sexta-feira, 3 de abril de 2009

“Eu vim de longe pra buscar o meu caminho”

A Peregrinação da Região Episcopal Brasilândia à Catedral da Sé, no domingo, 29 de março, começou cedo. Por volta das 10 da manhã, 400 pessoas partiram, a pé, do Largo do Clipper, na Freguesia do Ó, em direção à Praça do Patriarca. Ao longo do caminho, inspirados na perseverança de São Paulo Apóstolo, os fiéis refletiram os desafios cotidianos e proclamaram os valores e ideais de fé cristã.

No começo da tarde, a caminhada já ganhava as ruas do centro da cidade. Após uma breve parada em frente ao prédio da prefeitura de São Paulo – quando se deu um pequeno desentendimento com a força pública de segurança – os peregrinos rumaram para a Praça do Patriarca, onde se juntaram às outras caravanas das paróquias, movimentos e pastorais da Região Brasilândia.

Na Praça do Patriarca, os agora 3.000 participantes da Peregrinação ouviram a leitura do documento elaborado acerca das carências e dificuldades que a Região Brasilândia enfrenta devido à indiferença do poder público. O documento foi entregue aos representantes do executivo municipal que se comprometeram a analisá-lo e fazer encaminhamentos junto ao prefeito da cidade.

A caminhada da Região Brasilândia continuou pelo centro da cidade, passando por locais tradicionais como o Largo São Francisco. Faltavam 15 minutos para as quatro da tarde, quando a Catedral da Sé foi tomada pelos fiéis peregrinos. No início da celebração, o bispo regional, dom José Benedito Simão, destacou a importância do ato de peregrinação. “A Região Brasilândia sempre está em caminhada, e hoje unidos na igreja mãe, celebramos esse momento de fé e de graça. Nossa Região vem ao encontro do apóstolo São Paulo para aprender com o exemplo de fé deixado por ele”, destacou.

O Arcebispo de São Paulo, dom Odilo Pedro Scherer, elogiou o empenho dos fiéis participantes. “Quero saudá-los com muito afeto e admiração. Certamente, quem os via caminhando perguntava: ‘pra onde vai este povo? Será que vai para algum estádio?’ Mas, ao verem faixas, bandeiras, camisetas, devem ter concluído ‘não, vai para igreja!’. Isso é um testemunho público da vossa fé e algo de muito significado”, elogiou.

Durante a homilia, dom Odilo destacou a importância da peregrinação no ano Paulino, lembrou a capacidade missionária de todo cristão e reforçou a necessidade de uma justiça que promova dignidade humana. “Não nos faltam leis para observar a segurança, só que é preciso que sejam aplicadas. As leis de nada valem se não estão gravadas em nosso coração. Quem reconhece a Deus, vai sempre agir de maneira correta”, analisou.

No momento de ação de graças, houve memória da trajetória de 20 anos da Região Episcopal Brasilândia e a procissão de representantes de pastorais, movimentos e novas comunidades. No altar e em cada metro quadrado da Catedral da Sé, homens e mulheres que fazem a Igreja em nossa Região foram abençoados com a graça especial da indulgência e receberam um lembrete do arcebispo. “A Catedral da Sé está sempre aberta para vocês, que são parte dessa grande Igreja de São Paulo”.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Acessos