quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Padre Cilto Rosembach celebra jubileu sacerdotal

Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia
a
Na noite do domingo, 15, centenas de fiéis lotaram a Paróquia São José, em Perus, para juntos celebrarem com o padre Cilto José Rosembach, que completou 25 anos de ministério sacerdotal. A missa foi presidida pelo aniversariante, padre Cilto, e concelebrada pelos padres Márcio Chen e Daniel McLaughlin, vigários paroquiais da Igreja São José, padre José Oscar Beozzo, coordenador geral do Centro Ecumênico de Serviços à Evangelização e Educação Popular (CESEEP) e demais padres do clero regional.
a
Muito emocionado, o pároco agradeceu à presença de todas as comunidades, as quais ele trabalhou e o carinho e o acolhimento dos padres, amigos e familiares vindos do Sul. No ofertório, foram levados ao altar os símbolos que marcaram a sua caminhada sacerdotal e dos trabalhos sociais desenvolvidos neste tempo. Em sua homilia, padre Cilto relembrou que a caminhada desse jubileu foi vivida com muita luta, dificuldades e desafios.
a
Nascido em 16 de julho de 1954, natural de Campo Novo (RS), em 1974 o jovem Cilto escolheu o caminho para o sacerdócio e ingressou no Seminário Diocesano de Palmas (PR).  Nesta época, trabalhou no Jornal do Povo e na Rádio Clube de Palmas. Em 1981, já na capital de São Paulo, iniciou os cursos de Filosofia e Pedagogia. Em seguida, a Teologia, e ajudou na organização das comunidades do Grajaú e favela de Heliópolis na Zona Sul.
a 
Em 10 de dezembro de 1988 na Paróquia Nossa Senhora do Sagrado Coração, em Capanema (PR), Cilto José Rosembach foi ordenado padre com o lema: “Na caminhada do povo a serviço do Reino de Deus”. Recém-ordenado, trabalhou durante cinco anos na diocese de Chapecó (SC).
a 
Em 1994, retornou às periferias de São Paulo, para trabalhar na Região Brasilândia. Foi vigário paroquial durante os anos de 1994 e 1995, na Paróquia Imaculado Coração de Maria, no Jardim Princesa; foi pároco durante nove anos, antes 1996 a 2005, na Paróquia Bom Pastor, no Jardim Carumbé; e de fevereiro de 2006 a julho de 2013, foi pároco da Paróquia Santa Rita de Cássia, na Vila Progresso, Morro Grande. Em 4 de agosto de 2013, tomou posse como pároco da Paróquia São José, em Perus.
a
Sempre ligado à comunicação, padre Cilto cursou pós-graduação em Comunicação Social, Sepac, mestrado em Comunicação e Semiótica, pela PUC-SP, curso de locução profissional em rádio. Em 1995, participou da fundação da rádio comunitária e da Associação Cantareira. Em dezembro de 1996, juntamente com uma equipe, fundou o Jornal Cantareira. Em 1997, com um grupo de educadoras populares, criou o projeto de Alfabetização de Jovens e Adultos na Brasilândia. Também é assessor da Pastoral da Comunicação (Pascom) na região e foi membro da Comissão de Comunicação e Cultura da CNBB.
a 

Entrevista à Pascom Brasilândia, padre Cilto expressou sua alegria em comemorar a data e sua gratidão a Deus por todas as realidades pastorais vividas, assim como os projetos sociais e acadêmicos realizados junto com o povo. “Celebrar hoje, com toda essa gente vinda de vários lugares, para mim é uma grande ação de graças e uma verdadeira alegria. É tempo também de renovar o compromisso e fortalecer a vocação, para cada vez mais caminhar com o povo a serviço do Reino de Deus”, encerrou. 

Um comentário:

Anônimo disse...

Parabenizo esse guerreiro por tudo que tem nos dado. Mesmo pelo pouco conhecimento que tenho deste homem de Deus, mas suas pegadas, coragem de ser o que é e lutar pelos mais carentes para mim é muito, enquanto muitos que tem boas condições de ajudar nada fazem pelos mais pobres.Obrigado amigo Cilto que lhe der muita saúde para continuar essa missão tão linda de evangelizar, amar e fazer a diferença... Cícero da Igreja caminhante. Jesus e Maria sempre em sua companhia.

Ocorreu um erro neste gadget

Acessos