sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Brasilândia recebe 1° Missão Jovem Arquidiocesana da PJ

Por Daniel Gomes, pela Pascom Brasilândia

Pelos morros, becos escorregadios e córregos a céu aberto que caracterizam as áreas mais carentes dos bairros Jardim Vista Alegre, Jardim Paraná e Elisa Maria, cerca de 100 jovens das seis regiões episcopais da Arquidiocese de São Paulo participaram da 1° Missão Jovem Arquidiocesana da Pastoral da Juventude (PJ), nos dias 8 e 9.

A proposta foi de mapear a realidade social e religiosa das famílias carentes e motivá-las a uma conversão pessoal e pastoral. Vindos da Paróquia Santíssima Trindade, da Região Belém, Milena Bispo de Sousa, 14 anos, e Abel Martins, 28 anos, visitaram muitas famílias, entre as quais a de William dos Santos e Joana D´Arc, que há sete anos vive em um barraco de madeira no Jardim Paraná.

Joana raramente vai à Igreja, e para ela, igreja é sinônimo de ida à missa ou a cultos evangélicos. William não a acompanha, mas elogia o empenho da mulher, enquanto lamenta a dependência de um vício: “Tento parar de beber, mas não consigo, quero mudar, mas preciso de ajuda”.

Milena e Abel anotaram todos os anseios daquela família, assim como o fizeram os demais jovens que enfrentaram a chuva e a lama daquele fim de semana. Na visita a cerca de 250 casas, ouviram reclamações sobre os serviços de saneamento básico e energia elétrica, relatos de incerteza sobre o destino que terão com a construção do trecho norte do Rodoanel, confidências de vítimas de violência física e sexual, lamento de deficientes físicos pela falta de acessibilidade nos bairros, e ainda constataram que muitos jovens estão distantes da Igreja.

“Conseguimos levar Cristo para as famílias. As pessoas estão fechadas nessa realidade e nós tentamos fazer com que eles conhecessem mais a Igreja. Com a nossa chegada, espero que lutem mais pelo que precisam”, avalia Milena.

Os dados foram repassados à Paróquia Imaculado Coração de Maria, Setor Nova Esperança, que atende os fiéis desses bairros e de outros da zona noroeste, através de 11 comunidades.

“A missão veio nos ajudar a entrar em algumas regiões da paróquia em que estamos com dificuldade justamente pela falta de agentes pastorais. Pedimos aos missionários que catalogassem nomes e destacassem as necessidades de atendimento especial para que direcionemos às pastorais já existentes e assim essas pessoas possam ser acolhidas pela Igreja”, explicou padre Antônio Florentino Cesar Neto (Toninho), pároco.

No domingo, à tarde, os jovens missionários e as 90 famílias que os acolheram uniram-se aos paroquianos na Escola Estadual Flamínio Fávero para participar da animada missa de encerramento das missões, presidida por dom Tarcísio Scaramusa, bispo referencial do Setor Juventude na Arquidiocese.

Ao mencionar o tema da missão “O amor de Cristo é que nos impulsiona”, dom Tarcísio lembrou que os cristãos são chamados a missão todos os dias e devem anunciar um projeto de vida centrado em Deus. “A missão vai continuar em outros momentos e realidades porque nós devemos anunciar que Deus quer que todos participem do banquete da vida, que todos tenham vida”, disse.

Ao final da missa, Anderson Bueno e Leandro Batista, da PJ da Brasilândia, apresentaram um foto-documentário com as atividades realizadas na missão, que para muitos deixou marcas profundas e o desejo de permanecer em missão.

“Foi uma experiência única conhecer a realidade dessas pessoas. Percebemos que elas são realmente esquecidas pelo poder público. Vi um contexto de miséria, pobreza, e pude me questionar sobre qual o nosso papel de Igreja diante da realidade gritante que encontramos”, comentou Flávia Zaurisio, 24 anos, da Região Santana.

“Estamos levantando uma bandeira agora para ver se a gente consegue mudar a vida de muitos jovens. Se não for pela Palavra de Deus, é muito difícil. Quando as pessoas estão firmadas na rocha que é Jesus, as coisas fluem melhor”, comentou Alex de Souza, 21 anos, atuante na Comunidade Nossa Senhora das Dores, da Paróquia Imaculado Coração de Maria.

Um comentário:

Anônimo disse...

meu nome é Amanda,do setor perus(rgião brasilandia)..particularmente, poder ter participado de tudo isso foi muito bom para mim, acredito que para todos...essa missão não foi apenas para os jovens abrirem seus olhos para ver o que acontece ao seu redor, mas tambem abrirem seu coração para tentar melhorar a realidade de cada familia que visitamos e de tantas outras que não pudemos ter a oportunidade de conhecer... e tenho muito a agradecer a todos que acolheram nossos jovens com muito carinho.e agradeço a familia da Raquel que me acolheu tão bem..
obrigada

Ocorreu um erro neste gadget

Acessos