quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Brasilândia motiva protagonismo jovem

Por Anderson Braz, Vanessa Silva e Johnatan Marques, pela Pascom Brasilândia
(Edição: Daniel Gomes)
a
Duas atividades no último fim de semana retrataram a preocupação da Região Brasilândia com o protagonismo da juventude nas ações da Igreja. No domingo, 21, 700 jovens receberam o Youcat, compêndio da Catecismo da Igreja Católica, feito especialmente em linguagem jovem.
a
A entrega foi feita aos jovens do Setor Jaraguá, na Paróquia Nossa Senhora Mãe e Rainha, no Jardim Panamericano, em atividade que teve a participação de dom Milton Kenan Júnior, bispo regional. Além dos jovens presentes, suas respectivas paróquias receberam exemplares do Youcat.

A articulação para a entrega do Youcat foi articulada pela coordenação da JMJ no Setor Jaraguá e pelos os articuladores da Pastoral da Crisma. 
a
A atividade foi animada pelo Ministério de Música “Jesus Fonte de Misericórdia”, que levou os jovens a momentos de louvor e também a orações e reflexões, além de apresentações de dança, teatro e mostra de vídeos sobre a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Dom Milton leu um trecho do Youcat, que ressalta a participação dos jovens na Igreja e complementou: “Eu creio nos jovens”.
a
No sábado, dia 20, na Comunidade Nossa Senhora Mãe da Igreja, vinculada à Paróquia Nossa Senhora da Paz, Setor Jaraguá, foi realizada uma formação da Pastoral da Comunicação sobre juventude e missão popular na Igreja, com assessoria da irmã Carolina Moritz.
a
Ela apontou que “alguns gestos de Jesus são muito significativos para nós. Vimos nos Evangelhos que Jesus costumava visitar as casas, para levar sua presença e a Palavra de Deus. Entrando nas casas, sentou com corretores e pecadores e testemunhou o amor do seu Pai. As visitas de Jesus eram momentos de proclamação do Reino de Deus. São visitas missionárias...”.
a
Irmã Carolina sugeriu que as lideranças, jovens ou não, ouçam mais a realidade das pessoas nas visitas e busquem estreitar laços, mesmo diante de negativa, e recomendou ainda que as visitas sejam feitas em grupo, lembrando que Jesus enviava os discípulos em missão dois a dois, para proclamarem a misericórdia e o amor do Pai.
a
A assessora apresentou dicas de visitação, abordagens e temas a serem tratados. Houve ainda encenação de visitas e de contornar as situações de dificuldades nas missões. Os participantes, em grupo, refletiram a realidade e desafios das vistas missionárias e se dispuseram a multiplicar o conteúdo aprendido.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Mãe Aparecida traz esperança ao rio Tietê

Por Daniel Gomes, com base em reportagem publicada no O SÃO PAULO
Fotos: equipe de comunição da Paróquia Bom Jesus dos Passos
a
Do alto da Ponte do Piqueri, devotos com bandeirinhas, terços e camisetas de Nossa Senhora Aparecida tem olhares atentos às águas turvas e mal cheirosas do Rio Tietê. Lá embaixo, em um pequeno barco, a imagem da padroeira do Brasil se aproxima após peregrinação fluvial iniciada em 21 de setembro, na cidade de Salesópolis (SP) e que teve paradas em cidades paulistas às margens do rio.
a
Na nona edição do projeto Tietê Esperança Aparecida, 2 mil pessoas se uniram na sexta-feira, 12, para testemunhar publicamente a devoção a Nossa Senhora e foram convidadas a refletir sobre a despoluição e revitalização do Rio Tietê.
a
“É uma emoção ver despertar no povo a esperança, a certeza da bondade de Deus que se faz presente na vida de cada um e também na natureza”, comentou padre Palmiro Carlos Paes, idealizador do projeto iniciado em 2004 e que tem o apoio logístico do Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo (DAEE).
a
O projeto traz essa vontade de querer mudar, chamar a atenção de nossas autoridades. Vimos a tristeza do Tietê com tanto lixo, e não era lixo que estava há dias no rio, é lixo de agora, trazido das ruas, dos bueiros. O povo tem que tomar consciência de que a despoluição do Tietê depende de cada um de nós”, complementou o padre.
a
Ainda na beira do rio, a imagem foi acolhida por dom Milton Kenan Júnior, bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo na Região Brasilândia, e conduzida ao alto do ponte, onde muitos se emocionaram ao vê-la e se esforçaram para tocá-la.
a
“Tudo que eu peço, consigo. Dois anos atrás o meu pai teve câncer no intestino e graças a Deus hoje ele não tem mais e se Deus quiser o ano que vem vou trazer ele bom”, disse Roseli Simões da Silva, paroquiana da Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Fátima, da Vila Bonilha.
a
“Em 2010, um carro me pegou na Marechal Deodoro [em frente à estação do metrô] e me jogou uns 15 metros pra frente. Dali fui socorrido pelo cara que me atropelou, fui parar no hospital e fiquei oito dias e oito noites na UTI. Na hora do acidente, só gritei o nome de Nossa Senhora Aparecida e não vi mais nada. Hoje estou aqui”, recordou emocionado João Cordeiro de Oliveira, da Paróquia Nossa Senhora das Dores, de Taipas.  
a
Pela avenida General Edgar Facó, os fiéis seguiram em procissão até a Paróquia Bom Jesus dos Passos, no Moinho Velho, onde foi realiza missa campal. Pelo trajeto, que durou aproximadamente 50 minutos, novos exemplos de devoção à padroeira do Brasil: pessoas nos comércios, prédios e em ônibus, bem como ciclistas, veneraram a imagem tão logo a avistavam sobre o carro do Corpo de Bombeiros em que foi conduzida.
a
Na celebração presidida por dom Milton e concelebrada pelos padres Palmiro e Sebastião Marques, do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, o bispo recordou o episódio do encontro da imagem no Rio Paraíba do Sul, em 1717, por três pescadores e comentou sobre a ligação afetiva dos brasileiros com a Mãe Aparecida.
a
“Nós brasileiros temos uma história de amor com Nossa Senhora. Ela nos acompanhou desde o início e em Aparecida nos dá um sinal da sua presença, da sua continua intercessão por nós”, apontou dom Milton, destacando que Maria apostou a vida na Palavra de Deus e que os cristãos devem ter a coragem de testemunhar a fé e zelar pela criação de Deus.
a
Entre nós, o Rio Tietê tem história e um significado importante, está implicado no Tietê a vida das pessoas. Cuidar do rio, cuidar do meio ambiente, cuidar da vegetação é cuidar da vida e isso é consequência da nossa fé”, comentou dom Milton à reportagem.
a
“Se cremos que nada está perdido, também o Rio Tietê não está perdido. Se as nossas autoridades continuarem a se empenhar, se nós, população, cuidarmos deste rio, com as bençãos de Nossa Senhora Aparecida, as águas que parecem mortas poderão ressurgir e ser fonte de vida”, disse o bispo na homília.
a
Desde 1992, o governo do Estado de São Paulo conduz um projeto de despoluição do Rio Tietê. Em setembro deste ano, o executivo paulista sinalizou que em 2015 o rio já não será malcheiroso e poderá ter vida aquática na região metropolitana, por conta da ampliação do tratamento e coleta de esgoto.
a
Presente à missa, Alda Marco Antônio, vice-prefeita de São Paulo, garantiu que a capital já não lança mais esgoto doméstico no rio Tietê, mas outras cidades ainda o fazem e falta maior conscientização da população.
a
“É preciso haver uma grande campanha cultural para alertar as pessoas que a água do rio Tietê, embora esteja escura, é algo vivo, tem que ser protegida. Temos que atingir o pensamento das pessoas para que elas entendam que jogar alguma dentro do rio é contribuir para a morte do Rio”.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Brasilândia acolhe imagem da Mãe Peregrina

Por Anderson Braz e Lizete Lourenço
(Edição: Daniel Gomes)
a
A imagem de Nossa Senhora Mãe Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, Mãe Peregrina, esteve entre 29 de setembro e o último sábado, dia 6, em cinco paróquias da Região Brasilândia - Nossa Senhora da Conceição, São Judas Tadeu, Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora Mãe e Rainha e São José – e também no Santuário Sião do Jaraguá.
a
No santuário, no dia 6, dom Milton Kenan Júnior, bispo regional, presidiu a missa que marcou o fim da peregrinação da imagem na região, tendo por concelebrante o padre Vandemir Meister, reitor do santuário. Durante todo o dia, a imagem foi venerada por grande quantidade de peregrinos, que faziam suas preces, demonstrando carinho à Mãe Rainha.
a
O bispo, na homilia, ressaltou a importância da visita da imagem peregrina, recomendando que “deveríamos recebê-la como Nossa Mãe, com muito amor e carinho, cuidando dela, assim como o fez João, ao recebê-la aos pés da Cruz”.
a
No final da Eucaristia, num momento especial e marcante, os peregrinos participaram da oração do envio da imagem peregrina, para o Mosteiro de Santa Gema, na Diocese de Osasco, onde seguirá a peregrinação rumo ao Centenário da Aliança em Schoenstatt, que foi criada em 1914 pelo padre José Kentenich.
a
Os fiéis, emocionados, receberam a benção de dom Milton e partiram em carreata, enfeitada com bandeiras coloridas e com “buzinaço”, acompanhando o translado da imagem.
a
Por onde passou a imagem mobilizou os devotos. Na Paróquia Nossa Senhora Mãe e Rainha, em missa na noite da quarta-feira, 3, os fiéis junto ao padre Vladimir Anselmo da Silva, pároco, recordaram a visita ao bairro do Jaraguá do senhor João Luiz Pozzobon, disseminador das pequenas imagens da Mãe Peregrina no Brasil. 
a
O padre destacou a importância da Mãe Peregrina nos lares das famílias dos devotos. “Hoje nos dias em que novela ensina a perversão e a busca de lucro a qualquer custo, em que os valores familiares são suprimidos, a oração e a peregrinação desta que leva aos lares união e conciliação chega em boa hora em nossa região”, afirmou.
a
Silvia Braga, uma das organizadoras da vinda da imagem original da Mãe Peregrina para a Brasilândia, revelou: “Me emociona o carinho com que a mãe é recebida e uma festa em torno dela muito me alegra a continuar com a organização”.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Candidatos à Câmara expõem propostas à Brasilândia

Por Daniel Gomes, pela Pascom Brasilândia
a
Para conhecer e ouvir as propostas dos leigos católicos que concorrem ao Legislativo municipal, a Região Episcopal Brasilândia realizou na noite da quinta-feira, 27 de setembro, na Paróquia Santos Apóstolos, um encontro com sete candidatos a vereador, indicados para participar do evento por paróquias, padres, pastorais, movimentos e novas comunidades da região.
a
Cada um dos candidatos - Alex Mota (PSOL), Fátima Barbosa (PV), Giba Alvarez (PT), Lídia Correia (PPL), Mário Bortoto (PSOL), Williams Aris (PSOL) e Xoxó - Joares Américo (PPS) – teve três minutos para expor propostas e explicar de que maneira pretende legislar em prol da população de São Paulo e com atenção especial às demandas dos bairros que compõem a Região Brasilândia.
a
Desafios comuns nas áreas de saúde, educação (em especial o déficit de vagas em creches), transporte, habitação, segurança pública, acessibilidade, sustentabilidade ambiental, lazer e esporte foram mencionados pelos candidatos, que também apontaram que a Câmara Municipal precisa de renovação.
a
Os postulantes ao Legislativo paulistano ouviram as orientações que a Arquidiocese de São Paulo redigiu aos fiéis sobre o processo de voto consciente e também acolheram as palavras de dom Milton Kenan Júnior, bispo regional, sobre preocupações da Igreja com as posturas a serem adotadas pelos vereadores da próxima gestão, especialmente no que se refere à maior participação da sociedade civil nas decisões.
a
“Este deve ser o compromisso daqueles que se elegem à Câmara Municipal: garantir a participação da população nas decisões, na gestão pública, no orçamento público, garantir a participação nos conselhos paritários, na defesa dos direitos do cidadão. Que nós possamos passar de um regime de arbitrariedade para um regime de corresponsabilidade pública na defesa dos direitos da população”, disse o bispo em entrevista.
a
Na avaliação de Aguinaldo Lima, do Núcleo Regional da Cáritas na Brasilândia e um dos articuladores do debate, “os candidatos perceberam que o desafio é grande e que o caminho para encontrar soluções é a maneira participativa”, destacou, pontuando ainda que “a presença dos candidatos e a diversidade das propostas ajudam a uma escolha melhor e no processo de acompanhar os eleitos depois”.
a
Ao final do encontro, dom Milton pediu que os candidatos, se eleitos, prestem contas à população, periodicamente, sobre os compromissos que assumiram.
Ocorreu um erro neste gadget

Acessos