quinta-feira, 11 de abril de 2013

Brasilândia lembra jovens assassinados

Renata Moraes (apuração); Daniel Gomes (texto) - pela Pascom Brasilândia
a
"Quantas vezes mais? quantos jovens mais? Nós, jovens, queremos vida em abundância, vida e dignidade, vida e esperança, estamos cansados, exaustos, de perder amigos, familiares, irmãos. Não serão os bandidos, não serão as milícias que cessarão nossa sede de Cristo, nossa sede de amor. É necessário repensarmos, questionarmos e nos posicionarmos a favor da vida, para que não tenhamos mais vítimas, como tantos adrianos e vinicius, que são abatidos por tão pouco”.
a
A mensagem lida por integrantes da Pastoral da Juventude da Região Brasilândia sintetiza o sentimento predominante na missa de 7º Dia dos jovens Vinicius do Nascimento Lima, 14 anos, e Adriano Ferreira Pessoa, 20 anos, assassinados na noite de 27 de março, no Parque Belém, nas proximidades da Paróquia Espírito Santo, na periferia da zona noroeste.
a
A missa foi celebrada na mesma paróquia na quarta-feira, dia 3, presidida por dom Milton Kenan Júnior, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região Brasilândia, e concelebrada por dom Angélico Sândalo Bernardino, bispo emérito de Blumenau (SC) e pelo pároco, padre Jaime Estevão Gomes.
a
Durante a celebração, foi recordado o contexto da morte dos jovens: Vinicius conversava com um grupo de amigos, quando dois homens em uma moto passaram atirando pela rua Nícia Patrícia Coutinho. Uma das balas o atingiu fatalmente e outra acertou Adriano, que passeava de bicicleta pelo local.  
a
Dom Milton expressou sua solidariedade às famílias dos jovens assassinados, apontou que todos devem lutar pela paz, pois o plano de Jesus é que a humanidade tenha vida em abundância, e lembrou que todos os moradores do bairro estão aflitos com as situações de violência.
a
O Bispo comentou ainda que ao saber da notícia do assassinato, o secretário estadual de Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, prometeu empenho nas investigações e propôs que a paróquia crie uma comissão para ajudar a secretaria a identificar as raízes das situações de violência que assolam o bairro desde novembro do ano passado. O secretário foi representado na celebração por seu assessor, o promotor Eduardo Dias.
a
Dom Angélico, ao final da missa, abraçou os pais e irmãos dos jovens assassinados e estimulou toda a assembleia a não se intimidar diante da violência. “Nada de ficar de cabeça baixa. A pior coisa é o povo ficar com medo, com receio. Eu mesmo já fui assaltado duas vezes nesta cidade, certa vez até coronhada na cabeça eu levei. Onde está a fábrica de tanta violência, criminalidade? Muitas vezes, isso começa pela educação. Os jovens hoje entram na escola às oito da manhã e saem ao meio dia. É pouco. É preciso investir em educação, em transporte, em melhorias para a periferia”, destacou o bispo emérito, estimulando a população a participar dos conselhos de representantes dos equipamentos públicos.
a
Em entrevista, padre Jaime comentou que tem recebido apoio do clero da Brasilândia e em especial de dom Milton e dom Angélico para prosseguir com as atividades pastorais no bairro e também lembrou que o bispo regional tem intermediado as conversas com a Secretaria de Segurança Pública para que se chegue a medidas práticas diante do desafio da violência.
a
“Todo este cenário de violência, atentados, nos leva a refletir sobre a necessidade de renovar a nossa fidelidade ao Deus da vida, rezando estes acontecimentos não como derrotas, e sim como elementos do cotidiano, que nos levam a saudar o Deus da Vida, e ver a necessidade de esse Deus acolhedor, carinhoso e de esperança ser apresentado aos outros jovens”, refletiu o pároco. 

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Acessos