sexta-feira, 25 de julho de 2008

Semana de Formação começa nesta segunda-feira

Com o objetivo de preparar as lideranças comunitárias para o mês da bíblia em setembro, a Região Episcopal Brasilândia promove de 28 a 31 de julho, das oito às dez da noite, a Semana Regional de Formação, com o lema “O amor jamais passará!”.

A partir da segunda-feira (28), as lideranças passarão por quatro dias de formação sobre a Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios, que será o livro em destaque no Multirão Bíblico.

A atividade de formação terá assessoria de doutores e mestres da escola bíblica dos Verbitas, que falarão sobre o tema nas paróquias Mãe de Deus, Santo Antônio, São Luis Gonzaga e Santa Rosa de Lima. Os assessores são os padres Shigeyuki Nakanose, José Ademar Kaefer, Raimundo Leite Filho e Ronaldo Lobo, além da especialista Maria Antônia Marques.

A última formação do setor aconteceu em abril desse ano. Mais de 750 pessoas participaram dos quatro dias de atividades.

A maioria dos Setores Regionais disponibilizará ônibus para levar os fiéis até a igreja pertencente ao setor em que ocorra a Formação. Informe-se na sua paróquia sobre a semana de formação. Abaixo, você confere o endereço das paróquias.

sábado, 19 de julho de 2008

10° Romaria da Terra: clamor por justiça

A colaboradora da Pascom Brasilândia, Karla Maria, conferiu a entrevista coletiva sobre as ações da Romaria da Terra 2008, que acontecerá em São Paulo em 3 de agosto. Confira os detalhes

“Trabalhadores, Trabalhadoras! Terra Livre, Água de Todos e Povo Soberano!”, com este tema a CPT - Comissão Pastoral da Terra, durante coletiva de imprensa, realizada dia 8 de julho na sede da CNBB em SP, apresentou os objetivos da 10° Romaria da Terra de São Paulo, que acontecerá dia 3 de agosto, saindo da Região Brasilândia com destino à Comuna Ir. Alberta.

Segundo dados do INCRA - Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, cerca de 3% do total das propriedades rurais em posse da União, são latifúndios com mais de mil hectares e ocupam 56,7% das terras agriculturáveis. A área ocupada pelos estados de São Paulo e Paraná juntos está nas mãos dos 300 maiores proprietários rurais, enquanto 4,8 milhões de famílias estão à espera de chão para plantar.

A Romaria é organizada por homens e mulheres, agentes de pastoral, Entidades Sociais, Movimentos Populares e Sindicatos que acreditam, que este contexto de exclusão no Brasil pode e deve mudar, através do cumprimento da Constituição Federal, que em seu artigo 5° estabelece: “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no país a inviolabilidade do direito á vida, á liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade”.

Fazer a Reforma Agrária é questão urgente, afirma Luiz Andriollo, padre colombiano, que lembrou o artigo 29 promovido pelos Bispos em Assembléia, da necessidade de promover justiça entre todos os filhos de Deus. A distribuição de terras improdutivas, que não exercem sua função social é garantida pela constituição, reforça padre Luiz.

Durante a coletiva, Ir. Maria Alberta Divarti, presidente emérita da CPT – Comissão Pastoral da Terra, revela que as comunas surgiram através do trabalho na pastoral de rua, no centro de São Paulo; diante da realidade dos moradores de rua, irmã Alberta convidava os moradores a irem ocupar os assentamentos, além de fazer um trabalho de conscientização de direitos e deveres de cada um.

Os moradores que vinham das ruas do centro de São Paulo e suas famílias formaram os acampamentos; hoje ao redor de São Paulo há cinco assentamentos: Dom Tomás Baduíno, D. Pedro Casaldáglia, Ir. Alberta, Che Guevara – em Limeira e Comuna Urbana - em Jandira.

Os acampamentos são chamados de Comunas da Terra; nelas cria-se um novo projeto de trabalho de conscientização e de futuro, no qual, cada morador obtém o título de sua terra e fica impedido de vende - lá. O primeiro acampamento foi o de Franco da Rocha, onde neste mês foram inauguradas 61 casas, construída em mutirão e com auxilio de arquitetos da USP.

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Encontros marcam atuação das CEB´s em julho

O mês é julho. As atividades estão em três lugares: paróquia Nossa Senhora do Retiro no dia cinco; Paróquia Santa Rosa de Lima, no dia seis; e Escola São José, na cidade de Campinas, nos dias 19 e 20; e nelas estão católicos atuantes das CEB´s.

No sábado, cinco de julho, representantes das comunidades católicas do setor Pereira Barreto reuniram-se para partilhar experiências e desafios que têm vivenciado . O principal indicativo foi da falta de comunicação entre as comunidades, problema que pode ser atenuado com as reuniões bimestrais que passarão a acontecer no setor.

No dia seguinte, domingo, seis de julho, aconteceu o 3º Retiro das CEB´s com a Juventude da Região. No Centro Comunitário da paróquia Santa Rosa de Lima em Perus, 110 jovens aprofundaram estudos sobre a história da igreja e refletiram sobre os desafios da evangelização cristã perante a juventude.

Desafios: Superá-los parece ser a máquina que move as CEB´s na Região, e provavelmente, a realidade não é diferente em outras cidades paulistas. Nos dias 19 e 20 de julho acontece o Encontro Paulistão das CEB´s na cidade de Campinas. A temática central é a defesa dos ecossistemas no estado, mas certamente o encontro também servirá para novas partilhas de experiências desafiadoras.

EM DESTAQUE NA REGIÃO:

Veja imagens do 3º Retiro das CEB´s com a Juventude da Região

Pastoral Afro oferece cursos para jovens de 16 a 21 anos

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Brasilândia promove debate com candidatos

As Pastorais Sociais, CEB´S e a Comissão de Formação da Região Brasilândia promovem em 17 de agosto um debate com os candidatos a prefeito da cidade. O evento acontece a partir das duas da tarde, na Creche Menino Jesus, Freguesia do Ó.

O debate será um momento para refletir a realidade social em nossa Região e cobrar compromissos de atuação dos postulantes a prefeito. Porém, muito antes do dia 17, a população da Brasilândia já poderá estar atenta à ação ética de alguns políticos diante da lei eleitoral.

A partir de domingo, seis de julho, começa oficialmente a campanha política autorizada pelo Tribunal Superior Eleitoral. Ao contrário do que muitos imaginam, a data está longe de significar apenas a distribuição de bonés, camisetas e barulhos de carros de som pelas ruas.

Graças a lei de iniciativa popular 9840, nesse período eleitoral, é expressamente proibido a qualquer candidato, postulante ao executivo ou ao legislativo, fazer doações ou oferecer vantagens pessoais ao cidadão, como moeda de troca para voto.

Resumindo a idéia: Se algum candidato lhe ofertar de um boné ou um emprego, condicionando essa oferta ao seu voto, isso é ilegal. E quem descumpre a lei eleitoral, irá cumprir a palavra empenhada em época de campanha?

A lei eleitoral não impede a troca de idéias e os debates sobre a eleição. Isso é saudável à democracia e permite diferenciar os aproveitadores da política, dos políticos comprometidos em atuar como servidores da população. É com base nesse momento para discutir idéias e detectar necessidades da nossa Região, que a Brasilândia articula o debate do dia 17 de agosto.
Ocorreu um erro neste gadget

Acessos