sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Brasilândia já tem encaminhamentos pastorais para 2013

Por Daniel Gomes, pela Pascom Brasilândia
a
A Região Episcopal Brasilândia encerra 2012 com parte do calendário de atividades do próximo ano já definido, especialmente no que se refere às ações de preparação das paróquias e comunidades para acolher jovens estrangeiros na Semana Missionária, entre 16 e 21 de julho, e para enviar delegações à Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro, que acontece de 23 a 28 de julho.  
a
A réplica da Cruz da JMJ voltará a peregrinar pelas paróquias da região em 6 de janeiro, passando semanalmente por uma igreja. No primeiro mês do ano, a cruz estará no setor Jaraguá, na Área Pastoral Santo Antonio, Paróquia São Luiz Montfort, Paróquia Nossa Senhora da Paz e Paróquia Nossa Senhora da Conceição.
a
Na sequência, já em fevereiro, a cruz irá para a Paróquia Nossa Senhora Mãe e Rainha, indo depois para as paróquias Santo Agostinho, Nossa Senhora das Graças, Cristo Rei, São Mateus, Área Pastoral Santíssima Trindade, Santa Rosa de Lima, São José, todas no setor Perus. A cruz peregrina seguirá ainda para a Paróquia Santa Terezinha do Menino Jesus, no Setor Pereira Barreto, em fins de abril.
a
Em maio e junho, as últimas escaladas da cruz serão nas paróquias Nossa Senhora do Retiro, Nossa Senhora Aparecida da Vila Zatt, Nossa Senhora de Fátima e São Luis Gonzaga, onde haverá o término da peregrinação, em 9 de junho.
a
Para tomar nota do trabalho das comissões paroquiais da Semana Missionária, dom Milton Kenan Júnior, bispo regional, se reunirá com elas em 24 de fevereiro, na Comunidade Missão Mensagem de Paz (ao lado da estação de trem de Pirituba). Até o fim de fevereiro, os coordenadores dos setores deverão enviar propostas de elaboração da Semana Missionária para o Setor Juventude da Região, através do e-mail semanamissionariabrasilandia@uol.com.br.
a
Ainda em fevereiro, haverá a abertura regional da Campanha da Fraternidade, no dia 17, que em 2013 terá por tema a juventude. Antes da celebração da Páscoa, os setores pastorais organizarão mutirões de confissões, a maioria na primeira quinzena de março.
a
Por fim, 2013 será o ano em que as paróquias Nossa Senhora Aparecida, da Vila Zatt, Nossa Senhora Aparecida, da Vila Souza, Santos Apóstolos, Santa Terezinha, Nossa Senhora da Paz, Nossa Senhora Mãe e Rainha, Nossa Senhora do Carmo, Nossa Senhora do Retiro, Nossa Senhora da Conceição e São José de Perus acolherão novos párocos e vigários paroquiais. A data da posse ainda será anunciada por dom Milton. Se mantiver o expediente de anos anteriores, até o fim de fevereiro o bispo terá dado posse aos novos párocos.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Irmãs Franciscanas encerram trabalhos na Brasilândia

Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a
Celebração de ação de graças, na noite da quinta-feira, 6, na Comunidade Nossa Senhora das Dores, no Jardim Vista Alegre, marcou a despedida das Irmãs Franciscanas Missionárias de Cristo, que por 14 anos desenvolveram trabalhos pastorais na Região Brasilândia.
a
Presidida por dom Milton Kenan Júnior, bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo na região, e concelebrada pelos padres Antônio Florentino e José Gilmar, pároco e vigário paroquial, respectivamente, da Paróquia Imaculado Coração de Maria, a missa foi marcada por emoção e gratidão ao trabalho das freiras missionárias Carmen Bardelli, Milena Fabbri, Serafina Tognacci e Carla Rughi, superiora.
a
Em sua homilia, dom Milton destacou a presença das irmãs na Região Brasilândia, considerando-as como mães espirituais de todo o povo e também falou sobre a missão franciscana. “O carisma de nossas irmãs é o mesmo que impulsionou a São Francisco de Assis, que após um encontro com Jesus Cristo começou a segui-lo e anunciá-lo a todas as pessoas.”
a
A Congregação das Irmãs Franciscanas Missionárias de Cristo, proveniente da Itália, iniciou trabalhos no Brasil pela cidade de Apucarana (PR) e logo depois partiu à periferia de São Paulo, no Jardim Vista Alegre, em uma realidade de pobreza e carência.
a
Em entrevista, irmã Carla recordou a dedicação de todas as irmãs que estiveram na congregação ao longo dos 14 anos, desenvolvendo ações junto à Pastoral da Criança, idosos, doentes e no acompanhamento da Pastoral da Saúde. “Trabalhamos com as pessoas mais carentes e abandonadas, que é um povo simples e acolhedor”.
a
As irmãs Carmen, Milena e Serafina foram designadas para uma nova missão na Diocese de Iguatu, no Ceará, em uma paróquia que está sem padre, e a superiora retornará para a Itália. Por motivo de doença, algumas irmãs voltaram à Itália, o que levou a congregação a fechar uma das casas no Brasil, mas continuará presente em Apucarana e também em Iguatu.
a
“As sandalinhas destas irmãs vão aonde os sapatos dos padres não alcançam”, expressou, emocionado, padre Antonio, agradecendo-as pelos trabalhos pastorais na paróquia, especialmente junto aos mais pobres, doentes e crianças. “É ali que as irmãs são o sinal de Jesus Cristo na vida destas pessoas”, complementou.
a
Em entrevista, dom Milton ressaltou que as congregações são a manifestação da ação do Espírito Santo na vida da Igreja. “As irmãs Franciscanas Missionárias de Cristo são a presença viva do Evangelho, muitas estavam presentes nos locais mais difíceis e que ninguém queria ir”.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Setores da Brasilândia finalizam atividades de 2012

Por Juçara Terezinha, Renata Moraes e padre Cilto José Rosembach, pela Pascom Brasilândia
(Edição: Daniel Gomes)
a
Os conselhos dos setores pastorais da Região Brasilândia reuniram-se no sábado, dia 1°, para avaliar a caminhada pastoral no ano de 2012, projetar ações e realizar confraternizações.
a
No Setor São José Operário, a reunião foi na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, na Vila Sousa, coordenado pelo padre Antonio Leite. Daiane Zito, secretária da comissão executiva regional da JMJ, falou das articulações para a ida à jornada e a acolhida dos jovens estrangeiros na Semana Missionária. Ela destacou a urgência de que as paróquias entreguem à cúria a ficha das famílias acolhedoras.
a
Houve ainda avaliações sobre a realização da missa do Dia da Consciência Negra, em 20 de novembro, na Paróquia Santos Apóstolos, e da Caminhada pela Paz e Não Violência, no dia 25. “Tendo em vista que somos uma região com uma população afrodescendente bem significativa, a presença na missa foi baixa. Por isso, se faz necessário repensar nossa prática de combate ao racismo”, analisou o padre Antonio Leite. “Foi tão profético ver a região manifestar sua indignação contra a morte de pessoas inocentes das nossas comunidades”, falou sobre a caminhada.
a
Realizada na Comunidade Nossa Senhora da Alegria e São Paulo Apóstolo, na Vila Yara, a reunião do Setor Nova Esperança teve um momento de espiritualidade acerca do Advento, com base em um texto de Gregório Lutz, e os participantes avaliaram a realização da caminhada pela paz do dia 25. O padre Cilto José Rosembach, pároco da Santa Rita de Cássia, sugeriu que se for realizada novamente, que se faça também uma celebração ecumênica, para lembrar àqueles que foram mortos por atos violentos. 
a
No Setor Pereira Barreto, a reunião aconteceu na Paróquia Santa Terezinha do Menino Jesus, no Cantagalo. Foram apresentadas algumas atividades que já estão definidas para o calendário do próximo ano, como a reunião do clero do setor às quintas-feiras pela manhã, uma vez por mês; a abertura regional da Campanha da Fraternidade, em 17 de fevereiro; e a semana de confissões em preparação para a Páscoa, que será feita nas paróquias do setor entre 11 e 15 de março, sendo que a cada noite, cinco padres estarão em uma paróquia para atender os fiéis.
a
Padre Reinado Torres, coordenador do setor, destacou a importância da ampla participação das paróquias na Jornada Mundial da Juventude e na Semana Missionária, e pediu que se evite agendar reuniões durante essas atividades.
a
Em entrevista à Pascom Brasilândia, padre Reinaldo apontou que apesar da boa presença dos leigos em atividades como o Mutirão Bíblico, em outras ações houve pouca participação. O padre também lamentou a falta de comunicação entre as paróquias do setor. “Nós temos um conjunto de paróquias e não paróquias em conjunto”, avaliou, destacando ainda que é preciso investir na formação dos leigos, propor iniciativas e encontros, além de trabalhar mais a espiritualidade nos grupos e realizar encontros temáticos em cada pastoral.
Ocorreu um erro neste gadget

Acessos