quarta-feira, 24 de junho de 2015

Pastoral da Mulher: 25 anos de luta por vida e dignidade

Na sexta-feira, 19, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, a Pastoral recebeu a medalha Theodosina Ribeiro, em reconhecimento pelo trabalho realizado.

Créditos: Renata Moraes



Uma pastoral que luta pela vida e pela dignidade das mulheres na periferia da zona noroeste de São Paulo. Assim é a Pastoral da Mulher da Região Brasilândia, que em 2015 completa 25 anos de história e caminhada, sobretudo no trabalho com as mulheres vítimas de violência doméstica. Na sexta-feira, 19, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, a Pastoral recebeu a medalha Theodosina Ribeiro, em reconhecimento pelo trabalho realizado.
Instituída em 2013, a medalha Theodosina Ribeiro é destinada às mulheres ou entidades de mulheres que se destacam na sociedade, em razão de sua contribuição ao enfrentamento da discriminação racial e na defesa dos direitos das mulheres no Estado de São Paulo.
“Esse prêmio é um reconhecimento de todo esse trajeto, uma homenagem a todas a mulheres de luta, que passaram por nossa pastoral nestes 25 anos”, afirmou Taislaine Santos Nepomuceno, uma das coordenadoras da Pastoral da Mulher da Região Brasilândia. Para celebrar o jubileu da Pastoral, em 8 de março, Dia Internacional da Mulher, aconteceu um dia de reflexão e atividades voltadas para as mulheres, na Paróquia Santos Apóstolos, no Jardim Maracanã. Com o tema ‘Mulheres em Sociedade, unidas por igualdade’, em sintonia com a CF 2015 “Fraternidade: Igreja e Sociedade”, foram desenvolvidas oficinas de economia solidária, apresentações culturais, debates, assim como uma poesia, construída de modo coletivo, com um texto retratando a vida das mulheres em sociedade.
Formação para promotoras legais

Em parceria com o Instituto da Mulher Negra Gelédes e a Associação Ação Mulher, a Pastoral da Mulher oferece o Curso de Formação de Promotoras Legais Populares – Capacitação de Lideranças Femininas. O curso é um projeto que tem por objetivo capacitar as lideranças comunitárias femininas em direitos humanos e das mulheres, no sentido de multiplicar as informações nesses temas, instrumentalizar e fortalecer a busca da cidadania e o acesso à justiça. O curso gratuito com duração de um ano, inicia-se no dia 25 de julho, e é voltado para as mulheres. Acontecerá todos os sábados, das 9h às 13h, no Hospital Maternidade Vila Nova Cachoeirinha (avenida Deputado Emílio Carlos, 3.000, na Vila Nova Cachoeirinha). Inscrições e informações pelos e-mails m.sylviaadv@hotmail.comamssantos@ig.com.br; ou pelos telefones (11) 98498- 2658, (11) 96863-0420, (11) 3918-6373, com Maria Sylvia.

Aos 80 anos, Padre Daniel é testemunho da Igreja junto aos pobres


Presbítero celebra 54 anos de sacerdócio na Paróquia São José
Créditos: Juçara Terezinha Zottis
Gratidão e carinho marcaram a missa em ação de graças pelos 54 anos de sacerdócio e 80 anos de vida do Padre Daniel Francis McLaughlin, no domingo, 14, na Paróquia São José, no Setor Pastoral Perus. Lideranças leigas das comunidades onde o Padre Daniel trabalhou nos últimos 20 anos celebraram com ele o dom da vida e seu ministério.
Padre Daniel é missionário do Instituto Maryknoll no Brasil desde 1981. Sua missão iniciou-se na extinta Região Episcopal de São Miguel, hoje diocese, no período em que era conduzida por Dom Angélico Sândalo Bernardino, bispo emérito de Blumenau (SC) na época bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo.
Desde 1995, o Sacerdote atua nas paróquias da Região Brasilândia, já tendo passado pelas paróquias Bom Pastor, no Jardim Carumbé; e Santa Rita de Cássia, no Morro Grande. Atualmente é vigário na Paróquia São José, em Perus. Em 54 anos de vida sacerdotal, ele dedicou-se aos pobres e à formação de lideranças. Ainda hoje, mesmo com 80 anos de vida, cabelos brancos e limites próprios da idade, Padre Daniel continua sua ação missionária, com palavras de incentivo e otimismo.

Santo Antônio nos ensina a viver a paz’

Na Vila Brasilândia, devotos de Santo Antônio festejam o padroeiro, no dia 13

Créditos: Renata Moraes

Inspirados pelo Ano da Paz, da CNBB, os fiéis da Paróquia Santo Antônio, da Vila Brasilândia, escolheram a temática “Santo Antônio, homem da paz e do bem, rogai por nós”, para celebrar a trezena em honra ao padroeiro, festejado no sábado, 13. As comemorações iniciaram-se em 29 de maio, no aniversário de 61 anos da Paróquia. No dia 30, houve missa com a coroação de Nossa Senhora e o hasteamento da bandeira de Santo Antônio, simbolizando o início dos festejos. Para fazer memória das virtudes e dos ensinamentos do Santo que morreu aos 36 anos, e viveu em função do anúncio do Reino de Deus, em cada noite da trezena as missas foram presididas por padres convidados com o nome de Antônio ou que são frades franciscanos.
“Doutor da Igreja”, “Fidelíssimo Filho de São Francisco”, “Amigo da Pobreza”, “Homem de Fé e de Amor para a Santa Eucaristia”, “Propagador da Fé” e “Restaurador da Paz”, foram alguns títulos de Santo Antônio refletidos junto aos fiéis durante a trezena. No dia 13, aconteceram cinco missas e antes da última, a procissão com a imagem do Padroeiro pelas ruas da Vila Brasilândia, conduzida pelo Padre José Renato Ferreira, pároco, que fez reflexões sobre a vida do Santo de Pádua, e também sobre as questões de violência, saúde e a falta de moradia que assolam os moradores da região.

Padre José Renato, que assumiu a Paróquia no início deste ano, animou a comunidade e exortou a todos à verdadeira promoção da paz. “Santo Antônio nos ensina a viver a paz, a paz em plenitude, a paz consigo mesmo e a paz entre os irmãos e na comunidade. Temos que aprender de Antônio, que aprendeu de Jesus”, expressou o Sacerdote. Na homilia, o Pároco relembrou os sermões e temas refletidos na novena e parabenizou a vivacidade e participação de toda a comunidade, durante os dias festivos. Ao final da celebração, Padre José Renato agradeceu o empenho dos fiéis.
Estes retribuíram com uma homenagem ao pároco, ao Padre Márcio Chen, vigário paroquial, e ao diácono Rogério Lopes Camargo. Os pães de Santo Antônio foram distribuídos para a assembleia e os participantes puderam, ainda, partilhar os 30 bolos feitos pelos confeiteiros da paróquia.

Padre Vidal: jubileu sacerdotal de quem vive em missão


Lideranças da Paróquia Santa Terezinha parabenizam Padre Vidal pelos 50 anos de sacerdócio

Créditos: Juçara Terezinha Zottis


A orientação pastoral da Conferência dos Bispos e de nosso Papa me motivam a trabalhar em áreas de missão. Manter uma Igreja de portas abertas para fora acolhendo e servindo os mais pobres e sofridos é minha missão aqui no Brasil”, afirmou o Padre Vidal Enrique Becerril, no sábado, 20, durante a missa em que celebrou 50 anos de vida sacerdotal, na Paróquia Santa Terezinha, no Setor Cântaros da Região Brasilândia. 
Fiéis das cinco comunidades que compõem a Paróquia participaram da celebração. Padre Vidal, nascido na Espanha, proveniente da Diocese de Madrid, foi ordenado sacerdote em 29 de junho de 1965 e faz parte de um grupo missionário de padres diocesanos do Instituto Espanhol de Missionários (IEME). Chegou ao Brasil em 1972 e após um breve curso de história da Língua Portuguesa, o Presbítero iniciou seu pastoreio na Paróquia Santa Catarina, na zona sul de São Paulo. Vivendo em fraternidade com outros dois colegas do mesmo grupo missionário, Padre Vidal trabalhou alguns anos em indústrias gráficas e acompanhou várias pastorais sociais. 
Auxiliou a Pastoral Vocacional para missões entre padres e seminários diocesanos da Espanha. Em 1982, se tornou pároco em Mauá, na região do grande ABC paulista. Em seguida, foi para o exterior para concluir estudos bíblicos sobre os Salmos. No retorno ao Brasil, o Sacerdote trabalhou na Paróquia São Pedro da Vila Industrial, na Região Belém. Naquele período, acompanhou a Pastoral da Moradia. Padre Vidal sempre cuidou da dimensão do acolhimento, apoio humano e espiritual nas áreas de favelas, cortiços e terrenos irregulares, com a mesma esperança e alegria do Evangelho que hoje nosso Papa não para de testemunhar”, expressou o Sacerdote.

Reportagem publicada no jornal O SÃO PAULO em 24/06/2015

Paróquia Nossa Senhora de Fátima reúne jovens para aprofundamento

O tema da formação foi “O olhar da Igreja sobre aspectos da vida”, ministrado pelo Padre Reinaldo Torres

Créditos: Andréia Luz

Nos dias 20 e 21 de junho, os jovens do movimento Escalada se reuniram na Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Fátima, em Pirituba, para o encontro de aprofundamento “Escalada Nível 2”.









O tema da formação foi “O olhar da Igreja sobre aspectos da vida”, ministrado pelo Padre Reinaldo Torres, que convidou os jovens a terem um novo olhar sobre o mundo como criação de Deus e refletir
em sobre o tempo, os efeitos do pecado e a busca das virtudes em suas vidas.

Reportagem publicada no Jornal O SÃO PAULO em 24 de Junho de 2015

terça-feira, 16 de junho de 2015

Padre Neno é homenageado com nome em centro de educação infantil

Dom Angélico Sândalo Bernardino inaugura CEI Padre Neno, na Parada de Taipas, com a presença do Prefeito Fernando Haddad


Créditos: Renata Moraes

Na manhã do sábado, 30 de Maio, na Comunidade Santo Antônio de Taipas, vinculada à Paróquia São Luís Maria Grignion de Montfort, aconteceu uma celebração que rememorou os dois anos de falecimento do Padre Carlos Augusto da Costa, o Padre Neno, que morreu em 19 de maio de 2013, aos 60 anos, vítima de enfarte, após uma missa nessa comunidade.
A celebração no sábado foi presidida por Dom Angélico Sândalo Bernardino, bispo emérito de Blumenau (SC), e concelebrada pelos padres João Mildner, capelão do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, e Sérgio Antônio Bernardi, administrador da Paróquia São Luis Maria Grignion de Montfort.
No comentário inicial, Padre Neno foi relembrado por sua atuação e militância nas causas sociais, por seu dinamismo pastoral e jeito jovem de evangelizar.
Dom Angélico, na homilia, destacou que “Padre Neno louvou a Deus em sua trajetória de vida. Demos graças a Deus pela vida do nosso irmão, que, a exemplo de Jesus, passou a vida fazendo o bem. Ele está vivo em nossos corações”, finalizou.
Os familiares, irmãos e sobrinhos do Padre Neno também proferiram palavras de agradecimento à Comunidade, onde o Sacerdote esteve frente de 2009 até a data do falecimento.
Dom Angélico convidou que todos repetissem uma conhecida frase do Padre Neno: “Só por amor vale a vida”, para que todos recordassem com alegria a passagem do Sacerdote junto aos fiéis da Brasilândia.
Após a celebração, todos seguiram para a Rua Agripiano Barros, 133, na Parada de Taipas, onde foi inaugurado o Centro de Educação Infantil Padre Neno, em homenagem ao Sacerdote. A solenidade de inauguração, conduzida por Dom Angélico, contou com a presença do prefeito Fernando Haddad.

Terço dos Homens: um hábito de fé que beneficia as famílias

Paróquia São Luiz Gonzaga reuniu fiéis no primeiro encontro Terço dos Homens


Créditos: Padre Cilto  José Rosembach e Juçara Terezinha



Com a participação de 400 homens, vindos dos setores pastorais da Região Brasilândia, aconteceu no domingo, 31 de maio, o 1º Encontro Regional do Terço dos Homens, na Paróquia São Luís Gonzaga, no Setor Pereira Barreto.
Foi um encontro marcado pelo testemunho da fé dos grupos do Terço dos Homens que atuam nas paróquias e comunidades da Região Brasilândia. Os participantes foram acolhidos pelo Padre Ricardo Pieroni, pároco da Paróquia São Luís Gonzaga, e na sequência rezaram o Terço com simplicidade e em profundo recolhimento. Depois, houve a celebração da Eucaristia, presidida por Dom Devair Araújo da Fonseca, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região Brasilândia, que na homilia falou da experiência de fé diante do mistério da Santíssima Trindade, ressaltando que muitas famílias são beneficiadas quando os homens se recolhem em oração. Ele destacou, ainda, essa antiga tradição da Igreja e mostrou ser possível apresentar às famílias do tempo presente, o valor da oração, de forma simples e profunda.
Ao final da celebração eucarística, firmou-se o compromisso de manter esse encontro sempre no último domingo do mês de maio, a fim de que outras comunidades se sintam também atraídas à espiritualidade com a recitação do Terço.

Reflexões sobre a regulação da mídia, a crise econômica e a reforma política foram os temas do encontro

Créditos: Juçara Terezinha

A Equipe da Fé e Política da Região Brasilândia realizou entre 14 e 16 de Maio, na Paróquia Santa Cruz de Itaberaba, a Semana de Fé e Compromisso Social, com reflexões sobre a regulação da mídia, a crise econômica e a reforma política. Na primeira noite de atividade, o jornalista Altamiro Borges, coordenador do Centro de Estudos Barão de Itararé, analisou do poder da mídia comercial no processo de manipulação e “endurecimento” da sociedade.
Ele destacou a necessidade de o Brasil ter um marco regulatório das comunicações. “O fim da propriedade cruzada dos meios de comunicação é um dos pontos que o projeto de lei de iniciativa popular está propondo. O Brasil está atrasado nessa questão. A lei que regula a comunicação no Brasil é de 1962”, comentou. Padre Cilto José Rosembach, assessor regional da Pastoral da Comunicação, trouxe para o debate a preocupação da Igreja Católica com relação aos meios de comunicação católicos e comunitários.
Ele destacou que o Diretório de Comunicação, documento 99 da CNBB, trouxe para a Igreja do Brasil uma linha de reflexão sobre a comunicação, e sobre o desafio de fortalecer os meios de comunicação alternativos e populares. A crise na economia e o desenvolvimento foi o tema da segunda noite do evento, com a assessoria do professor Ladislau Dowbor, professor titular de economia da PUC-SP, e de Waldemar Rossi, da Pastoral Operária Metropolitana.
O professor criticou os elevados lucros dos bancos e as altas taxas de impostos no País. Ele defendeu a redução progressiva da taxa Selic e das taxas de juros ao tomador final na rede de bancos públicos, bem como o resgate de um mínimo de equilíbrio tributário. Já Waldemar Rossi disse que os ajustes que o Governo brasileiro tem feito para combater a crise econômica têm prejudicado os trabalhadores e beneficiado as multinacionais, os bancos e o agronegócio
. Na tarde do sábado, 16, o Cônego Antônio Manzatto recordou a dimensão missionária de cada cristão e o compromisso com as pessoas que são injustiçadas. Também destacou o chamado do Papa Francisco para o Ano da Caridade, não uma caridade voltada para o assistencialismo, mas que mexa nas estruturas que geram as desigualdades.
Na sequência, Júlio Turra falou sobre o projeto da Constituinte Exclusiva e Soberana. Ele explicou que a reforma política precisa ser feita pela sociedade civil e não pelos parlamentares, que em sua maioria foram eleitos para defender interesses do agronegócio, dos bancos e das multinacionais. Opinião similar manifestou o professor Américo Sampaio, que tratou do projeto de lei Eleições Limpas. Para ele, com o atual Congresso qualquer projeto de iniciativa popular terá muitas dificuldades para ser colocado em debate. Ele lembrou que o projeto Eleições Limpas vai ser apresentado no Congresso no dia 20 deste mês.
Ocorreu um erro neste gadget

Acessos