sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Celebre o Natal e o Ano Novo na sua paróquia

Por Daniel Gomes, pela Pascom Brasilândia

Ao se aproximar o Natal e o final de ano, a Pascom Brasilândia publica os horários das missas nas paróquias nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e em 1° de janeiro.

Aproveitamos para agradecer o empenho de todos que nos enviaram notícias e notas informativas e que se dispuseram a nos ajudar nos momentos mais difíceis. Em 2012, a Pascombras terá novos desafios e o principal deles será articular os cursos de formação setorial e regional, já ratificados pelo bispo dom Milton Kenan Junior.

Informamos que essa postagem, a de número 200 do Blog da Pascom Brasilândia, é a última de 2011. A próxima postagem na home-page será na semana do dia 3 a 7 de janeiro, e as postagens das outras páginas – Cristãos em Notícias, Notícias das Paróquias, Comunidades e Pastorais; e Movimentos Sociais serão feitas somente na semana de 10 a 14 de janeiro.

Feliz Natal e ótimo 2012. Veja abaixo os horários de missa e locais das paróquias que enviaram essas informações para a Pascom Brasilândia

Paróquia Nossa Senhora das Dores
Avenida Elísio Teixeira Leite, 7.400, Taipas
Dias (hora): 24 e 31 (20h); 25 e 1° (7h, 9h30 e 19h);

Paróquia Santa Cruz de Itaberaba
Avenida Itaberaba, 2.093, Itaberaba
Dia 31, 23h, vigília de Ano Novo;

Paróquia São José Operário
Rua Hugo Italo Merigo, 1.152, Jardim Damasceno
Dia 24 (20h); 25 e 31 (19h30); 31 (20h – Comunidade Aparecidinha);

Paróquia São Judas Tadeu
Rua João Alves Pimenta, 152, Vila Miriam
Dias 24 e 31 (20h); 25 e 1° (10h e 18h).

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

São Paulo tenta resgatar o sentido cristão do Natal

Por Daniel Gomes, pela Pascom Brasilândia

Poucos são os que não se encantam com as decorações que tomam conta da cidade nesta época do ano. Raros também são aqueles que resistem ao estímulo ao consumo, ao marketing em torno do Papai Noel e às “emoções” que brinquedos, roupas e acessórios novos prometem garantir.

Tudo muito belo e até importante para movimentar a economia do país, afinal as contratações temporárias, na indústria e no comércio especialmente, garantem não só um feliz Natal, mas também um próspero dinheiro para pagar as muitas contas do primeiro trimestre do ano que chega.

Até ai, “obrigado, Papai Noel”. Aliás, o “bom velinho” teria surgido para a história no século 4°quando São Nicolau, bispo da Igreja Católica na Turquia, resolveu sair pelas ruas distribuindo presentes para as crianças carentes. Mas o Natal não nasceu da grande atitude de solidariedade de São Nicolau, nasceu com Menino Jesus, o salvador da humanidade.

Pois bem, onde está o Menino Jesus agora? Em recente artigo no jornal O Estado de São Paulo, o cardeal dom Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo, fez justamente essa pergunta e deu a seguinte resposta: “Natal tornou-se a festa de Papai Noel. E o Menino Jesus, onde ficou? Não era dele a festa? Será que o "bom velhinho" - Hô! Hô! Hô! -, na sua pachorra, vai conseguindo o que Herodes não conseguiu com sua ira: eliminar o menino da cena? Presépio? Em seu lugar, uma árvore enfeitada de desejos coloridos. Duendes e bruxas em lugar do menininho de braços estendidos. Bichinhos da Disney em lugar dos pastores de Belém e suas ovelhas. E uma infinidade de pacotes e de doces, em vez do ouro, incenso e mirra, oferecidos pelos reis magos ao Menino Jesus!”.

Diante desse cenário do protagonismo do Papai Noel e do ofuscamento do Menino Jesus, a Arquidiocese de São Paulo não se calou. Tanto assim que este ano articulou a abertura do Natal Iluminado da Prefeitura de São Paulo, com missa na Catedral da Sé; tem estimulado a montagem de presépios nas casas, hospitais, praças públicas (recomendo a visita nos presépios em frente ao Estádio do Pacaembu e no da Praça da Sé, estão belíssimos) e já no próximo domingo, dia 18, na missa das 11h na catedral, dom Odilo vai abençoar imagens do Menino Jesus que serão levadas pelos fiéis.

Também na Região Episcopal Brasilândia muitas paróquias e comunidades têm se mobilizado para resgatar o verdadeiro sentido do Natal. A São Judas Tadeu, da Vila Miriam, por exemplo, está realizando um concurso com fotos de presépios.

Em outras, como a Paróquia Nossa Senhora das Dores, em Taipas, a marca do Natal tem sido, há tempos, a solidariedade com a doação de cestas de Natal e de brinquedos a famílias carentes, com a mediação dos vicentinos. Nesta mesma paróquia, na Comunidade Bom Pastor, os jovens irão, pelo quarto ano consecutivo, doar brinquedos a crianças em localidades carentes.

Esses exemplos, que certamente se multiplicam em muitas outras paróquias da Região e de toda Arquidiocese, mostram que os cristãos não perderam a verdadeira dimensão do sentido do Natal. Tudo bem, o Papai Noel não é nosso inimigo, mas no nosso Natal o protagonista é o Menino Jesus, pois como diz a canção “no presépio pequenino, Deus é hoje nosso irmão, e nos dá seu corpo e sangue, nessa santa comunhão”. Por ele, com ele e pra ele, um feliz Natal!

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Igreja une-se à luta do povo contra trecho norte do Rodoanel

Por Daniel Gomes pela Pascom Brasilândia
(com informações de http://rodoanelnorte.wordpress.com/ e http://vilanovacachoeirinha.blogspot.com/)

As incertezas sobre as consequências do traçado do trecho norte do Rodoanel e o destino das famílias que serão desapropriadas marcaram o tom de preocupação da Audiência Pública sobre os impactos sociais, ambientais e de sistema viário do Rodoanel, promovida pela Câmara Municipal de São Paulo, no bairro de Taipas, na zona noroeste de São Paulo, na tarde da segunda-feira, 5 de dezembro.

Dom Milton Kenan Junior, bispo da Região Brasilândia, participou da audiência, em que estiveram cerca de 200 pessoas, e manifestou sua indignação com a falta de informações por parte do poder público. “Precisamos de informações. Há poucas semanas, não sabíamos sequer por onde passaria o traçado do trecho norte. É preciso tratar a população com respeito e dar as informações necessárias”, expressou.

Convidada para a audiência, a empresa Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa), responsável pela execução das obras, não enviou representantes. Também foram convidados, mas não compareceram: a subprefeitura da Freguesia do Ó/Brasilândia, a Secretaria Municipal de Habitação, a CET e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Denit).

A ausência da Dersa gerou especial descontentamento e motivou os presentes a articularem a formação de comissões nos bairros para dialogar com as autoridades responsáveis pela obra, especialmente porque já em janeiro de 2012 devem começar as notificações para desapropriações das famílias. “Se perdermos essa última oportunidade, só nos resta chorar. Organizem-se em comissões”, motivou dom Milton. As comissões serão articuladas pelo e-mail gigantedebano@ig.com.br

“Não adianta ficar esperando em casa. A população tem que se organizar. As autoridades só ouvem o clamor popular se o povo estiver falando. Povo quieto é povo desrespeitado”, afirmou o vereador Francisco das Chagas, que articulou a realização da audiência e garantiu que a atividade será documentada para ser entregue à Dersa.

Cristina Greco, da OAB Santana, informou que em 23 de novembro foi feita uma nova representação junto ao Ministério Público Estadual (MPE), a pedido da Região Episcopal Brasilândia, para que o MPE fiscalize de perto a manutenção dos direitos de todas as famílias afetadas pela obra.

Apesar das incertezas sobre por onde vai passar a via, o deputado estadual José Zico Prado, acredita que, infelizmente, o traçado já está definido e é o “mais barato, porque desapropriar pobre é mais fácil”. Já o padre Rogério Valadares, da Aliança da Misericórdia, chamou a atenção que “o aluguel social não é suficiente para que os desalojados tenham uma vida como a que tinha antes”, apontou.

Presente à audiência, o subprefeito de Pirituba/Jaraguá, Márcio Greco, garantiu que as notificações feitas até agora foram para as famílias com moradias em áreas de risco e não por conta das obras do Rodoanel. Já Ricardo Crispino, técnico da Secretaria Municipal do Verde, disse que há um levantamento de cerca de 300 casas na região de Taipas, e que 90% delas não tem registro imobiliário. A lista desses moradores foi passada aos vereadores.

Na mídia social Facebook, dom Milton convocou a articulação de toda a Região Episcopal Brasilândia em solidariedade às famílias que serão afetadas pelo trecho norte do Rodoanel.

“Hoje participei de uma audiência pública em Taipas com muitas famílias que correm o risco de serem despejadas de suas casas com a construção do trecho norte do Rodoanel... uma drama para elas e para nós Igreja também... será necessário o apoio de homens e mulheres de boa vontade para que estas famílias sejam respeitadas e não sejam descartadas como um utensílio qualquer. Que a Igreja da Brasilândia mostre mais uma vez seu rosto e manifeste sua solidariedade com as milhares de famílias sem vez e sem voz”, postou o bispo na noite de 5 de dezembro.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Ação Adveniat completa 50 anos, com missa na Brasilândia

Por Daniel Gomes, reportagem publicada na edição n°2878 de O SÃO PAULO


Desde 1961, a Igreja Católica na Alemanha, através da Ação Episcopal Adveniat, realiza durante o Advento uma campanha para que nas missas dos dias 24 e 25 de dezembro, os católicos alemães façam doações na coleta de Natal, destinadas a auxiliar projetos pastorais e sociais da Igreja na América Latina.


Este ano, em comemoração ao jubileu de ouro da Adveniat, a abertura da campanha aconteceu na favela Futuro Melhor, no Jardim Peri Alto, zona noroeste de São Paulo, na manhã do domingo, dia 27, com missa presidida pelo cardeal dom Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo, e concelebrada pelos bispos alemães, dom Robert Zollitsch, presidente da Conferência Episcopal da Alemanha, dom Franz-Josef Overbeck, presidente da Adveniat, e dom Manfred Melzer, auxiliar na Diocese de Colônia.


“O Advento é na Alemanha o tempo da campanha da Adveniat, uma ação episcopal para os povos da América Latina. Luz e esperança que nós, cristãos, recebemos de presente e desejamos passar para outras pessoas”, explicou dom Robert Zollistsch, na saudação inicial.


Moradores do bairro, fiéis e padres das comunidades e paróquias já auxiliadas pela Adveniat participaram da celebração (transmitida ao vivo para a Alemanha pela tevê estatal alemã ZDF). Todos receberam um folheto para acompanhar a missa, que na maior parte do tempo foi celebrada em alemão.


Valdeci da Silva foi um dos que acordou cedo para a missa. Atuante na Comunidade Nossa Senhora de Fátima, da Paróquia Imaculado Coração de Maria, na Região Brasilândia, o leigo segurava uma faixa em agradecimento pela ajuda financeira que a Adveniat enviou para as reformas da comunidade. “A verba veio em 2005, em duas parcelas. Depois da ampliação, aumentou muito o número de pessoas nas missas”, contou.


Na homilia, dom Odilo elencou alguns frutos da solidariedade da Adveniat com a América Latina como a melhor formação de sacerdotes, religiosos e leigos; construção e reforma de igrejas e apoio a missões e projetos sociais que aliviaram a pobreza e a exclusão social.


“Aos católicos alemães e à Conferência Episcopal da Alemanha, nós da América Latina, temos a agradecer, sobretudo, o exemplo de generosa partilha e forma organizada e perseverante com que promoveram ano após ano, a campanha da Adveniat. Este exemplo, nos estimula a fazermos responsavelmente a nossa parte e a promover a evangelização e o testemunho do Evangelho na sociedade”, expressou o arcebispo de São Paulo.


Assim como o cardeal, padres da periferia de São Paulo demonstraram gratidão à Adveniat. “Se não fosse a ajuda da Adveniat, o nosso trabalho seria muito difícil, fácil já não é, mas com a ajuda, principalmente para a compra dos carros e para construir os templos, nossa a Igreja pode ter uma presença maior no meio dos pobres”, avaliou o padre José Aécio Cordeiro, da Paróquia São José, em Perus.


“Ninguém é tão rico que não tenha o que receber e ninguém é tão pobre que não possa dar. A ajuda através da Adveniat é necessária também para o futuro. E ela nos mostra que nós praticamos, dentro da Igreja, mundialmente, a solidariedade, o amor ao próximo e ao convivência fraterna”, disse ao final da missa dom Franz-Josef Overbeck.


A celebração pelos 50 anos da Adveniat aconteceu na área da Paróquia Cristo Ressuscitado, Setor São José Operário, que envio pedido de auxilio à Adveniat para transformar uma de suas comunidades (a Santa Cruz) em matriz da paróquia. “Estamos precisando de um espaço maior, que possa ser o ponto de encontro das comunidades. Temos a necessidade de chamar o povo, trazer gente nova”, explicou padre Bernardo Daly, pároco.


Foto: Luciney Martins
Ocorreu um erro neste gadget

Acessos