sexta-feira, 16 de maio de 2008

Reflexões sobre a comunicação

A Pascom Brasilândia, em parceria com o Vicariato da Comunicação, promove em maio o curso “Técnicas de Comunicação Litúrgica”. A atividade acontece no sábado, dia 24, na paróquia Nossa Senhora Aparecida, localizada na rua Luciano D´Amore, 47, Vila Souza.

Os interessados em participar da atividade devem enviar a inscrição até o dia 22 de maio, quinta-feira, através do e-mail pascombrasilandia@uol.com.br. O curso é gratuito, mas só os inscritos poderão participar e ter certificado.

Com vistas a introduzir as reflexões do curso, publicamos a seguir uma breve análise sobre a essência da comunicação. O texto foi escrito pelo assessor do curso de “Técnicas de Comunicação Litúrgica”, o jornalista e padre Cilto José Rosembach.


Falando de Comunicação

A comunicação é uma das necessidades básicas do ser humano. É por meio da comunicação verbal ou não verbal que as pessoas interagem entre si e constroem a sociedade. Assim, não existe sociedade sem comunicação. Ela é o fio condutor que perpassa pessoas, grupos sociais e instituições e possibilita a construção do que chamamos de cultura.

Comunicação: uma experiência antropológica (humana)

A comunicação é, em primeiro lugar, uma experiência antropológica fundamental, cujo significado está no próprio termo. Seu primeiro sentido, promovido do latim, ao século XII(1160) e remete à idéia de comunhão, partilha. A comunicação é sempre a busca do outro e de um compartilhar. Contudo, por mais que a palavra comunicação esteja na moda, nem sempre as pessoas participam de maneira satisfatória desse processo, particularmente na relação interpessoal, chegando, às vezes, a mal-entendidos.

Não basta querer interagir. Se alguém não consegue expressar seus pensamentos e sentimentos de maneira inteligível ao interlocutor, a comunicação pode fracassar. Comunicar também não é só emitir mensagens, mas estar receptivo para receber e interpretar o que o outro tem para dizer. Ou seja, o bom comunicador não é aquele que fala muito, mas o que fala o necessário escuta com atenção, a fim de dar a resposta adequada para criar “interação”.

Nesse sentido, a escuta é um elemento importante no processo comunicativo. Escutar não se reduz a “ouvir”. Podemos ouvir um barulho, uma voz, uma mensagem e não nos importar com seu significado. Escutar, ao contrário, é dar atenção e buscar conferir um significado não só à mensagem recebida, mas também à pessoa que transmite o seu conteúdo. Escutar é perceber o outro na sua situação. Para isso é necessário vencer o desejo de dar respostas sem antes “escutar” ou esperar que o interlocutor termine de dizer totalmente o que pensa. A comunicação é tão importante, que podemos afirmar que dela depende a qualidade de nossas relações humanas.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Acessos