sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Paróquia Mãe Rainha incentiva padaria comunitária

Por Juçara Terezinha Zottis, jornalista e integrante da Pascom Brasilândia

Com objetivo de proporcionar trabalho e renda, um grupo de mulheres mantém o projeto de uma padaria comunitária que funciona no espaço da Igreja Nossa Senhora Mãe e Rainha, do Jardim Panamericano, setor Jaraguá.

O projeto da padaria é fruto da experiência de um grupo de mulheres que durante algum tempo desenvolveu um trabalho de coleta de materiais para reciclagem no pátio da Igreja, mas devido à falta de espaço físico adequado, o projeto teve que parar. Ainda animadas, as participantes decidiram criar o projeto da padaria, que se transformou em realidade graças ao apoio da comunidade e do padre Vladimir Anselmo Silva.

As mulheres do grupo possuem muitas coisas em comum: idades entre 30 á 65 anos, a maioria está desempregada, são donas de casa e algumas, com problemas de saúde, não conseguem colocação no mercado de trabalho formal. Todas participam de alguma atividade na comunidade: Pastoral da Criança, Dizimo, da Saúde, da Terceira Idade, outras no Ministério da Música.

“Hoje somos 13 mulheres que atuam na padaria e a organização dos trabalhos é feita conforme a vocação de cada uma. Ou seja, quem tem o dom para a venda, fica nas vendas, quem tem jeito para a produção fica na produção. Na produção são quatro mulheres, que iniciam as atividades às 7h da manhã, até 13h. A equipe de venda é composta por sete mulheres, que atuam das 13h às 17h. Além disso, há duas integrantes que auxiliam na cozinha e garantem a limpeza do espaço”, conta emocionada Célia Cristina, da equipe de produção.

O grupo trabalha duas vezes por semana. Mas há demanda para mais dias. O desafio é conseguir um transporte para auxiliar nas vendas. “Temos capacidade para produzir quatro vezes mais o que esta sendo produzido, mas a dificuldade está na entrega. Hoje tudo é feito a pé. Quando chove ou faz sol muito quente, as vendas ficam prejudicadas. O projeto tem como proposta ter pontos fixos de vendas nas comunidades. Muita gente solicita, liga querendo os nossos Pães e Bolos, mas somos obrigadas a recusar os pedidos por que não temos condições de fazer as entregas”, lamenta Célia. O projeto é também um espaço de terapia ocupacional. “Quando alguém está com alguma dificuldade seja de saúde ou familiar, aqui é o lugar do desabafo, é um espaço de terapia”, comenta Quitéria Lopes.

O projeto padaria está aberto para novos parceiros e aceita encomenda de pães. Outras informações com Célia Cristina pelo telefone 3942-6718.

Veja fotos do Projeto Padaria na paróquia N. Sra Mãe e Rainha.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Acessos