quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Dom Milton tomará posse em Barretos (SP) em 21 de dezembro

Daniel Gomes
Pela Pascom Brasilândia

Vigário episcopal da Região Episcopal Brasilândia desde janeiro de 2010, Dom Milton Kenan Júnior, 50, bispo auxiliar de São Paulo desde 27 de dezembro de 2009, quando foi ordenado bispo em Jaboticabal (SP), foi nomeado bispo de Barretos (SP) na quarta-feira, 5 de novembro, pelo Papa Francisco.

Nascido em 24 de novembro de 1963, em Taiúva (SP), dom Milton foi ordenado padre em 5 de setembro de 1987. É mestre em Teologia da Espiritualidade pela Pontifícia Faculdade de Espiritualidade “Teresianum”, de Roma.

“A vida de um bispo é um constante aprendizado, com as alegrias e as dificuldades percebemos sempre as mãos de Deus sobre nós, é o Senhor que realiza a vontade dele, apesar das nossas fraquezas e de nossas faltas”, disse em entrevista à Pascom Brasilândia em janeiro deste ano, quando completou quatro anos de bispo.

Informações, ainda não confirmadas pela Cúria da Brasilândia, dão conta que a missa de despedida será realizada em 12 de dezembro, às 20h, na Paróquia Santos Apóstolos. A posse do bispo em Barretos está agendada para 21 de dezembro.

Pastoreio na Brasilândia

Na Região Brasilândia, Dom Milton foi incentivador de novas vocações e dos trabalhos das pastorais sociais. Também se empenhou nas mobilizações contra a construção do Trecho Norte do Rodoanel. Em entrevista ao Blog da Pascom, em 2011, declarou. “O Rodoanel não tem só implicações ambientais e sociais, mas também implicações pastorais”. Hoje, 2014, nota-se na Região o aumento de ocupações em áreas de reserva ambiental, como onde se destinaria a construção do Parque da Brasilândia, por exemplo.


Na Arquidiocese de São Paulo, atuou de forma destacada como bispo referencial das Pastorais Sociais e do Secretariado Arquidiocesano de Pastoral, sendo um dos redatores do 11º Plano de Pastoral da Arquidiocese. 

sábado, 3 de maio de 2014

8 mil pessoas testemunham a Paixão de Cristo

Por Daniel Gomes/ Reportagem publicada no O SÃO PAULO
A
O enredo é conhecido há mais de dois milênios, mas a cada Sexta-feira Santa é atualizado nas encenações do grupo Arte de Viver (GTAV). Na sexta-feira, 18, a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus voltou a ser encenada no estacionamento de um hipermercado em Taipas, na zona noroeste, diante de 8 mil pessoas.
A
Este ano, além do GTAV, integrantes da Cia de Teatro Monfort, Comunidade Missão Mensagem de Paz e Ministério de Artes Cristo Libertador, ligados a paróquias da Região Brasilândia, junto aos atores Victor Delboni (Jesus), Carolina Lelis (Maria) e Daniel Langer (anjo Gabriel) participaram da encenação, que fez alusão à temática da CF-2014.
A
O tráfico humano apareceu como uma das tentações da sociedade atual; Jesus foi açoitado tal qual os escravos; Judas indagou se muitos ainda hoje não entregam o Salvador; e Maria lembrou que as pessoas aliciadas pelo tráfico humano são marginalizadas, assim como foi Cristo ao ser crucificado.
A
No início da peça, que durou duas horas e meia, incluindo a procissão, dom Milton Kenan Júnior, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região, comentou que a encenação teatral coroava a celebração da Sexta-feira Santa nas comunidades.
A
“Ao representarmos, contamos a mesma história de uma maneira diferente e as pessoas prestam mais atenção quando interpretamos o Evangelho e falamos de amor e dos ensinamentos de Jesus”, opinou Roberto Bueno, diretor da peça.
A
A encenação foi especial para a atriz Carolina Lelis, 24. Evangélica, ela interpretou Maria pela primeira vez. “A história de Jesus é importante para nós, cristãos, e foi muito interessante estudar sobre Maria, uma das figuras mais presentes no catolicismo”.
A
Para Márcio Souza, 44, ator da peça desde a primeira encenação há 18 anos, “o mais importante é que sempre a gente consegue passar a mensagem da Paixão de Cristo para as pessoas, evangelizá-las”.
A
“Todo ano saio emocionada e reavivo minha fé”, garantiu Inês Francisca de Souza, 63, que junto à multidão bradou ao fim da encenação: “Rei, Rei, Rei, Jesus é nosso Rei”.

Dom Milton lava os pés de 12 fiéis na Vila Zatt

Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a
Na noite da Quinta-feira Santa, 17, quando toda a Igreja Católica inicia o tríduo pascal da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus, é momento também em que se recorda a última ceia, a Instituição da Eucaristia e do Ministério Sacerdotal. Na Brasilândia, dom Milton Kenan Júnior, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região, presidiu a missa da Ceia do Senhor na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, na Vila Zatt. 
a
Durante a celebração, relembrando o ato de amor, serviço e humildade de Jesus Cristo, ao lavar os pés dos apóstolos durante a última ceia, o Bispo refez o gesto de Jesus, lavando os pés de 12 fiéis da comunidade: eram homens, mulheres, idosos, jovens e crianças que fazem parte da Paróquia.
a
Na homilia, dom Milton relembrou que celebrar a Quinta-feira Santa é rememorar a última ceia. “Nós celebramos a Páscoa, comendo da carne e bebendo do sangue de Jesus Cristo, assim nos tornamos um com Ele, e comungamos da sua vida, acontecendo em nós o mistério Pascal", afirmou.
a
O Bispo também exortou a todos sobre a necessidade de ir ao encontro do outro e o sentido real da passagem da morte para a Ressureição. “A Páscoa não acontece uma só vez ao ano, mas todos os domingos e todas as vezes que somos capazes de servir uns aos outros, de lavarmos os pés dos nossos irmãos. Se queremos ter parte com Jesus, temos que aprender a ser como ele, amar como Jesus amou”.
a
Para a jovem Priscila de Oliveira Matos, receber o convite para ter os pés lavados nessa celebração foi uma grande surpresa e benção. “Senti a presença de Deus forte em mim, jamais esquecerei esse gesto de humildade do nosso Bispo, revivendo os ensinamentos de Jesus”.
a
Ao final da celebração, o Santíssimo Sacramento foi trasladado para um lugar reservado no salão paroquial, onde permaneceu exposto para os fiéis, durante toda a madrugada para adoração.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Setor Nova Esperança celebra Vigília da Juventude

Por Vitória Caroline Camargo, especial para a Pascom Brasilândia
a
Na noite de 12 de abril, aconteceu na Paróquia Santo Antônio, da Vila Brasilândia, a primeira vigília em preparação para a Semana Santa. O momento de espiritualidade contou com a presença dos grupos de jovens das paróquias Nossa Senhora do Carmo, São Judas Tadeu, Santa Rita de Cássia e Santo Antônio.
a
O encontro foi marcado por música, oração e a alegria dos jovens. Em sua fala inicial, dom Milton Kenan Júnior, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região, expressou sua alegria em participar do evento. “É muito bom estar aqui com vocês, reunidos em Juventude”. E fez menção da mensagem dada pelo papa Francisco, pela ocasião do Dia Mundial da Juventude, comemorado no domingo, dia 13. O Papa Francisco diz: “as bem aventuranças são uma proposta, ou melhor, um caminho de felicidade. Jesus, nas bem aventuranças, nos dá as implicações para que possamos ser felizes”.
a
A presença de Maria na vigília aconteceu por meio da oração de um terço luminoso, que a cada mistério foi rezado de uma forma diferente. As cores das velas simbolizavam as cores dos continentes.
a
A oração do Pai-Nosso, seu significado e sentido das palavras, foi tema de uma dinâmica aplicada aos jovens. Adoração ao Santíssimo Sacramento marcou o final da Vigília Jovem.
a
Impressões
a
“Eu só tenho a agradecer todo o Setor Nova Esperança, todos os jovens que participaram porque para mim foi muito gratificante”, disse Thaila Larissa Leite do Nacimento, Paróquia Santa Rita de Cássia.
a
“Foi muito especial esse encontro para mim. Saiu tudo como esperado, foi algo muito gratificante para todos nós. Sentimos que esse encontro foi apenas o início de uma Jornada que não acabará tão cedo, pois ainda há muito pela frente”, afirmou Felipe Valin, Paróquia Santo Antônio.
a
“É sempre muito bom receber os jovens, acolhê-los em nosso Setor. Esse acolhimento é também uma forma de dizer a eles a sua importância e o seu protagonismo junto à Igreja”, afirmou o padre Marcos Câmara, pároco da Paróquia Santo Antônio.

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Brasilândia faz Jornada Regional da Juventude

Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a 
Um encontro para reunir a juventude da Região Brasilândia e reviver a experiência da Semana Missionária e da Jornada Mundial da Juventude de 2013, foi o convite feito pelo Setor Juventude da Região e prontamente atendido pelos jovens.
a 
A Jornada Regional da Juventude, aconteceu na noite do sábado, 5 de abril, na Comunidade Missão Mensagem de Paz, em Pirituba. Reunidos com dom Milton Kenan Júnior, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região Brasilândia, os participantes tiveram um momento para celebrar o Dia Mundial da Juventude 2014, que será, em nível arquidiocesano, no domingo, 13 de abril, na celebração de Domingo de Ramos.
a 
O início do evento foi marcado com a presença de Lorenzo Nacheli, missionário do SERMIG - Fraternidade da Esperança. Os jovens puderam conhecer um pouco do trabalho do Arsenal da Esperança, que acolhe, mensalmente, 1.200 homens em situação de rua.
a
Os participantes foram convidados a debater como está o andamento dos grupos de jovens a que pertencem e como estão as ações após a participação da Jornada Mundial da Juventude, sobretudo nos temas da Oração, da Ação e a Formação.
a 
Na plenária, eles expressaram que é necessário usar a criatividade para evangelizar; usar as redes sociais, mas também ir ao encontro pessoal daqueles que estão fora da Igreja; ter mais união entre os diversos grupos e carismas e intensificar os momentos de intimidade com a Palavra de Deus. Serem os protagonistas da evangelização.
a 
Embalados por músicas dançantes, no estilo "Cristoteca", os jovens tiveram um momento de descontração, animados pelo Ministério de Música Missão Mensagem de Paz. Testemunhos dos diversos carismas presentes foram dados.
a 
“Ser sal da terra e ser luz do mundo”, dizia o jovem Rafael (sobrenome não identificado), da Paróquia Nossa Senhora das Graças, ao expor a realidade da juventude em seu bairro. Os jovens Fabrício e Lizandra (sobrenome não identificado), contaram um pouco do trabalho que fazem com a Pastoral de Rua, da Comunidade Aliança de Misericórdia. O último testemunho foi da irmã Clara Etelvina Amadio, da Congregação Escolares de Nossa Senhora, que, aos 82 anos, trabalha no desenvolvimento espiritual, social e educativo da juventude do Jardim Elisa Maria, na periferia da zona noroeste.
a 
Durante o evento, dom Milton falou aos jovens sobre a mensagem do papa Francisco para Dia Mundial da Juventude 2014: “Felizes os pobres em espírito, porque deles é o Reino do Céu” (cf Mt 5,3). O Bispo expressou gratidão em estar reunido com os jovens: “Encontrar-me com vocês é sempre uma grande alegria, alimenta a minha alma e a minha missão”.
a 

Em entrevista, dom Milton mencionou que o evento ultrapassou as expectativas, com um número qualitativo de jovens, e com grande enriquecimento espiritual para todos. O final do encontro foi marcado pela Adoração ao Santíssimo Sacramento.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Conselho Regional de Pastoral realiza 1ª reunião do ano


Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a
Na manhã do sábado, dia 22, as lideranças pastorais e os padres, juntamente com o bispo regional, dom Milton Kenan Júnior, reuniram-se na Paróquia Santos Apóstolos, no Jardim Maracanã, para o primeiro Conselho Regional de Pastoral (CRP) do ano.
a
Após a oração inicial, o bispo saudou os participantes e apresentou o novo coordenador regional de pastoral, padre Reinaldo Torres. Os sete setores pastorais que compõem a região estavam representados por suas lideranças e assessorias. Cada setor apresentou um resumo das atividades desenvolvidas nos primeiro bimestre.
a
O encontro regional de formação sobre a campanha da fraternidade, realizado em fevereiro, foi avaliado como positivo, com boa participação das lideranças. Porém, por tratar de um tema complexo e polêmico, apenas em uma manhã, foi pouco tempo, para tamanho conteúdo á ser partilhado. Assim como a abertura da CF-2014, em março, foi positiva principalmente pela quantidade de participantes, destacando a presença da juventude.
a
Dom Milton falou aos participantes sobre o aprofundamento do documento “Sugestões pastorais para a implementação da iniciação à vida cristã”, que foi apresentado como uma das urgências do 11º Plano de Pastoral. O Bispo fez referências às paróquias que já estão trabalhando o tema, e expressou que o subsídio deve ser objeto de estudo e reflexão nos grupos e pastorais de toda a Arquidiocese.
a
Também foi debatida a necessidade do planejamento pastoral de todos os setores e pastorais, que ajudarão a região a caminhar em sua totalidade. Ao final do encontro foi apresentada uma proposta de organizar uma comissão para a construção da escola de Fé e Política.
a
Em entrevista à Pascom Brasilândia, padre Reinaldo Torres, novo coordenador pastoral, falou deste primeiro encontro. “Surpreendeu-me o relato dos setores com tantas atividades e riqueza na sua organização, o CRP hoje se mostra aberto aos problemas pastorais e sociais que afetam diretamente a região”, encerrou.

Missão Mensagem de Paz faz retiro vocacional

Por Késsia Pereira, da Missão Mensagem de Paz
a
Entre 21 e 23 de março, os 137 membros da Comunidade Missão Mensagem de Paz reuniram-se num retiro espiritual na Casa de Retiro São Domingos, em São Roque, interior de São Paulo, no qual estiveram presentes padre Eduardo, da comunidade Doce Mãe de Deus, em João Pessoa (PB), que deu início às formações, explicitando acerca do chamado que Deus nos fez e do carisma. Logo em seguida, na Santa Missa, refletiu-se sobre o Evangelho do dia Lc 15, 1-3.11-32 (O filho pródigo e o Pai misericordioso), e o sacerdote alertou que muitas vezes as pessoas se consideram empregadas e não filhos de Deus, realizando a obra por obrigação e não por amor.
a
Dando continuidade, Anelisa Savani, membro consagrada da Comunidade Pantokrator, da cidade de Campinas, baseada na leitura de Fl 2, 6-9, discorreu acerca do sair de nossa terra, enraizando e ‘desraizando’ sempre que for necessário, abordando ‘’Minha vocação, meu chamado’’, e fazendo refletir sobre o trato e o relacionamento com o irmão, ressaltando que o chamado é pessoal e se deve ser insistente naquilo que Deus chama e confia.
a
Márcio Marcos, coordenador dos pregadores da RCC, da Arquidiocese de São Paulo, a partir das leituras de Ef 4, 1-6, levou os participantes a refletir acerca da divisão e discórdia entre os irmãos; e de Fl 2, 1-11 que todos que querem ser cristãos devem abaixar-se e ser humildes, pois os piores, Deus traz para perto de Si.
a
Dando prosseguimento às atividades, foi apresentado um vídeo abordando os 20 anos da Missão Mensagem de Paz, no qual alguns membros partilharam várias experiências, entre elas, o chamado de Deus, seu início na comunidade, momentos marcantes, dificuldades, etc. Também foi realizado um quebra-cabeça com a foto de todos os membros e dos momentos vivenciados.
a
Finalizando o Retiro Vocacional, o fundador da comunidade, Fernando Baptista, conduziu todos os membros presentes a pensar sobre a vocação e notificou a todos acerca das mudanças no regimento interno da comunidade e das alterações de algumas atividades a serem realizadas a partir deste Retiro.

sexta-feira, 21 de março de 2014

Pastoral da Mulher realiza 24º encontro celebrativo

Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a
O domingo, 16, foi o dia de as mulheres da Brasilândia se reunirem na Paróquia Santos Apóstolos, no Jardim Maracanã, para celebrar o Dia Internacional da Mulher. Em sua 24º edição, o encontro foi marcado por momentos de arte, mística, música, formação política e social.
a
Inicialmente, a vice-prefeita da cidade de São Paulo, Nádia Campeão, discursou às mulheres. Em entrevista à Pascom Brasilândia, a vice-prefeita falou sobre as principais reivindicações e lutas das mulheres.
a
“Já tivemos avanço em diversas áreas, mas ainda há muito que precisa ser feito, como, por exemplo, o aumento do número de creches para atender às crianças e às mulheres trabalhadoras; na área da saúde, promover um atendimento de qualidade, principalmente na prevenção ao câncer. E também o combate à violência contra a mulher. Essas são hoje as principais demandas das mulheres na cidade de São Paulo”, afirmou Nádia.
a
O filosofo Sérgio Barbosa, coordenador do Coletivo Feminista Laço Branco, explanou sobre a violência contra a mulher, e falou em especial aos homens presentes. “A violência contra as mulheres é uma questão social e histórica. A emancipação delas e a conquista dos seus direitos causaram em alguns homens o despertar da violência, por se acharem ‘donos’ delas. O trabalho do coletivo feminista Laço Branco é sensibilizar esses homens, informá-los de que a mulher tem os mesmos direitos que eles".
a
E os homens também estiveram no encontro: os membros da Comunidade Cristo Ressuscitado, da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, de Vila Souza, foram os responsáveis pelo almoço e também ajudaram na animação.
a
O final do encontro foi marcado pela celebração da Eucaristia, presidida pelo bispo auxiliar da Arquidiocese na Região Brasilândia, dom Milton Kenan Júnior. Em ação de graças, foram apresentados ao altar, cartazes com os nomes de mulheres que fizeram história: Nhá Chica, Escrava Anastácia, Luiza Maria, Zilda Arns, Irmã Dorothy Stang e a presença da Mãe Maria: Nossa Senhora Aparecida.
a
Foto: Juçara Terezinha

quinta-feira, 13 de março de 2014

Abertura da CF-2014 reúne mais de mil pessoas

Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a
Na tarde do domingo, 9, uma multidão caminhou pelas ruas do bairro Parque Panamericano, na zona noroeste, marcando a abertura da Campanha da Fraternidade 2014 na Região Brasilândia.
a
A concentração se iniciou na Rua Angelo da Silva, ao lado da Escola Estadual República da Argentina. Animados pela equipe de música e conduzidos pelo padre Reinaldo Torres, assessor da CF-2014, os leigos refletiram sobre o tema da Campanha da Fraternidade 2014, “Fraternidade e Tráfico Humano”.
a
A imagem de Nossa Senhora das Dores e a réplica da Cruz da Jornada Mundial da Juventude foram acolhidas no meio do povo, que a frente da procissão deu início à caminhada rumo a Praça José Kentenich, em frente da Paróquia Nossa Senhora Mãe e Rainha.
a
Guiados pela cruz, cantando animadamente, a juventude que estava presente em grande número, tomou a frente da caminhada, se revezando entre si, para carregar a réplica da cruz. “Parecia até que estávamos revivendo a JMJ 2013 e a Semana Missionária”, exclamou dom Milton Kenan Júnior, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região, ao saudar o expressivo número de jovens presentes.
a
Na chegada à praça, o Setor Jaraguá, representado pelos jovens da Paróquia São Luís Maria de Grignion de Montfort, como forma de acolhida, encenou uma peça teatral, que trazia em seu enredo a realidade do tráfico humano e o resgate dessas pessoas, por meio do amor de Deus e da Virgem Maria. Em seguida, o Bispo presidiu a missa campal, concelebrada pelo clero regional.
a
No primeiro domingo da Quaresma, em sua homilia, o Bispo destacou ao povo a necessidade de estarem atentos às tentações que os rondam, e de não se deixarem vencer pelo tentador. “A caminhada quaresmal nos convida a converter-se a Deus, mas também converter-se ao outro”. E também ressaltou a importância de não apenas refletir a temática da campanha, mas que é preciso colocar-se em movimento, denunciar os casos de tráfico humano, tão presentes na realidade da Brasilândia.
a
Ao final da Eucaristia, em ação de graças, a imagem de Nossa Senhora da Aurora foi entronizada no meio do povo. Todos juntos pediram a intercessão de Maria, colocando em suas mãos, os bons propósitos de viver uma boa Quaresma e a Campanha da Fraternidade. Dom Milton e o padre Reinaldo agradeceram à presença de todos e a colaboração daqueles que estiveram envolvidos na preparação do evento.

Padres Monfortinos assumem paróquia em Perus

Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a
Na noite da sexta-feira, 28 de fevereiro, no Setor Pastoral Perus, tomou posse como pároco da Paróquia Santa Rosa de Lima o padre Luciano Andreol, missionário Monfortino, e foi apresentado o vigário paroquial, padre Taddeo Pasini, da mesma congregação.
a
A missa foi realizada no Centro Comunitário Padre Guilherme Kuypers, presidida por dom Milton Kenan Júnior, bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo na Região Brasilândia, e concelebrada pelos padres do Setor Perus e demais que atuam na Região.
a
Os padres Luciano e Taddeo assumem a Paróquia e suas nove comunidades após a saída do antigo pároco e irmão de missão, padre Luiz Augusto Stefani, conhecido como padre Luizinho. Após quase dois anos de trabalho à frente da Paróquia, deixa o pastoreio da Santa Rosa de Lima para assumir a função de Superior Delegado da Delegação Monfortina Peru-Brasil.
a
Na homilia, dom Milton destacou a primeira leitura da Carta de São Tiago, exortando a todos sobre a importância de serem verdadeiros consigo mesmo, com os outros e com a Igreja. O Bispo agradeceu em especial ao padre Luizinho, pelos dois anos de trabalho missionário com o povo, e que administrou a reforma da Igreja. Assim como acolheu os novos padres monfortinos para essa nova missão.
a
Padre Luciano Andreol expressou sua gratidão e confiança em pastorear a comunidade. “É uma grande oportunidade e um desafio, meu medo é atrapalhar a comunidade, quero fazê-la crescer”. O vigário paroquial também agradeceu a oportunidade de poder auxiliar a comunidade.
a
Em entrevista, padre Luizinho expressou, emocionado, sua partida. “A nova missão chegou antes do que eu esperava, mas a minha Congregação me pediu algo novo. Foi uma aceitação nada fácil”. O Padre já tinha organizado com a comunidade um programa pastoral e a reforma da igreja, que exigiu muita movimentação do povo. Ele expressou alegria como sinal de dever cumprido. “Entrei na missão paroquial feliz e saio feliz, não porque estou deixando a Paróquia, mas porque sei que há pessoas animadas a continuar o projeto”. O Sacerdote vai animar os 45 monfortinos da Delegação espalhados pelo Brasil, Peru, Colômbia e Argentina. A duração do mandato é de três anos e o Padre residirá em Lima, no Peru.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

'Fraternidade e Tráfico Humano' é tema de formação

Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a
Em 15  de fevereiro, agentes de pastoral se reuniram na Paróquia Santos Apóstolos, no Jardim Maracanã, para refletir sobre o tema da Campanha da Fraternidade 2014: “Fraternidade e Tráfico Humano”, e o lema “Foi para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5,1).  
a
A equipe regional da CF-2014 propôs a contextualização do tema de acordo com o objetivo geral da CNBB: “identificar as práticas de tráfico humano em suas várias formas e denunciá-las como violação da dignidade e da liberdade humanas, mobilizando cristãos e pessoas de boa vontade para erradicar este mal com vista ao resgate da vida dos filhos e filhas de Deus”.
a
Na abertura do encontro, o padre Reinaldo Torres, assessor da CF-2014 na Região, alertou sobre a importância do tema. “Infelizmente, muita gente em nossas comunidades pensa que o tráfico humano é coisa de novela, mas não é. O tráfico humano está presente em nossas comunidades e, muitas vezes, não temos uma resposta de amor e compaixão para nos colocarmos ao lado das pessoas traficadas. Nós temos que construir juntos um processo que lhes devolva a dignidade e a liberdade de filhos de Deus”.
a
A formação foi divida em quatro pontos: “A fundamentação Bíblica”, assessorado por Antônio Claro Leite, advogado e professor; “O Tráfico Humano”, por Heidi Ann Cerneka, da Pastoral Carcerária Nacional; “Tráfico de Órgãos”, com a Irmã Antonieta Abreu, da Rede Nacional Um grito pela vida; e “A Exploração de Crianças e Adolescentes”, assessorado por Sueli Camargo, da Pastoral do Menor da Arquidiocese de São Paulo.
a
Baseado no texto de Gálatas 5,1 - “É para a liberdade que Cristo nos libertou", o assessor Antônio refletiu sobre os aspectos bíblicos. “É preciso que usemos de misericórdia e compaixão para resgatar a dignidade da pessoa traficada”.
a
Sobre o tráfico humano, a assessora Heidi mencionou depoimentos de pessoas que foram presas por terem sido enganadas pelos aliciadores. “A vulnerabilidade, a carência humana e o desejo de melhorar suas condições de vida são um dos motivos que levam as pessoas a caírem nas armadilhas dos aliciadores e traficantes de pessoas”.a
 
Já a Irmã Antonieta, que atua contra o tráfico de pessoas, discorreu sobre a realidade do tráfico de órgãos no Brasil. “O tráfico de órgãos ainda é desconhecido, mas muito presente em nossa realidade, principalmente em casos de crianças desaparecidas. O papel da Igreja e da sociedade é informar, advertir e prevenir”.
a
Para Sueli Camargo, “a exploração sexual e o trabalho escravo são um dos maiores índices que atingem as crianças e adolescentes, pois eles estão entre as vítimas mais vulneráveis”.
a
Dom Milton Kenan Júnior, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região, também esteve presente e expressou a importância de debater o tema na Região, que também sofre com o tráfico humano. O encontro foi finalizado com a Oração da CF-2014.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Novo coordenador de pastoral assume Paróquia N. Sra de Fátima

Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a 
No domingo, 16, dom Milton Kenan Júnior, bispo auxiliar da Arquidiocese na Brasilândia, deu posse ao padre Reinaldo Torres como pároco da Igreja Nossa Senhora do Rosário de Fátima, em Vila Bonilha. A missa foi presidida pelo bispo regional e concelebrada por padres da região e sacerdotes convidados. O templo estava lotado, eram pessoas vindas das diversas paróquias nas quais padre Reinaldo trabalhou em quase 19 anos de sacerdócio.
a 
Em sua homilia, o Bispo destacou que uma das principais tarefas de um presbítero é anunciar a Palavra de Deus ao seu povo. E agradeceu a disponibilidade e o sim do padre Reinaldo e fez menção especial aos pais do sacerdote, Ida e Fernando, pela vida e doação de seu filho.
a 
A missa foi marcada por homenagens e agradecimentos. A Paróquia Nossa Senhora Mãe e Rainha expressou seu carinho e gratidão pelos 11 meses de trabalho do padre. Assim como a nova paróquia, Nossa Senhora do Rosário de Fátima o recebeu de coração aberto.
a 
Nos ritos finais da missa, dom Milton anunciou o padre Reinaldo como o novo coordenador de pastoral da Região Brasilândia, função que foi exercida nos últimos três anos pelo padre Valdiran Ferreira dos Santos.
 a
Dom Milton expressou, em entrevista, seu agradecimento ao padre Valdiran pelo trabalho desenvolvido anteriormente e falou sobre a nomeação do padre Reinaldo. “O coordenador regional de pastoral é aquele que auxilia o bispo na coordenação dos trabalhos, que ajuda a organizar e dar forma, seguindo o plano de pastoral da Arquidiocese de São Paulo e em comunhão e sintonia com os coordenadores das demais regiões”. Ele também elogiou a competência do novo coordenador.
a 
À Pascom Brasilândia, padre Reinaldo falou sobre as expectativas de seu ministério. Que as alegrias desta noite, proporcionadas pela acolhida carinhosa da nova paróquia, perdurem e fortaleçam os sinais de que Deus está no meio de nós”.  E falou também sobre a nomeação regional: “Ser coordenador de pastoral é trabalhar, contribuir, somar esforços e valorizar os potenciais de padres, diáconos, religiosos e religiosas, leigos e leigas, pois estamos numa caminhada de fé e vida”.
 a

O presbítero também apontou que há muito trabalho pela frente e que cuidar da ação pastoral é uma das prioridades: “Nossa região sempre foi marcada pelas CEBs, pelas lutas sociais em favor de melhorias para o povo, por isso há um jeito peculiar de ser Igreja na Brasilândia e isso me encanta”, encerrou.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Setores Freguesia do Ó e Jaraguá acolhem novos padres

Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a
Na noite do sábado, 8 ,na Paróquia Santa Cruz de Itaberaba, Setor Freguesia do Ó, em missa presidida por dom Milton Kenan Júnior, bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo para a Região Brasilândia, tomou posse o padre Airton Pereira Bueno como pároco, e foi apresentado como vigário paroquial o padre Palmiro Carlos Paes.
a
Para padre Airton foi o momento também de celebrar seus 15 anos de ordenação sacerdotal, que aconteceu nesta Paróquia em 6 de fevereiro de 1999. Padre Palmiro comentou também ter um significado especial retornar à Paróquia em que foi ordenado, e que completará seu jubileu de prata sacerdotal em dezembro deste ano.
a
Na homilia, dom Milton falou sobre a riqueza do Evangelho refletindo o chamado de Jesus. “Que onde quer que estejamos, possamos revelar a presença de Cristo, sendo sal da terra e luz no mundo.” Aos padres, o Bispo direcionou a palavra exortando sobre a importância de serem imagens vivas de Jesus. O Bom Pastor, aquele que ama, apascenta e dá a vida por suas ovelhas. E pediu à comunidade Santa Cruz de Itaberaba que acolha com amor seus novos pastores.
a
Em entrevista à Pascom Brasilândia, padre Airton expressou sua alegria em retornar à Santa Cruz, agora como pároco, 15 anos depois de sua ordenação. Ele agradeceu todas as pessoas que o ajudaram na caminhada. “A nossa expectativa é que a paróquia cresça ainda mais, fazendo com que todos bebam dessa fonte que é o próprio Cristo, da palavra e da Eucaristia. E que juntos possamos dar frutos e irradiar a presença de Jesus no meio de nós”.
a
O final da missa foi marcado por homenagens e agradecimentos feitos pelos fiéis e amigos da caminhada das paróquias em que os padres Airton e Palmiro trabalharam.
a
Padre Alécio é o novo pároco da Mãe Rainha
a
No domingo, 9, dom Milton deu posse ao padre Alécio Ferreira Silva, como pároco da Paróquia Nossa Senhora Mãe e Rainha, do Parque Panamericano. O Padre, que exercia a função de vigário paroquial desde fevereiro de 2013, assumiu a Paróquia que antes era pastoreada pelo padre Reinaldo Torres.
a
Na homilia, dom Milton expressou sua alegria em apresentar padre Alécio como o pastor próprio desta comunidade. “Com toda sua experiência de mais de 25 anos de sacerdócio e após ter trabalhado em diversas comunidades da região, padre Alécio assume essa missão com alegria e largueza no coração, confiando sempre no amor de Deus”.
a
O Pároco expressou em entrevista que sua expectativa é dar continuidade ao trabalho já iniciado. “São nove comunidades em uma região pobre da periferia da cidade, principalmente nas comunidades mais afastadas. Vamos contar com a ajuda dos leigos e com ajuda de Deus, pois ‘tudo posso naquele que me fortalece’”. E agradeceu ao Bispo a confiança nele depositada.
a
Fotos: Josino Monteiro

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Dom Milton dá posse a padres na Brasilândia

Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a
No último fim de semana, dom Milton Kenan Júnior deu posse a dois padres na Brasilândia: Roberto Carlos Queiroz Moura, padre Beto, assumiu como pároco da Paróquia Bom Jesus dos Passos, no Setor Freguesia do Ó, no domingo, dia 2; e José Adeildo Pereira Machado tornou-se vigário paroquial da Área Pastoral Santíssima Trindade, em Perus, no sábado, dia 1º.   a
a
Padre Beto foi ordenado presbítero em 27 de maio de 1995, por dom Angélico Sândalo Bernardino. Foi pároco da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, na Vila Bonilha de 1995 a 2000, sendo transferido, para a Paróquia Nossa Senhora Mãe de Deus, permanecendo como pároco até 2008, quando foi transferido para assumir o pastoreio na Paróquia Santa Cruz de Itaberaba, até janeiro de 2014. Em 18 anos de sacerdócio, além das funções de pároco, também foi coordenador de setor e região, e atuou por 12 anos como Assessor Regional da Pastoral Litúrgica.
a
Na festa litúrgica da Apresentação do Senhor, a Paróquia Bom Jesus dos Passos estava lotada de fiéis que se reuniram para dar boas-vindas ao padre. No início da celebração, padre Beto recebeu das mãos de dom Milton as chaves da igreja, sinal da responsabilidade de zelar pelo templo e cuidar do novo rebanho que Deus lhe confiou.
a
Na homilia, o Bispo acolheu o novo pároco e à luz do Evangelho pediu que padre Beto nunca deixe apagar a luz de Cristo. “Mantenha viva a chama do Evangelho, como diz o profeta não deixe apagar a chama que ainda fumega”.
a
 
Em entrevista á Pascom Brasilândia, padre Beto agradeceu o tempo que trabalhou na Paróquia Santa Cruz de Itaberaba. “É uma paróquia unida e acolhedora, de gente dedicada e disponível em tudo que se convoca”. E relatou que é com grande alegria que inicia essa nova caminhada.  "Espero contribuir com afinco nas atividades existentes e concentrar forças para colocar em prática o 11º Plano de Pastoral da Arquidiocese de São Paulo. A expectativa é grande e sei que somarei com esse povo, nos trabalhos de evangelização”.
a
Posse em Perus
a
Na noite do sábado 1º, a Área Pastoral Santíssima Trindade, localizada no bairro do Recanto dos Humildes, recebeu o padre José Adeildo como seu novo vigário paroquial. Pertencente à Paróquia São José, do setor pastoral Perus, a Área Pastoral é composta de quatro comunidades, que já possuem uma caminhada em preparação para se tornar paróquia.
a
Padre José Adeildo foi ordenado em 25 de fevereiro de 2007, por dom Manuel Parrado Carral, Administrador Apostólico da Arquidiocese de São Paulo, na época. Trabalhou nas regiões Santana e Belém, estudou durante três anos em Roma. Na Brasilândia, serviu durante um ano como vigário paroquial na Paróquia Santa Terezinha, do Setor Cântaros. Atualmente é vice-reitor do Seminário de Filosofia Santo Cura D'Ars.
a
Em entrevista, dom Milton falou sobre a indicação do padre. “Nomear padre José Adeildo como vigário paroquial desta Área Pastoral é dar respostas a essa comunidade, um padre jovem, cheio de alegria e entusiasmo e que já vinha se destacando na Igreja por suas qualidades, e por seu trabalho na formação dos presbíteros”.
a
Para o padre José Adeildo é uma grande oportunidade de viver o Evangelho com as comunidades e a dimensão missionária. “Acolho essa nomeação com muita alegria e esperança, peço que Deus me ilumine para que eu possa cumprir aquilo que ele me pede, sendo apenas um instrumento de Deus na salvação do povo e deste padre também”.
a
a
FOTOS: Renata Moraes e Josino Bentes Monteiro

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

No Jaraguá, população indígena luta para manter sua cultura

Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
(Fotos: Carlinhos Souza)
a
Na manhã do domingo, dia 26, em uma atividade proposta pelo Centro Cultural da Juventude (CCJ), localizado na Vila Nova Cachoeirinha, um grupo de 70 pessoas visitou a aldeia indígena Tekoa Pyau, situada no Jaraguá, próxima ao Parque Estadual.
a
A atividade foi sugerida e idealizada pela monitora juvenil do CCJ, Juliana Queiroz dos Santos, filósofa e militante da causa. 
a
Presente na cidade desde 1964, a aldeia guarani Tekoa Pyau (que significa tribo da cachoeira) foi cortada ao meio pela Estrada Turística do Jaraguá, e hoje se divide em duas aldeias, sendo a “de cima” ainda sem a demarcação da terra.
a
A maior luta hoje é o reconhecimento como terra indígena da parte de cima da aldeia. “A falta da demarcação de terras nos impede de dar continuidade aos projetos da aldeia e compromete o futuro de nossas crianças”, expressou o jovem cacique Vitor Fernando Soares, que em guarani se chama “Carai Mirim”.
Em 1987, o governo federal demarcou apenas a parte baixa da aldeia, e desde então, os indígenas aguardam o Ministério da Justiça expedir a portaria declaratória, reconhecendo o local como território tradicional indígena. A última etapa é a homologação pela Presidência da República.
a
Em vez de ocas, há casas de pau a pique e barracas improvisadas. Cerca de 180 famílias, com aproximadamente 800 pessoas, sendo quase metade deste número de crianças e adolescentes, sobrevivem em condições precárias: há lixo por várias partes da aldeia, a rede de esgoto não funciona e o rio, que já foi limpo, é fonte de sustento, por meio da pesca, mas está poluído. Sem contar com o grande número de cães e gatos que são abandonados ali por moradores dos arredores. Vivem em condições precárias.
a
A comunidade sobrevive de benefícios do governo e de doações de alimentos de organizações não governamentais e da população local.  E também da venda de seus artesanatos. A Aldeia possui duas escolas e as crianças são alfabetizadas em duas línguas: Português e Guarani. E também possui uma Unidade Básica de Saúde (UBS).
a
Para o professor de história, Davi Martim, é uma alegria receber os visitantes. “Nós costumamos receber as pessoas de uma forma harmoniosa em nossa aldeia, pois nós vivemos assim, e essa visita proporciona uma maior integração entre o índio e o homem branco, desmistificando e quebrando paradigmas. E é importante também para as pessoas conhecerem suas origens, muitos têm descendência indígena e não conhecem a cultura”.
a
Durante a visita, os participantes tiveram a oportunidade de conhecer um pouco da cultura indígena, seus valores e suas crenças. Na casa da reza, local de oração, em que os índios fazem suas preces todas as noites, eles puderam presenciar um canto de agradecimento pelos bens e frutos que a natureza oferece.
a
Para a estudante, Louise De Villio, 20 anos, a atividade gerou reflexão. “Com a visita, aprendi que políticas públicas não têm que só subir o morro ou sair do asfalto, mas têm que entrar na mata também”, comentou.

domingo, 26 de janeiro de 2014

Dom Angélico comemora 81 anos junto ao povo

Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a
Na manhã do domingo, 19, reunido com o povo em torno à mesa do altar, dom Angélico Sândalo Bernardino, bispo emérito de Blumenau (SC) e primeiro bispo da Região Brasilândia, celebrou 81 anos de vida. A missa foi presidida pelo aniversariante, na Paróquia Santos Apóstolos, no Jardim Maracanã, e concelebrada pelos padres Antônio Leite Barbosa Júnior (padre Toninho), pároco, Armênio Rodrigues Nogueira, vigário paroquial, e Hamilton Wagner da Rosa, pároco na Paróquia Nossa Senhora das Dores.
a
A Igreja estava lotada. Fiéis dos sete setores pastorais que compõem a Região, autoridades políticas, amigos e membros de pastorais da Arquidiocese de São Paulo foram levar abraços de “quebrar ossos”, ao Bispo.
a
Em sua homilia, dom Angélico falou sobre o amor de Deus. “Todos podemos sim amar mais e melhor. Nós seremos santos, à medida que amamos a Deus e ao próximo”. E encerrou dizendo que “podemos iluminar o mundo com nossos gestos de amor”.
a
Em ação de graças, o Bispo recebeu homenagens do clero atuante na Brasilândia, representado pelo padre Toninho e ganhou flores dos leigos. Momento forte da celebração foi quando a música de Roberto Carlos, "Meu querido, meu velho, meu amigo", foi entoada como homenagem.
a
O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) e sua esposa, Alice Yamaguchi, que são amigos há muito tempo de dom Angélico, também expressaram sua gratidão. Paulo Teixeira falou sobre a importância do Bispo. “Dom Angélico na Igreja de São Paulo teve um papel fundamental na organização dos trabalhadores através da Pastoral Operária, das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) e também pela sua coragem de denunciar e fazer o enfretamento necessário no período da ditadura militar”.  E completou: “Ele é alguém que só traz mensagens positivas, e que é capaz de traduzir o Evangelho de uma maneira muito simples”.
a
Em entrevista à Pascom Brasilândia, o Bispo expressou seu agradecimento a Deus pelo dom da vida. “A vida é um grande dom de Deus. Comemorar meus 81 anos com o povo reunido em torno à mesa do altar, dando graças a Deus é uma alegria maior. Me sinto profundamente grato, por ser um pequenino discípulo de Jesus e missionário dele, só posso dizer que Deus é Amor”. E também agradeceu ao povo que lhe faz irmão na caminhada. “E que juntos, de mãos dadas, continuemos a caminhar em solidariedade, justiça, transparência e em verdade, na construção do Reino”, encerrou.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Brasilândia despede-se de padre Comaru e de dona Aurélia

Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a
No fim de dezembro e no começo de janeiro, duas mortes entristeceram os fiéis e padres da Região Episcopal Brasilândia: no dia 28 do mês passado faleceu dona Aurélia Mora, coordenadora regional da Pastoral da Saúde; e no último dia 4 o padre Comaru, que atuou em diversas paróquias de São Paulo.
a
Padre João Belisário Comaru de Araújo, tinha 92 anos, e havia completado 66 anos de sacerdócio, em novembro de 2013. A missa de corpo presente aconteceu no domingo, 5, na Paróquia Santa Isabel e Santa Luzia, no Jardim Primavera, onde o presbítero trabalhou por muito tempo. A celebração foi presidida por dom Angélico Sândalo Bernardino, bispo emérito de Blumenau (SC).
a
Estiveram presentes os familiares, leigos e padres que atuam na Região e também as irmãs da Casa São Paulo, local onde o padre residia. Na homilia, dom Angélico ressaltou que Deus se manifesta a todos, sem excluir ninguém, e relembrou que padre Comaru, em seu sacerdócio, “se comprometeu com as pessoas, sobretudo com aquelas que sofrem".
a
O Bispo se referiu ao padre falecido com carinho. “Padre Comaru foi um homem, um discípulo de Jesus, que amou as pessoas, se comprometeu, sobretudo, com aquelas que sofrem. Ele via nas pessoas antes de tudo gente, um homem e uma mulher que deve ser respeitado e ser amado. Esse foi o grande testemunho de um homem que acreditou em um Deus que é Pai, e que, portanto, faz com que toda humanidade seja fraterna", e encerrou, emocionado, ressaltando o grande amor que padre Comaru tinha com a Igreja. “Sempre animado, sempre iluminado pela luz do Evangelho, pela alegria do Evangelho, viveu intensamente a fé e a esperança do amor. E amou a Igreja, Igreja que somos todos nós, querendo uma Igreja comprometida com os pobres”.
a
O jovem Rafael Valmoleda, que conviveu por alguns anos com o sacerdote na Paróquia Santa Rita, no Morro Grande, lembrou: “Sua passagem na minha vida, foi marcante, com o passar dos tempos fui percebendo que estava diante de um sábio, mestre, um servo de Deus que não se cansava e falar, viver e testemunhar Deus”.
a
Padre Comaru foi sepultado no cemitério Gethsêmani Anhanguera. A missa de 7º dia foi celebrada no sábado, 11, também na Paróquia Santa Isabel e Santa Luzia.
a
Dona Aurélia, referência na Pastoral da Saúde
a
A Pastoral da Saúde da Região Brasilândia se despediu de sua coordenadora Aurelina da Silva Mora, conhecida como dona Aurélia, que faleceu vítima de infarto, no dia 28. Por mais de 20 anos, ela dedicou-se aos doentes, na coordenação desta pastoral e também trabalhou, desde o início da fundação, na Paróquia São Judas Tadeu, na Vila Miriam, sendo catequista por mais de 50 anos.
a
A missa de 7º Dia, presidida pelo padre Jaime Izidoro de Sena, foi celebrada em 3 de janeiro, naquela paróquia, e contou com a presença dos familiares, amigos e agentes da Pastoral da Saúde. Na homilia, padre Jaime destacou o grande amor de Aurélia com os enfermos e com a Igreja. “Dona Aurélia testemunhou e viveu bem a sua fé, era sempre muito preocupada com as questões da saúde, muito amada e respeitada em nossa paróquia, pelo seu trabalho na Catequese e sua representação na Região Brasilândia”.
a
Em entrevista à Pascom Brasilândia, o padre Edson Jorge Feltrin, coordenador da pastoral da Saúde na Arquidiocese também manifestou seu pesar.  “Aurélia marcou muito a todos nós, sobretudo pelo seu amor a Igreja, a sua família, aos doentes e a sua comunidade, São Judas Tadeu. Sua participação sempre foi marcada pela alegria e disponibilidade”.
a
“Sempre fica um pouco de perfume na mão de quem oferece flores, e nossa mãe oferecia flores”, disse Anizabel Mora, uma das filhas de dona Aurélia, resumindo, emocionada, o legado de sua mãe.
a
Ao final da celebração, a equipe de liturgia homenageou dona Aurélia. Ela tinha 80 anos, era viúva. Teve oito filhos (um já falecido), nove netos e sete bisnetos.
Ocorreu um erro neste gadget

Acessos