sexta-feira, 10 de julho de 2009

O estranho adiamento repentino do Muticom

por Daniel Gomes, jornalista e moderador do blog da Pascom

Os participantes do Mutirão de Comunicação da América Latina e do Caribe, Muticom, foram surpreendidos na segunda-feira, 06 de julho, com o adiamento do evento, que seria realizado entre os dias 12 e 17, do mesmo mês na cidade de Porto Alegre (RS). Os organizadores decidiram seguir a solicitação das autoridades de saúde pública do Rio Grande do Sul que recomendaram, também no dia 06, a não-realização de grandes eventos em ambientes fechados, como forma de prevenir a expansão da gripe suína, Influenza A (H1N1).

Embora o adiamento da atividade seja uma medida prudente, dado o risco eminente da expansão da gripe em um ambiente que concentraria pessoas de diversas localidades, é de se estranhar que a recomendação das autoridades de saúde gaúcha tenha sido emitida há menos de uma semana do início do evento, haja a vista que desde 25 de abril, todo o Brasil está em estado de alerta epidemiológico pela expansão da gripe suína.

O adiamento do Muticom para fevereiro de 2010 representa um duro golpe no planejamento, financeiro e de trabalhos, das entidades que enviariam participantes ao evento. A Pascom Brasilândia, por exemplo, após uma gestão de economias no primeiro semestre, no já reduzido orçamento anual, estaria representada no Mutirão pela jornalista Juçara Terezinha. Os gastos com alimentação, estadia, transportes na cidade, passagens de ônibus e inscrições ultrapassaram 900 reais. Parte desses recursos poderá ser remanejado para outras atividades, porém, em linguagem popular “perdemos dinheiro” em outros investimentos com o Mutirão.

“Entendemos que a referida transferência é um exercício de responsabilidade e manifestação de solidariedade integral com respeito à saúde e vida dos participantes e do povo de Porto Alegre. Estamos cientes dos graves prejuízos que esta determinação acarreta, em primeiro lugar aos participantes deste acontecimento continental. Também aos conferencistas, painelistas, técnicos, especialistas e, de maneira particular, aos organizadores, patrocinadores e promotores”, disse em comunicado oficial dom Dadeus Grings, Arcebispo de Porto Alegre e Presidente do Mutirão América Latina e Caribe.

Ao longo desta semana, a equipe da Pascom Brasilândia recebeu relatos de participantes que iriam ao Muticom “por conta própria” e que não conseguiram desmarcar as passagens áreas, por exemplo. A soma de prejuízos com o adiamento de última hora não se restringe às perdas financeiras e também impacta em mudanças no planejamento das discussões e no esfriamento dos debates sobre as políticas de comunicação.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Acessos