sexta-feira, 26 de junho de 2009

Região celebra conquistas e enxerga desafios

Em comemoração aos 20 anos da Região Episcopal Brasilândia foi realizada uma Assembléia Celebrativa, no sábado, 20 de junho, na Paróquia São José, em Perus. Cerca de 300 pessoas, entre padres, religiosos, leigos, lideranças de pastorais e movimentos puderam relembrar a história da Região e refletir sobre os desafios presentes da Igreja.

Na abertura da Assembléia, o bispo regional dom José Benedito Simão destacou a diversidade de ações desenvolvidas na Região, elogiou o trabalho dos religiosos e leigos em ações de inclusão social e de combate à injustiça social, como a oposição aos lixões e pedágios. O bispo regional também lembrou que a Igreja da Brasilândia atua na defesa da vida e da natureza. “Todos nós temos uma responsabilidade diante da obra do Senhor e da defesa da vida humana. Precisamos cuidar da natureza e ser os defensores da vida, que é a grande referência da nossa Igreja missionária neste novo mundo”, enfatizou. Dom Simão apontou que a Brasilândia trabalha alinhada às diretrizes do 10° plano de pastoral da Arquidiocese de São Paulo e com as decisões da Conferência de Aparecida.

Em seu discurso, o bispo admitiu o fracasso na abertura da Campanha da Fraternidade deste ano e exaltou a peregrinação do Ano Paulino. “Fracassamos na abertura da Campanha da Fraternidade deste ano. Fizemos tantas aberturas bonitas, sempre tinha dado certo, mas esta falhou, foi algo até ridículo. Por outro lado, a nossa peregrinação do Ano Paulino estorou a boca do balão, toda a Região esteve presente e provamos que é possível haver comunhão eclesial. Nós lotamos a Catedral da Sé e fizemos muito bonito”, avaliou.

Na Assembléia, houve ainda um relato fotográfico sobre a história dos 20 anos da Região e um momento de reflexão, motivado pelo padre Antônio Manzatto, no qual foi traçada uma identidade da Região Episcopal Brasilândia, a partir da interpretação das principais atividades realizadas e dos conflitos de idéias do prebistério e do laicato regional (Veja o conteúdo completo em “Cristãos em Notícia”).

Dom Angélico Bernardino, primeiro bispo da Região, fez o momento de exortou os presentes a viverem uma igreja mais missionária, próxima da palavra de Deus, e menos conservadora. Ele elogiou o trabalho dos grupos de CEBs e criticou as paróquias que só estão preocupadas com as melhorias de espaço físico e que não realizam ações de apoio aos mais pobres. “O templo muitas vezes é o cemitério da nossa pastoral”, enfatizou.

Próximo de completar 50 anos de sacerdócio, dom Angélico mostrou-se preocupado com o afastamento dos jovens da Igreja. “Eu vos exorto para que abramos os nossos olhos aos jovens. As nossas assembléias estão com 80% de gente com os cabelos bonitos iguais aos meus (risos). Onde estão os jovens? A juventude precisa de nossa presença viva como agentes de fé”. O religioso alertou que a Igreja precisa ser mais comunicativa, através da utilização de diversos meios de comunicação, e lamentou a baixa tiragem do jornal O São Paulo. “Precisamos valorizar o jornal O São Paulo. A tiragem de só quatro mil exemplares é uma vergonha”, sentenciou.

As atividades da Assembléia foram encerradas com a leitura do evangelho, um momento de ação de graças, com a participação de todos os setores, e a entrada da imagem de Nossa Senhora Aparecida. Dom Angélico, Dom Simão e Pe. Konrad deram, em conjunto, a benção final da Assembléia. Cada participante recebeu um terço com o logo da Região e a imagem referente à comemoração do Ano Paulino na Arquidiocese de São Paulo, além de um marca página com o histórico da Região.

“Essa é a última assembléia que participo com vocês”

Embora só tenha sido nomeado como novo bispo de Assis (SP) na última quarta-feira (24), dom José Benedito Simão já adotava um clima de despedida na Assembléia da Região, no último dia 20 de junho. “Região Brasilândia, meus parabéns por tudo que tem feito. Eu espero que nossa Região sempre progrida mais. Com toda a certeza, meus irmãos, esta é a última assembléia que eu participo com vocês. Nós estamos na luta e na caminhada e onde eu estiver meu coração estará sempre com vocês”, disse emocionado. Dom Simão foi nomeado bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo em 25 de janeiro de 2002 e em 09 de março do mesmo ano, assumiu como vigário da Região Brasilândia. Ainda não há indicações de quem será o novo bispo regional e o tema só deve ser colocado em pauta na próxima semana pela Arquidiocese de São Paulo.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Acessos