sábado, 29 de maio de 2010

Encontros paroquiais de leigos mobilizam a Região

por Daniel Gomes
colaboraram Conceição Fernandes, Célia Morau e padre Domingos Bragheto


Todas as paróquias e áreas paroquiais da Região Brasilândia irão realizar até este último fim de semana de maio, os encontros paroquiais de leigos, por ocasião do 1° Congresso Arquidiocesano de Leigos. Em cada paróquia, são esperadas as lideranças das pastorais, movimentos e comunidades, agentes sociais dos bairros e todos os católicos, praticantes ou não, dispostos a avaliar as atividades da Igreja e dos cristãos em São Paulo.

No setor Pereira Barreto, as área paroquial Santo Antônio e as paróquias Nossa Senhora das Dores, Cristo Libertador e São Luís Gonzaga, divulgaram a programação de seus encontros. Ambos serão iniciados com uma palestra sobre o significado do 1° Congresso Arquidiocesano de Leigos, que tem como tema “Cristãos leigos, discípulos e missionários na cidade de São Paulo".

As paróquias Nossa Senhora das Dores e Cristo Libertador e a área paroquial Santo Antônio realizam o encontro, em conjunto, no sábado, 29 de maio, a partir das 15h, na igreja Cristo Libertador. “É uma chance única para os leigos, depois não adianta reclamar das decisões da Igreja. Todo mundo quer ser como o sacerdote ou apóstolo, mas poucos assumem a função de discípulos missionários”, comenta Cosme Laurentina, ministra da palavra.

Na paróquia São Luís Gonzaga em Pirituba, o encontro dos leigos está marcado para domingo, 30 de maio, às 16h. A teóloga e educadora Darialva da Graça Linge falará aos presentes sobre a importância do Congresso e o padre Palmiro Carlos Paes fará o fechamento da atividade com a celebração de uma missa solene na qual haverá ainda a coroação de Nossa Senhora Aparecida.

Muitas paróquias da Região Brasilândia já realizaram o encontro com os leigos. Na noite de 18 de maio, 60 pessoas participaram da atividade na igreja Santa Cruz de Itaberaba, setor Freguesia do Ó. No encontro, os participantes exaltaram a maior participação dos jovens na vida da Igreja, mas lamentaram o pouco interesse dos leigos e a quantidade insuficiente de padres e leigos consagrados para evangelizar. Na opinião dos presentes os principais desafios da Igreja são: divulgar melhor as atividades que realiza; integrar as ações das pastorais; acolher bem as novas pessoas que chegam à Igreja; capacitar os fiéis sobre os direitos e deveres que têm na vida religiosa; estimular que os leigos vivam o evangelho também em casa e na família e que vão ao encontro dos que mais necessitam de justiça e igualdade social.

No setor Perus, o encontro dos leigos da paróquia São José aconteceu na tarde de 23 de maio, com a participação das lideranças que representam as 13 CEBs veiculadas à paróquia, as pastorais e os movimentos eclesiais. Inicialmente, a explicação dos objetivos e das etapas do Congresso foram feiras pelo diácono Antônio Campineiro e depois os presentes reuniram-se em dois grupos. “Todos debateram questões relativas à presença ou ausência da ação missionária dos leigos na paróquia e na cidade. O relato dos grupos será enviado à comissão regional do Congresso, que posteriormente a encaminhará para a Arquidiocese”, explica o pároco José Domingos Bragheto.

Outra paróquia que já realizou o encontro com os leigos é a São Judas Tadeu, setor Nova Esperança. Em 15 de maio, 115 pessoas reuniram-se no salão da igreja e receberam informações sobre o Congresso, através do padre Pedro Ricardo Pieroni e dos leigos José Sérgio, Carminha, Adila, Cidinha, Lurdes e Evani, que integram a comissão paroquial do Congresso. Houve atenção especial à explicação dos objetivos do Congresso e dos assuntos que serão tratados nas oficinas temáticas regionais a partir de junho.

Após realizarem os encontros paroquiais com os leigos, todas as igrejas devem enviar o relato e as reflexões de cada encontro para a comissão regional do Congresso. Saiba mais sobre o 1° Congresso Arquidiocesano de leigos em http://www.congressodeleigos.org.br/

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Brasilândia forma primeira turma do ETEP

por Juçara Terezinha, pela Pascom Brasilândia

Em clima de festa e compromisso com a Igreja, 90 lideranças leigas das comunidades de base, das pastorais e movimentos eclesiais da Região Episcopal Brasilândia celebraram no sábado,15 de maio, a formatura do ETEP, Escola de Teologia e Pastoral.

A missa ocorreu na Igreja Santos Apóstolos, Jardim Maracanã e foi presidida pelo cônego Antonio Manzatto e pelo padre José Roberto, assessor da comissão de formação de leigos regional. Também estavam presentes os padres José Aécio Cordeiro da paróquia Nossa Sra. das Graças, Anhanguera, padre Fábio Bezerra da Silva da área paroquial N. Senhora e Santa’Ana, padre Everton Fernandes Moraes, paróquia Nossa Sra. Aparecida, Vila Souza.

Durante o momento de acolhida aos formandos, familiares, lideranças e religiosos, o padre Antonio Leite Barbosa Junior, pároco da Igreja Santos Apóstolos, destacou a felicidade da Igreja na Região Brasilândia em celebrar a formatura de 90 lideranças leigas que durante dois anos, todas as sextas feiras, participaram assiduamente da formação no ETEP.

Na celebração eucarística, padre Manzato fez a apresentação da equipe regional que durante dois anos coordenou o curso com muita competência e dedicação. A equipe é formada por padres, diáconos, leigas e leigos. Manzatto apresentou a professora Rosana Manzini, que estava representando os professores da Faculdade Assunção. Em seguida fez a apresentação, nome a nome, dos 90 formandos. A emoção estava estampada no rosto de cada um deles. Mulheres, homens, jovens comprometidos com o Reino de Deus lotaram o presbitério da Igreja. Em resposta a assembléia os acolheu com uma calorosa salva de palmas.

Durante a homilia Manzato falou que a Igreja da Brasilândia sempre teve uma preocupação com a formação dos leigos e leigas. Lembrou do ITEBRA, que funciona há mais de 18anos e cumpre a função de fazer a formação teológica, bíblica, pastoral e eclesial. Ele ponderou que a Escola de Teologia e Pastoral foi pensada para ajudar no aprofundamento dos leigos. "Hoje estamos colhendo os primeiros frutos desta nova etapa. É um momento de ação de graças porque mesmo sem recursos o curso foi um sucesso”, disse Manzatto que também destacou o apoio dos padres, religiosas, diáconos e de todo o povo de Deus para o sucesso do curso.

No final, depois dos agradecimentos, professora Rosana, falou da sua alegria de ter vivenciado esses dois anos com lideranças comprometidas com a justiça social e com a causa dos pequenos. “ Este processo me fez voltar a minha matriz teológica, as minhas origens e sou muito grata a cada um de vocês", exaltou.

O momento do compromisso aconteceu com a entrada da Mãe padroeira da América Latina, Nossa Senhora Aparecida. Um grande rio foi formado no centro da Igreja pelos formandos que acolheram Nossa Senhora. Depois da benção final, houve a entrega dos certificados. Por fim, diácono Franco fez memória da caminhada do curso e destacou que aquele momento era de renovação dos compromissos com Deus e chamou, pelo nome, cada um dos formados para dar-lhes um caloroso abraço e entregar o certificado.

sábado, 15 de maio de 2010

Igreja sinaliza para o fim do uso de projetores multimídia nas missas

por Daniel Gomes, pela Pascom Brasilândia

No mês em que a Igreja celebra o 44° Dia Mundial das Comunicações Sociais, em 16 de maio, sob o tema “O padre e as pastoral no mundo digital: novos meios de comunicação a serviço da palavra”, a Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da CNBB, apresenta um documento que aponta para o fim do uso de projetores multimídia nas missas e celebrações.

As recomendações foram expostas na 48ª Assembléia Geral da CNBB, em Brasília e repassadas em carta aos presbíteros, com a assinatura de dom Joviano de Lima Júnior (arcebispo de Ribeirão Preto – SP), dom Fernando Panico (bispo de Crato – CE) e dom Sérgio Aparecido Colombo (bispo de Bragança Paulista – SP).

Apesar de o uso de projetores multimídia ser uma realidade distante da maior parte das comunidades da Região Brasilândia – o recurso mais utilizado, em especial para a visualização de músicas ainda é o retroprojetor e nas comunidades mais carentes uma das alternativas é escrever a música em cartolinas – o equipamento tem ganhado a cada dia mais utilidade nas paróquias e comunidades da Igreja em todo mundo, especialmente para a projeção de cantos, orações, leituras bíblicas e até esquematização de homílias. Os defensores dos projetores multimídia alegam que é um recurso prático, chamativo aos fieis e benéfico sob as óticas financeira e ecológica, pois ajuda a economizar papéis com folhetos e livros de cantos, por exemplo.

Embora haja essas vantagens, o documento da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da CNBB problematiza que o uso de projeções multimídia tem interferido no envolvimento dos fiéis na liturgia e feito com que desviem o foco de dois elementos centrais da missa: a mesa da Palavra e a mesa da Eucaristia.

No documento, a CNBB alerta que “...não convém que a assembléia acompanhe o texto da oração eucarística, seja ele impresso ou projetado, mas, com os olhos voltados para o altar, ouça a voz do presidente que proclama a solene ação de graças. Neste momento, não pode a assembléia centrar-se em imagens ou filmes projetados no telão. As aclamações da assembléia poderiam ser proferidas ou cantadas pelo diácono ou outro ministro e repetidas pelo povo” e ainda complementa que “...estaria muito mais de acordo com a natureza da liturgia a assembléia voltar-se para o ambão, com olhos e ouvidos atentos ao ministro que proclama a Palavra ‘em voz alta e distinta’ (cf. IGMR 38), em vez de acompanhá-la com os olhos fixos num texto impresso ou em projeções no telão”, recomenda o texto.

Os autores do documento justificam as recomendações com base em outras diretrizes da Igreja, segundo as quais o presidente da celebração, ao proclamar a palavra e ao presidir a eucaristia, assume a função e as ações do próprio Cristo. “Imagens projetadas durante a celebração desviam a nossa atenção da ação de Jesus Cristo, aqui e agora, na própria ação ritual. Além disso, sendo o filme, ou vídeo, um acontecimento em si mesmo, não se destina a ilustrar outro acontecimento que é o mistério de Cristo e da Igreja na própria ação ritual em ato”, diz outro trecho.

Em outras partes do documento, o projetor multimídia é apontado com elemento estranho ao espaço celebrativo e dificultador das ações sagradas e da ativa participação dos fiéis na liturgia. Apesar das fortes considerações, o documento não impede o uso dessa tecnologia para momentos de formação e evangelização.

Música litúrgica e missas de cura e libertação

O documento apresentado em 13 de maio na Assembléia Geral da CNBB também faz ponderações sobre o uso da música na liturgia e a realização das missas de cura e libertação. Sobre as músicas, pede-se que não sejam vistas apenas como um acessório da celebração, mas sim como elemento de natureza sacramental e de oração, estando inserida em um tempo litúrgico e em sintonia com a palavra de Deus. “Nem toda a música religiosa presta-se para o momento ritual. Há uma forte tendência em escolher uma música apenas por ser bela ou por ser conhecida pelo povo, mas com um texto deslocado do momento ritual”, alerta do documento.

Em relação às chamadas missas de cura e libertação, a CNBB orienta que estas devem ser celebradas em horários especiais e com finalidades específicas de obter de Deus a cura e libertação de doenças. Os bispos do Brasil objetivam apresentar até 2011 as diretrizes para a realização de tais missas, buscando responder os inúmeros questionamentos de diversas alas da Igreja, que criticam o aspecto reducionista, utilitarista e mágico dado a algumas dessas celebrações e defendem que o momento de cura e libertação já está contemplado nos ritos de benção dos enfermos.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Congresso de Leigos: 13 oficinas temáticas já estão definidas na Região Brasilândia

Daniel Gomes, pela Pascom Brasilândia

Entre os meses de junho e agosto, os leigos das seis regiões episcopais da Arquidiocese de São Paulo participarão de oficinas temáticas referentes ao 1° Congresso Arquidiocesano de Leigos. Na região Brasilândia, estão programadas 15 oficinas, 13 das quais já confirmadas em diferentes locais como paróquias, conventos, hospitais e associações sociais.

A primeira oficina acontece em 05 de junho, com a temática da vida e missão do leigo na perspectiva da saúde. Ao longo dos três meses serão abordadas outras dimensões da presença do leigo católico no mundo do trabalho, das responsabilidades públicas, animação da comunidade eclesial, comunicação social, iniciação cristã, juventude, família, educação, meio ambiente/ecologia, promoção da caridade, ação missionária, anúncio querigmático de Jesus Cristo, problemas da cidade e justiça e solidariedade.

As oficinas temáticas são parte fundamental do 1° Congresso Arquidiocesano de Leigos e “se apresentam como oportunidade de reflexão sobre temas de grande importância para a vida da Igreja e sua presença na cidade de São Paulo”, aponta o artigo 23 do Manual do Congresso.

Em cada uma das oficinas temáticas regionais será elaborada uma síntese de reflexões e propostas, as quais tomarão parte das discussões das oficinas arquidiocesanas a serem realizadas entre setembro e outubro. Essas reflexões devem levar em consideração as diretrizes da Pastoral Arquidiocesana, da CNBB, do Documento de Aparecida e do 10° Plano de Pastoral da Arquidiocese. Nas oficinas regionais haverá ainda a elaboração de projetos missionários que de verão ser conduzidos pelos leigos.

Confira a seguir os dias e locais das oficinas temáticas na Região Episcopal Brasilândia. Informações complementares podem ser obtidas na Cúria através do telefone 3924-0020 ou pelo e-mail pastbrasilandia@uol.com.br


Oficinas temáticas do Congresso de Leigos - Brasilândia

JUNHO

Tema: Saúde
05 de junho – das 9h às 12h
Responsável: padre Jorge e equipe
Local: Hospital Vila Penteado
(Av. Ministro Petrônio Portela, 1.746).

Tema: Mundo do Trabalho
18 de junho – das 20h às 22h
Responsável: padre Bragheto e equipe
Local: Paróquia São José
(Rua João Jacinto de Mendonça, 134).

Tema: Responsabilidades Públicas
19 de junho – das 9h às 12h
Responsável: padre Daniel e equipe
Local: Paróquia Santo Antônio
(Rua Parapuã, 1.903).

Tema: Animação da Comunidade Eclesial
26 de junho – das 14h às 16h30
Responsável: padre José Renato e equipe
Local: Cúria Regional
(Rua Rodrigues Blandy, 55).

JULHO

Tema: Comunicação Social
03 de julho – das 14h às 16h30
Responsável: padre Cilto e equipe
Local: Associação Cantareira
(Rua Jorge Pires Ramalho, 71).

Tema: Iniciação Cristã
04 de julho – das 14h às 16h30
Responsável: padres Fábio e Airton e equipe
Local: A definir.

Tema: Juventude
De 19 a 22 de julho – das 20h às 22h
Responsável: padre Beto e equipe
Local: Setores regionais.

Tema: Família
28 de julho – das 20h às 22h
Responsável: dom Milton, Paulo e Francineide
Local: Paróquia Nossa Senhora Mãe de Deus
(Rua Manoel de Arzão, 85).

Tema: Educação
31 de julho – das 9h às 12h
Responsável: diácono Franco
Local: Convento Santa Lúcia Filippini
(Rua Mestras Pias Filippini, 26).

Tema: Meio Ambiente/ Ecologia
31 de julho – das 14h às 16h30
Responsável: Padre Tchê e equipe
Local: Paróquia Nossa Senhora da Expectação
(Largo da Matriz Nossa Senhora do Ó, s/n°).

AGOSTO

Tema: Promoção da Caridade
07 de agosto – das 9h às 12h
Responsável: padre Carlos e equipe
Local: Paróquia Santos Apóstolos
(Av Itaberaba, 3.907).

Tema: Leigo sujeito da missão (A CONFIRMAR)
13 de agosto – das 20h às 22h
Responsável: dom Angélico, ITEBRA e ETEP (a confirmar)
Local: Paróquia Santos Apóstolos
(Av Itaberaba, 3.907).

Tema: Anúncio Querigmático
14 de agosto – das 14h às 16h30
Responsável: padre Palmiro, Novas Comunidades e Movimentos
Local: Paróquia São Luiz Gonzaga
(Praça Dom Pedro Fulco Morvidi, 1).

Tema: Problemas da Cidade
21 de agosto – das 14h às 16h30
Responsável: padre Aécio e equipe
Local: Paróquia Santos Apóstolos
(Av Itaberaba, 3.907).

Tema: Justiça e Solidariedade Social (A CONFIRMAR)
Data, local e responsável: a definir.

sábado, 1 de maio de 2010

Pastoral da Ecologia enfoca consumo consciente

Por Juçara Terezinha, pela Pascom Brasilândia

A segunda reunião de 2010 da equipe regional da Pastoral da Ecologia, que aconteceu dia 17 de abril no salão da Igreja Santo Apóstolos, definiu propostas de ação para este ano e abordou a temática do consumo consciente.

Marcos Meneses, engenheiro ambiental, desenvolveu com os participantes uma linha de raciocínio sobre necessidade de garantir para as gerações futuras um ambiente sustentável. Marcos ressaltou a importância de cuidar da água, da natureza e do meio ambiente, para que se garanta a vivência em um planeta saudável.

Diversas questões relacionadas aos problemas ambientais da Região foram apontadas pelos participantes durante o encontro. Um dos problemas mais que mais preocupa é a questão do lixo. A ausência de uma política de coleta seletiva, acompanhada de um trabalho de educação ambiental, tem colocado em risco a qualidade de vida. O aumento da produção do lixo e a má destinação destes materiais é uma preocupação dos agentes da Pastoral da Ecologia.

Edir Morato, coordenador da Pastoral na Região, apontou que o principal desafio do momento é fazer um diagnóstico local para conhecer as iniciativas de redução da poluição e as experiências de reciclagem que existem nas comunidades da Brasilândia.

Para continuar esse trabalho de mapeamento e consolidação da equipe, já está agendada a próxima reunião da Pastoral da Ecologia para sábado, 29 de maio, às 15h, no salão da Igreja Santos Apóstolos (Avenida Itaberaba 3.907- Jardim Maracanã). Outras informações na Cúria Regional, pelo telefone 3924-0020.
Ocorreu um erro neste gadget

Acessos