sábado, 2 de janeiro de 2010

"In Manus Tuas": dom Milton é da Brasilândia

Por Daniel Gomes, jornalista e integrante da Pascom Brasilândia

Nem o tempo nublado, tampouco a emenda do feriado prolongado impediram que mais de 50 padres, religiosas e fiéis da Região Brasilândia rumassem no domingo, 27 de dezembro, para Jaboticabal - cidade a 370 km de São Paulo - para a ordenação episcopal do monsenhor Milton Kenan Júnior, futuro bispo auxiliar da Região Episcopal Brasilândia.

A ordenação, realizada no ginásio Alberto Bottino, diante de quase três mil pessoas, foi marcada por muita emoção e compromissos do novo bispo com a Igreja Católica. Em um dos momentos mais emocionantes, dom Milton, já ordenado bispo, saudou os presentes ao lado de dom Odilo. Houve comoção geral também quando o novo bispo acolheu seus pais no altar e deu a volta em todo o ginásio para abençoar os fiéis.

Dom Odilo Pedro Scherer, cardeal arcebispo de São Paulo, e presidente da missa, destacou as atribuições do novo bispo junto à Arquidiocese. "Monsenhor Milton, nós estamos muito felizes a agradecidos a Deus porque a Arquidiocese de São Paulo recebe o senhor bispo como auxiliar do grande rebanho de Deus. Nos ajude com sua dedicação, para tomar conta, junto com os demais bispos auxiliares, desse grande rebanho de Deus na Arquidiocese de São Paulo. Deus o chamou. ELE o guiará, o protegerá e o fortalecerá. Que a mão de Deus esteja sempre com você e sobre você", desejou. Durante a missa, o cardeal agradeceu aos pais do novo bispo, ao papa Bento XVI e a octogenária (80 anos) Diocese de Jaboticabal pela vocação de dom Milton.

O rito de ordenação episcopal começou com a entoação em latim do canto Veni Creator Spiritius. Os atos seguintes foram: a apresentação do eleito, leitura da bula papal, homília, propósito do eleito (quando dom Odilo questionou monsenhor Milton sobre nove propósitos), ladainha de todos os santos, imposição das mãos, prece de ordenação, unção da cabeça de dom Milton com o santo óleo da crisma, entregas do livro do evangelho, anel de bispo, mitra e báculo pastoral, e saudação da paz.

Na sequência, foram procedidos os ritos comuns de uma missa dominical. Após a partilha da comunhão, dom Milton falou pela primeira vez como bispo. Ele agradece sua nomeação pelo papa Bento XVI e a confiança de dom Odilo. Lembrou-se dos bispos e de todo o clero da Diocese de Jaboticabal, agradeceu os católicos de sua cidade natal, Taiúva (na região de Ribeirão Preto), e aos paroquianos das igrejas pelas quais passou: São João Batista e Nossa Senhora Aparecida, em Bebedouro; e São Benedito e Nossa Senhora do Carmo, em Jaboticabal.

Dom Milton deixou uma mensagem de otimismo e comprometimento para a Região Brasilândia. "Sou grato a Deus e a dom Odilo pela minha nomeação como vigário episcopal da Região Episcopal Brasilândia (intensos aplausos). Embora não os conheça de perto, já os tenho no coração e nas minhas orações. Posso imaginar a luta que enfrenta a grande periferia da cidade de São Paulo para fazer do evangelho a força de Deus para salvar aqueles que o acolhem. Desde já, minha oração e afeto a todo o clero e povo da Arquidiocese de São Paulo. Vamos caminhar juntos inspirando-nos no testemunho daqueles que nos precederam no serviço do evangelho".

O novo bispo lembrou-se dos santos e mártires que lhe servirão de exemplo. "Em tuas mãos, Senhor, é o lema que escolhi para o meu ministério episcopal, inspirando-me no abandono confiante de Santa Tereza do Menino Jesus e no exemplo profético que nos legou dom Helder Câmara, cujo centenário de nascimento comemoramos em 2009. Coloco-me inteiramente nas mãos de Deus que é pai, pedindo que ele se sirva de mim como seu instrumento para a realização da sua vontade".

Dom Milton Kenan Júnior, 46 anos, será apresentado como bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo, em 25 de janeiro, às 10h, na Catedral Sé, e assumirá a função de vigário episcopal da Região Brasilândia, em 06 de fevereiro, em missa, às 15h, na paróquia São Luis Gonzaga, em Pirituba.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Acessos