sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Igreja reflete Comunicação e Dignidade Humana.

Araras, interior paulista. Reunidos na Casa de Retiro Emaús, 70 pessoas ligadas a Pascom no estado de São Paulo refletiram o papel da Comunicação para construir dignidade humana. Durante três dias, entre 21 e 23 de novembro, os representantes das oito sub-regiões do estado escutaram especialistas e lideranças, partilharam idéias e refletiram sobre a própria atuação como comunicadores cristãos.

Dois momentos foram especiais no 14º Encontro Regional de Comunicação: a palestra ministrada pelo teólogo Fernando Altemeyer Júnior e a partilha das experiências de comunicação existentes nas Sub-regiões.

Na palestra, Fernando Altemeyer Júnior foi enfático: comunicação é dignidade humana. E para comunicar respeitando a dignidade que há no outro, o comunicador católico deve contemplar o próximo, perceber seus anseios e angústias, não torná-lo invisível, mas elemento ativo no processo de comunicação. Por isso, para o teólogo, a grande missão da Pascom é valorizar tudo que cria dignidade humana, dar voz a todos aqueles que valorizam a vida e estar atenta à realidade que cerca as comunidades, deixando de noticiar apenas os acontecimentos da Igreja.

Os apontamentos da palestra serviram de base para a partilha de experiências das sub-regiões. Representantes das Regiões Episcopais Brasilândia, Lapa, Belém e Sé apontaram os desafios e conquistas da Pascom na Arquidiocese de São Paulo. Como avaliação positiva, constatou-se que a Pascom faz dos meios de comunicação para construir dignidade humana. Porém, os presentes avaliaram que ainda há muito a ser melhorado, especialmente no que se refere às formações para os leigos: há cursos de comunicação, mas estes não contemplam todas as comunidades, pois são fornecidos apenas em alguns lugares e não levados até os locais onde atuam os leigos.

domingo, 23 de novembro de 2008

14º Encontro Regional de Comunicação

Representantes da Pascom das oito sub-regiões do Regional Sul 1 (São Paulo) participaram do 14º Encontro Regional de Comunicação, realizado na cidade paulista de Araras no último fim de semana. No total, 70 pessoas estiveram no evento.
O tema tratado nesta edição foi "Comunicação e Dignidade Humana". As discussões a cerca do tema foram conduzidas a partir dos apontamentos feitos pelo teólogo Fernando Altemeyer, que resumiu o propósito do encontro com um jogo de palavras: "Comunicação é Dignidade Humana".
A palestra do teólogo foi proferida no sábado pela manhã. No mesmo dia, na parte da tarde, os participantes reuniram-se em suas sub-regiões para apresentar o andamento dos trabalhos e apontar soluções para o problemas detectados em cada diocese. A sintese das reflexões obtidas foi exposta para os demais presentes na manhã do domingo (23).
A Região Brasilândia esteve representada no encontro por quatro integrantes da Pascom Regional: pe. Cilto José Rosembach, Juçara Zottis, Daniel Gomes e José Agripino. Membros da Pascom das regiões episcopais Lapa, Belém e Sé também compareceram ao Encontro.
Na próxima semana, mais detalhes sobre o evento.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Brasilândia visita assentamento em Promissão (SP)

Lideranças de movimentos sociais, comunidades eclesiais de base e educadores populares da Região Brasilândia visitaram, nos dias dois e três de novembro, o “Assentamento de Promissão”, na cidade de mesmo nome, na região noroeste do estado de São Paulo. No local habitam mais de duas mil famílias.

Os visitantes foram acolhidos na comunidade padre Josino Tavares, localizada na Agrovila Campinas. Lá conheceram a história do “Grupo de Campinas”, famílias que saíram da periferia da cidade de Campinas na década de 1980 e construíram os primeiros assentamentos em Promissão.

Durante a visita, a delegação da Brasilândia participou da festa de 21 anos do assentamento. Café da manhã e almoço comunitário, danças e comidas típicas, bingo solidário e uma visita às águas limpas do rio Tietê marcaram o roteiro de viagem.

Houve dois importantes momentos de celebração religiosa: no sábado, a missa de batizado das crianças do Assentamento; e no domingo, missa solene de comemoração dos 21 anos do local, seguida de procissão até a igreja da comunidade padre Josino Tavares. Na oportunidade também se realizou a crisma de 20 jovens nascidos no assentamento.

sábado, 8 de novembro de 2008

10º Plano Pastoral enfoca a ação missionária

Membros das Comissões de Pastorais e assessores das comissões de estudos e encaminhamentos da Região Episcopal Brasilândia conheceram no sábado, 1º de novembro, o 10º Plano de Pastoral da Arquidiocese. A apresentação foi feita na paróquia Santa Cruz da Itaberaba, pelo monsenhor Tarcísio Loro, secretario executivo do Secretariado Arquidiocesano de Pastoral.

O monsenhor destacou que o plano contempla diversas instâncias pastorais e tem por objetivo fortalecer a ação missionária da igreja, como uma retomada da prática de Jesus. O plano tem como alicerce o documento do Vaticano II “Evangeluium Nunciandi”, carta que fala da missão cristã. Segundo o religioso, essa dimensão missionária já tem sido praticada pelo Regional Sul 1 e por toda a CNBB.

Para monsenhor Tarcísio Loro, o plano não pretende engessar a criatividade missionária, mas levar as comunidades e os católicos a avaliar as ações missionárias que realizam. “Todos são convocados pelo batismo a ser missionários. Missionário é aquele que se desloca, vai ao encontro do outro; ou a Igreja é missionária ou não é de Jesus Cristo”, enfatizou o secretário executivo do Secretariado Arquidiocesano Pastoral.

Apresentação gera questionamentos
Na apresentação do 10º Plano de Pastoral da Arquidiocese, os participantes tiveram pouco espaço para fazer perguntas ao monsenhor Tarcísio Loro. Segundo o assessor da Comissão das Pastorais Sociais, pe.Cilto José Rosembach, a exposição do plano “deixa no ar” alguns questionamentos:

*Como sair em missão se não se conhece o outro a quem se dever ir?
*Como fica a liturgia inculturada?
*Questões como saúde, educação, organização popular, pastorais sociais, drogas, violência, cadeia, não são enfatizadas pelo plano?
*Quais as questões que perpassam todas as pastorais?
*Quais são as múltiplas faces da Igreja de São Paulo?
*É o momento de se pensar uma nova eclesiogênese?
*Parece que o plano é contraditório, de um lado motiva para a missão, mas na hora da ação sugere serviços que fortalecem a pastoral da manutenção?
Ocorreu um erro neste gadget

Acessos