sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Buracos e caos na Avenida Cantídio Sampaio

Por Daniel Gomes, jornalista e moderador do Blog da Pascom

As intensas chuvas que assolam São Paulo em janeiro provocam diariamente o surgimento de mais de dois buracos nas ruas da cidade. Nesta semana, o Blog da Pascom acompanhou o estado caótico do asfalto da Avenida Deputado Cantídio Sampaio, uma das principais vias da Região Brasilândia.

O pior trecho da via está entre os bairros do Jardim Damasceno e Jardim Carumbé, próximo às obras da Estação Elevatória de Água Guaraú-Jaraguá. Há mais de duas semanas o asfalto está “um queijo suíço”. Os buracos, em diversos pontos, obrigam os motoristas a reduzir a velocidade drasticamente, provocando congestionamentos quilométricos nos dois sentidos e atrasos superiores a 30 minutos no tempo de percurso.

Outros pontos da avenida também apresentam buracos, alguns próximos a pontos de ônibus. Em alguns casos, esses buracos permanecem repletos de água por muitos dias e não são raras às vezes nos quais as rodas de carros e ônibus “levantam a água” que suja, prejudica e constrange àqueles que aguardam o transporte coletivo nos pontos.

A prefeitura de São Paulo pouco tem agido para a resolução do problema, e quando busca resolvê-lo opta em tapar os buracos, ao invés de recapear a via. O mais curioso é que a atual administração do município já teve provas concretas de que recapear é a medida mais eficaz e barata. Em 2007, a prefeitura investiu R$ 4,6 milhões em recapeamento, e evitou o surgimento de aproximadamente 65 mil buracos. Na prática, a cada buraco que deixa de surgir nas ruas, São Paulo economiza R$ 70,00.

Se recapear é a solução mais eficaz, não há explicação lógica para que de janeiro a julho de 2009, tenha havido o recapeamento de apenas 14,05 Km de vias, valor abaixo da média de 222 km/ano recapeado nos três anos anteriores, conforme informações do jornal O Estado de São Paulo.

Em março de 2007, a atual administração anunciou um programa de recapeamento para diversos pontos da cidade, incluindo obras na Avenida Deputado Cantídio Sampaio, entre os trechos da Avenida Henry Charles Potel e Raimundo Pereira de Magalhães. Parte do recapeamento foi efetuado parcialmente, como se pode inferir a partir do trecho esburacado nas proximidades da Estação Elevatória de Água.

E não são apenas os buracos que provocam problemas no trânsito da Avenida. As dimensões estreitas da via e os verdadeiros gargalos estruturais em alguns trechos são notórios. Nas proximidades do Jardim Guarani, no entroncamento da avenida com a rua Santa Cruz da Conceição, um ponto movimentado de passageiros trava o trânsito no sentido Taipas-Cachoeirinha. Como não há ponto seguro para ultrapassagem, os motoristas precisam esperar a circulação dos coletivos para seguir o percurso.

Nesse caso específico, o exemplo a seguir para a solução do problema está na própria avenida. Nas proximidades da E.E Walfredo Arantes Caldas há mais de dez anos existe uma “via de recuo” para a entrada dos ônibus nos pontos de passageiros. Nas laterais do ponto citado anteriormente (nas proximidades do Jardim Guarani) há espaço suficiente para a construção de uma “via de recuo”, medida que poderá atenuar o martírio diário de motoristas, moradores e usuários de transporte público que utilizam a avenida.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Acessos