sexta-feira, 21 de março de 2014

Pastoral da Mulher realiza 24º encontro celebrativo

Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a
O domingo, 16, foi o dia de as mulheres da Brasilândia se reunirem na Paróquia Santos Apóstolos, no Jardim Maracanã, para celebrar o Dia Internacional da Mulher. Em sua 24º edição, o encontro foi marcado por momentos de arte, mística, música, formação política e social.
a
Inicialmente, a vice-prefeita da cidade de São Paulo, Nádia Campeão, discursou às mulheres. Em entrevista à Pascom Brasilândia, a vice-prefeita falou sobre as principais reivindicações e lutas das mulheres.
a
“Já tivemos avanço em diversas áreas, mas ainda há muito que precisa ser feito, como, por exemplo, o aumento do número de creches para atender às crianças e às mulheres trabalhadoras; na área da saúde, promover um atendimento de qualidade, principalmente na prevenção ao câncer. E também o combate à violência contra a mulher. Essas são hoje as principais demandas das mulheres na cidade de São Paulo”, afirmou Nádia.
a
O filosofo Sérgio Barbosa, coordenador do Coletivo Feminista Laço Branco, explanou sobre a violência contra a mulher, e falou em especial aos homens presentes. “A violência contra as mulheres é uma questão social e histórica. A emancipação delas e a conquista dos seus direitos causaram em alguns homens o despertar da violência, por se acharem ‘donos’ delas. O trabalho do coletivo feminista Laço Branco é sensibilizar esses homens, informá-los de que a mulher tem os mesmos direitos que eles".
a
E os homens também estiveram no encontro: os membros da Comunidade Cristo Ressuscitado, da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, de Vila Souza, foram os responsáveis pelo almoço e também ajudaram na animação.
a
O final do encontro foi marcado pela celebração da Eucaristia, presidida pelo bispo auxiliar da Arquidiocese na Região Brasilândia, dom Milton Kenan Júnior. Em ação de graças, foram apresentados ao altar, cartazes com os nomes de mulheres que fizeram história: Nhá Chica, Escrava Anastácia, Luiza Maria, Zilda Arns, Irmã Dorothy Stang e a presença da Mãe Maria: Nossa Senhora Aparecida.
a
Foto: Juçara Terezinha

quinta-feira, 13 de março de 2014

Abertura da CF-2014 reúne mais de mil pessoas

Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a
Na tarde do domingo, 9, uma multidão caminhou pelas ruas do bairro Parque Panamericano, na zona noroeste, marcando a abertura da Campanha da Fraternidade 2014 na Região Brasilândia.
a
A concentração se iniciou na Rua Angelo da Silva, ao lado da Escola Estadual República da Argentina. Animados pela equipe de música e conduzidos pelo padre Reinaldo Torres, assessor da CF-2014, os leigos refletiram sobre o tema da Campanha da Fraternidade 2014, “Fraternidade e Tráfico Humano”.
a
A imagem de Nossa Senhora das Dores e a réplica da Cruz da Jornada Mundial da Juventude foram acolhidas no meio do povo, que a frente da procissão deu início à caminhada rumo a Praça José Kentenich, em frente da Paróquia Nossa Senhora Mãe e Rainha.
a
Guiados pela cruz, cantando animadamente, a juventude que estava presente em grande número, tomou a frente da caminhada, se revezando entre si, para carregar a réplica da cruz. “Parecia até que estávamos revivendo a JMJ 2013 e a Semana Missionária”, exclamou dom Milton Kenan Júnior, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região, ao saudar o expressivo número de jovens presentes.
a
Na chegada à praça, o Setor Jaraguá, representado pelos jovens da Paróquia São Luís Maria de Grignion de Montfort, como forma de acolhida, encenou uma peça teatral, que trazia em seu enredo a realidade do tráfico humano e o resgate dessas pessoas, por meio do amor de Deus e da Virgem Maria. Em seguida, o Bispo presidiu a missa campal, concelebrada pelo clero regional.
a
No primeiro domingo da Quaresma, em sua homilia, o Bispo destacou ao povo a necessidade de estarem atentos às tentações que os rondam, e de não se deixarem vencer pelo tentador. “A caminhada quaresmal nos convida a converter-se a Deus, mas também converter-se ao outro”. E também ressaltou a importância de não apenas refletir a temática da campanha, mas que é preciso colocar-se em movimento, denunciar os casos de tráfico humano, tão presentes na realidade da Brasilândia.
a
Ao final da Eucaristia, em ação de graças, a imagem de Nossa Senhora da Aurora foi entronizada no meio do povo. Todos juntos pediram a intercessão de Maria, colocando em suas mãos, os bons propósitos de viver uma boa Quaresma e a Campanha da Fraternidade. Dom Milton e o padre Reinaldo agradeceram à presença de todos e a colaboração daqueles que estiveram envolvidos na preparação do evento.

Padres Monfortinos assumem paróquia em Perus

Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a
Na noite da sexta-feira, 28 de fevereiro, no Setor Pastoral Perus, tomou posse como pároco da Paróquia Santa Rosa de Lima o padre Luciano Andreol, missionário Monfortino, e foi apresentado o vigário paroquial, padre Taddeo Pasini, da mesma congregação.
a
A missa foi realizada no Centro Comunitário Padre Guilherme Kuypers, presidida por dom Milton Kenan Júnior, bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo na Região Brasilândia, e concelebrada pelos padres do Setor Perus e demais que atuam na Região.
a
Os padres Luciano e Taddeo assumem a Paróquia e suas nove comunidades após a saída do antigo pároco e irmão de missão, padre Luiz Augusto Stefani, conhecido como padre Luizinho. Após quase dois anos de trabalho à frente da Paróquia, deixa o pastoreio da Santa Rosa de Lima para assumir a função de Superior Delegado da Delegação Monfortina Peru-Brasil.
a
Na homilia, dom Milton destacou a primeira leitura da Carta de São Tiago, exortando a todos sobre a importância de serem verdadeiros consigo mesmo, com os outros e com a Igreja. O Bispo agradeceu em especial ao padre Luizinho, pelos dois anos de trabalho missionário com o povo, e que administrou a reforma da Igreja. Assim como acolheu os novos padres monfortinos para essa nova missão.
a
Padre Luciano Andreol expressou sua gratidão e confiança em pastorear a comunidade. “É uma grande oportunidade e um desafio, meu medo é atrapalhar a comunidade, quero fazê-la crescer”. O vigário paroquial também agradeceu a oportunidade de poder auxiliar a comunidade.
a
Em entrevista, padre Luizinho expressou, emocionado, sua partida. “A nova missão chegou antes do que eu esperava, mas a minha Congregação me pediu algo novo. Foi uma aceitação nada fácil”. O Padre já tinha organizado com a comunidade um programa pastoral e a reforma da igreja, que exigiu muita movimentação do povo. Ele expressou alegria como sinal de dever cumprido. “Entrei na missão paroquial feliz e saio feliz, não porque estou deixando a Paróquia, mas porque sei que há pessoas animadas a continuar o projeto”. O Sacerdote vai animar os 45 monfortinos da Delegação espalhados pelo Brasil, Peru, Colômbia e Argentina. A duração do mandato é de três anos e o Padre residirá em Lima, no Peru.
Ocorreu um erro neste gadget

Acessos