sexta-feira, 3 de junho de 2011

Brasilândia: na era digital e pelo anúncio de vida

Por Daniel Gomes, pela Pascom Brasilândia

A Igreja celebra no domingo, 05 de junho, na festa da Ascensão do Senhor, o 45° Dia Mundial das Comunicações Sociais. Este ano, a data é motivada pelo papa Bento 16, com as reflexões da mensagem “Verdade, anúncio de vida, na era digital”, direcionada a todos os cristãos católicos que se fazem online no mundo digital.

Na mensagem, Bento 16 mostra convicção de que as novas tecnologias pela web causaram uma ampla transformação cultural e não apenas uma mudança na forma de se comunicar e que nesse novo contexto, “as novas tecnologias da comunicação pedem para ser postas ao serviço do bem integral da pessoa e da humanidade inteira. Usadas sabiamente, podem contribuir para satisfazer o desejo de sentido, de verdade e unidade que permanece a aspiração mais profunda do ser humano”, reflete o papa.

Persistentes e aceitando novos desafios, os agentes da pastoral da comunicação (Pascom) atuantes em comunidades, paróquias e setores da Região Brasilândia têm feito sua parte no anúncio de vida e no caminho da verdade na era digital, mesmo que para isso precisem driblar, em alguns casos e locais, a falta de computadores e a lenta conexão de internet na periferia: sim, ainda há paróquia sem computador e a internet banda larga é um projeto distante nos extremos periféricos da Brasilândia.

Só que “esse povo da comunicação da Brasilândia” – referência que se faz aos agentes de Pascom de região em encontros arquidiocesanos, regionais e nacionais - não vive de lamentações, mas se motiva por desafios: exemplo concreto é a proliferação de blogs de paróquias, movimentos e pastorais, que a Pascombras tem acompanhado, e por vezes, assessorado, desde 2008.

Mais interessante ainda é verificar como algumas práticas estão em sintonia com o que propõe o papa na mensagem deste ano. Bento 16, por exemplo, alerta, especialmente aos jovens, que ao estarem presente nos espaços virtuais da web, evitem refugiar-se numa espécie de mundo paralelo e mantenham-se autênticos, fiéis a si mesmo, sem se iludir com um perfil público.

Pois bem, eis que este ano, os jovens da Paróquia Nossa Senhora Mãe e Rainha, no Setor Jaraguá, lançam um blog (http://crisma2010mr.wordpress.com/) onde partilham textos sobre a juventude e postam debates e experiências travadas ao longo do encontro, ou seja, levaram a experiência da fé presencial ao mundo virtual.

Resta dúvida de que estão alinhados com a proposta da Igreja e em sintonia com o que propõe Bento 16?. “As novas tecnologias permitem que as pessoas se encontrem para além dos confins do espaço e das próprias culturas, inaugurando deste modo um novo mundo de potenciais amizades... [mas] é importante nunca esquecer que o contato virtual não pode, nem deve substituir o contato humano direto com as pessoas, em todos os níveis da nossa vida”, aponta o papa.

Na mensagem para o 45° Dia Mundial das Comunicações Sociais, Bento 16 fala que a transmissão de informações ganha impacto se difundida também pelas redes sociais digitais, fazendo com que a comunicação cristã se torne partilha. Orkut, Facebook e Twitter de paróquias e mesmo dos agentes de pastoral e movimentos já são uma realidade na Brasilândia e essa rede de relacionamento segue em expansão por aqui.

Diante disso, estamos no caminho certo e não precisamos de aprimoramentos? Negativo. Os agentes da Pascom na Brasilândia têm se esforçado para inserir conteúdos relacionados à Igreja na região pelas mídias sociais. Mas só isso não basta, como alerta o papa Bento 16.

“Comunicar o Evangelho através dos novos mídia significa não só inserir conteúdos declaradamente religiosos nas plataformas dos diversos meios, mas também testemunhar com coerência, no próprio perfil digital e no modo de comunicar, escolhas, preferências, juízos que sejam profundamente coerentes com o Evangelho, mesmo quando não se fala explicitamente dele”.

Eis o desafio para cada um de nós - agentes da Pascom e cristãos católicos na web: ser coerente. De nada adianta postar conteúdos religiosos em um blog ou site da paróquia, pastoral e movimento, e cinco minutos depois ir contra os dogmas da Igreja no Twitter, Facebook ou Orkut pessoal. É um desafio, claro, pois às vezes temos opiniões discordantes da Igreja, mas quem fala em nome dela precisa sempre ser cuidadoso com as palavras no mundo digital.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Acessos