem de reflexão social e comunitária.

Ainda sobre o Blog, foi feita a avaliação da transmissão da missa de acolhida de dom Milton, em 06 de fevereiro, na paróquia São Luis Gonzaga e preparada a estrutura para a cobertura em tempo real (ao vivo) da celebração de Abertura da CF na Região Brasilândia, no domingo, 21 de fevereiro a partir das 13h45. O moderador anunciou também que a partir de março o Blog terá uma sessão exclusiva para fotos de eventos das paróquias, comunidades e pastorais.

A equipe da Pascom Brasilândia também aproveitou a reunião para definir uma pauta de temas a serem tratados com o novo bispo regional, dom Milton Kenan Júnior, em data já agendada. A proposta é que a equipe se apresente ao bispo, relate o trabalho que realiza, discuta o andamento de ações atuais como o envio de notícias para o jornal O São Paulo e atualização do Blog da Pascom, e sugira propostas de comunicação regional, especialmente em suportes web – sites, blogs, orkut , e-mail, entre outros.

Ao final da reunião, foram repassadas as datas de cursos que a Pascom Brasilândia promoverá nos próximos quatro meses e informado que ao término da celebração da Abertura da CF na Região haverá a distribuição de panfletos de divulgação sobre o Blog da Pascom e suas múltiplas possibilidades de uso para as comunidades da Brasilândia. A próxima reunião da equipe ficou agendada para sábado, 13 de março, às 9h, na paróquia Nossa Senhora Mãe e Rainha, Setor Jaraguá.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Região Brasilândia acolhe dom Milton

Por Karla Maria e Daniel Gomes, pela Pascom Brasilândia

O dia 06 de fevereiro de 2010 estará para sempre marcado na história da Região Episcopal Brasilândia. Na paróquia São Luis Gonzaga, em Pirituba, diante de quase duas mil pessoas, dom Milton Kenan Júnior foi apresentado como novo bispo regional.

Ao lado de mais de 50 padres (regionais e da diocese de Jaboticabal), diáconos permanentes e seminaristas, o novo bispo presidiu a celebração de acolhida, co-celebrada por dom Odilo Pedro Scherer, cardeal arcebispo de São Paulo, dom Angélico Bernadino Sândalo, bispo emérito de Blumenau e dom Antonio Fernandes, bispo de Jaboticabal, diocese de origem de dom Milton.

No início da celebração, representantes de pastorais, movimentos, CEBs e novas comunidades, seguiram apresentaram-se ao novo bispo. "Dom Milton, a Região Episcopal Brasilândia é formada pelo conjunto das Igrejas da Periferia. É a Igreja dos pobres, que investe na formação e na participação de todo o povo de Deus, procurando viver em espírito de comunhão, lutando por uma pastoral de conjunto, reunindo nossas paróquias e CEBs numa rede de comunidades", afirmou, padre Jaime Izidoro, coordenador de pastoral regional, em nome das Pastorais dos representantes regionais.

Na seqüência, os padres, diáconos e religiosas apresentaram-se a dom Milton e renovaram um só compromisso. "Nós padres, diáconos, religiosas, religiosos, leigos e leigas da Região Brasilândia, ungidos para evangelizar, assumimos o compromisso de construirmos uma Igreja, com características próprias, fortalecemos nosso empenho para formamos comunidades acolhedoras, evangelizadoras, comunicativas e missionárias", declarou o padre Konrad Körner.

Em homília clara e objetiva, que durou 10 minutos, dom Milton destacou a necessidade de uma caminhada missionária na Região Brasilândia. "Ouço estas palavras. ’Avança para águas mais profundas no caminho da Santidade, nos caminhos da comunhão missionária’, e estas palavras se dirigem a nós, na construção de uma sociedade justa e igualitária. Deus quer servir-se de nós para realizar seu plano de salvação, o caminho e as metas cumpre a nos avançar, prosseguir e caminhar sempre mais. Não tenhas medo". Oxalá possamos dizer como os profetas: eis me aqui Senhor em tuas mãos", destacou.

Os leigos da Região Brasilândia participaram intensamente da celebração de acolhida: jovens crismandos entregaram a dom Milton uma casula vermelha, crianças o presentearam com rosas e beijos e lideranças pastorais participaram de momentos como ofertório e oração dos fiéis.

Dom Odilo pediu ao novo bispo regional que atue ao lado do povo da Brasilândia. "Dom Milton Deus ajude e conduza junto com os padres e diáconos aqui da região, cuida bem desse povo, conta com esse povo, conduze-o nos caminhos de Deus", exortou o arcebispo que também pediu aos católicos da Região que recebam carinhosamente o novo bispo. "Peço a vocês que acolham dom Milton como seu pastor próximo para que vocês possam ser felizes com ele e nele reconhecer a figura do Bom Pastor, o Cristo que está no meio de vocês. Que vocês o ajudem a fazer uma Igreja discípula e missionária na cidade de São Paulo", solicitou.

Dom Milton encerrou a celebraçãode acolhida com dois gestos nobres: destinou os R$ 1.162,00 arrecadados na coleta da missa às missões de ajuda humanitária no Haiti e se colocou a dispor do clero regional. "Padres, eu quero ser filho e irmão de vocês. Vamos caminhar juntos. Vou me esforçar para estarmos sempre próximos e no que precisarem contem com minha ajuda", declarou.

Brasilândia para dom Milton e vice-versa

"Ele vai encontrar esperança, um povo sofrido, claro, principalmente com estas chuvas de verão que está castigando o nosso povo" - Pe. Neil Charles Crombie, vigário epicopal da Região Brasilândia até a posse de dom Milton.

"Nós queremos acolher dom Milton com toda alegria e com todo amor, na certeza de que ele nos levará às mãos de Deus e nós também o teremos em nossas mãos. Nós queremos acolher dom Milton, com toda a alegria do coração para demonstrar que estamos unidos na fidelidade à Jesus, no seu discipulado, no seu seguimento. Ele com certeza será feliz em nosso meio e nós seremos muito mais felizes em tê-lo como nosso bispo e nosso pastor" - Pe. Reinaldo Torres, pároco Nossa Sra. do Retiro

"Pe. Milton, na diocese de Jaboticabal, era o pároco da Catedral, conviveu comigo por 7 anos, depois foi coordenador de pastoral. Como padre é de uma responsabilidade muito grande, tem uma espiritualidade profunda e temos uma grande alegria, oferecê-lo como bispo auxiliar a esta grande Arquidiocese" - Dom Antonio Fernandes, bispo de Jaboticabal.

Passo a passo de dom Milton até a chegada à Brasilândia

Milton Kenan Júnior, nascido em Taiúva, cidade da região norte do estado de São Paulo, foi nomeado bispo-auxiliar da Arquidiocese de São Paulo em 28 de outubro de 2009 pelo papa Bento XVI. Em 27 de novembro, dom Odilo Pedro Scherer, cardeal arcebispo de São Paulo, confirmou o religioso como novo vigário episcopal da Região Brasilândia. Em 27 de dezembro, o já monsenhor Milton Kenan Júnior foi ordenado bispo em solenidade na cidade de Jaboticabal. No dia 25 de janeiro, foi apresentado como bispo-auxiliar da Arquidiocese de São Paulo, em missa na Catedral da Sé, e no por fim, no sábado 06 de fevereiro de 2010, assumiu as funções de bispo-auxiliar na Região Episcopal Brasilândia.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

370 pessoas participam da formação da CFE 2010

por Karla Maria Souza, pela Pascom Brasilândia

“Unir as forças das Igrejas que fazem parte do CONIC (Conselho Nacional de Igrejas Cristãos do Brasil), para que em um só esforço, nós lutemos por um processo de transformação, que não começa lá fora, mas dentro do coração de cada um de nós, quando procuramos ser justos, quando entendemos que o projeto de Deus não é o lucro, mas a partilha, não e o egoísmo, mas a generosidade”, assim definiu como objetivo da Campanha da Fraternidade Ecumênica, CFE, o padre Reinaldo Torres, pároco em Nossa Sra. do Retiro e coordenador da CFE na Brasilândia.

Para alcançar esse objetivo, uma equipe executiva formada por “forças de todas as pastorais e movimentos de todos os setores” realizaram em 30 de janeiro, o Encontro de Formação CFE/2010. Assessorados por Rita de Cássia Angarten, da Arquidiocese de Campinas, cerca de 370 pessoas, chegaram cedo, 9h, à Paróquia dos Santos Apóstolos para aprender sobre Economia e Vida.

Rita é assistente social e socióloga, trabalha como assessora da Cáritas e é presidente de uma Cooperativa de Habitação em Valinhos, cidade onde reside. Utilizando o método ver, julgar e agir, Rita pontuou os objetivos da Campanha: colaborar na construção de uma economia a serviço da vida e da cultura de paz, sensibilizar a sociedade, buscar a superação do consumismo, mostrar a relação entre fé e vida, reconhecer que todos nós temos responsabilidades.

A assessora apresentou aos participantes a realidade do contexto em que a sociedade neoliberal está inserida, e com ela, conceitos de economia e mercado, antes só possíveis nos bancos da escola; e provocou as reflexões: “Quem é o Senhor de hoje? Jesus criticava duramente o sistema econômico vigente em sua época, e nós? Como queremos organizar a economia e a nossa vida? Precisamos decidir a quem queremos servir. Quais as nossas alternativas e esperanças?”.

Os participantes responderam. A fila do povo se formou e não faltou voz para dizer em alto e bom som, a quem a Região Episcopal Brasilândia está a serviço. Surgiram também propostas concretas de ação local, em busca de uma economia mais justa, como a implantação de uma horta solidária, a efetivação da coleta seletiva, já realizada em alguns pontos da região, a articulação e o diálogo com as demais igrejas cristãs e um Mutirão para a Alfabetização dos adultos da região.

Para Rita, a Igreja Católica vive um momento de fechamento em si mesmo e destaca as CEBs e as Pastorais Sociais como um espaço de resistência à institucionalização da nossa fé. “Nós queremos ir à Igreja celebrar e ir para a vida e lá agir segundo a Palavra de Deus. Espaço privilegiado de misturar ação e oração, fé e vida, e é isso que a Campanha nos pede, para agir”, destacou.
Ocorreu um erro neste gadget

Acessos