sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Seminário Regional indica caminhos pastorais na Brasilândia

Daniel Gomes, pela Pascom Brasilândia
Lideranças das comunidades e padres da Região Brasilândia reuniram-se no sábado, dia 10, na Paróquia São José, em Perus, para o seminário regional com a temática do destaque pastoral “Paróquia: comunidade de comunidades”.

Na atividade foi apresentada a tabulação do questionário “Paróquia: dize o que tu és”, respondido por 94% das paróquias, e refletidos os compromissos pastorais das paróquias a partir do tríplice múnus – Palavra, Santificação do Povo e Caridade Pastoral.

Os dados dos questionários atestaram que há boa estruturação das paróquias. A maioria possui reuniões regulares dos conselhos pastoral paroquial e dos conselhos de assuntos econômicos; os participantes das missas são majoritariamente adultos e idosos; há formações regulares sobre Bíblia, Catequese e Liturgia; e atuação frequente dos grupos de rua e de jovens e dos serviços pastorais a enfermos e pobres, embora haja pouca missionariedade aos afastados da Igreja.

Porém, houve constatações preocupantes: a maioria dos leigos tem mais de seis anos de atuação pastoral, poucas paróquias se comunicam com os fiéis pela internet (ainda predominam os murais e avisos após as missas), há pouco envolvimento com as associações de bairro e escolas, bem como na atuação ecumênica.

Também foi apontada a necessidade de participação nas questões sociais na área da saúde, educação, segurança, moradia, meio ambiente e transporte, principais demandas regionais. A partir dos dados, se propôs o fortalecimento nas paróquias e na região das pastorais de Fé e Política, Saúde, Educação e Familiar.

A evangelização dos jovens também preocupa e houve manifestação de que é preciso acolhê-los melhor, adequar linguagens às novas realidades e formar jovens cristãos comprometidos coma a sociedade e engajados nas comunidades.

Com base nas situações expostas, dom Angélico Bernardino Sândalo, bispo emérito de Blumenau (SC), destacou que o trabalho pastoral, à luz da Palavra de Deus, deve ser pautado na realidade em que a paróquia está inserida. “Paróquia alguma é uma ilha. Nós vivemos relativa dependência na interdependência”, enfatizou, alertando que não basta fazer apontamentos, é preciso sistematizá-los em um plano de pastoral, para efetivação das propostas.

Dom Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo, esteve no seminário e falou aos cerca de 150 participantes que a paróquia continua a ser a base da ação eclesial e pastoral da Igreja, mas precisa de adaptações. “As paróquias têm que se adequar às novas situações, às novas necessidades, tem que ter em conta que estamos numa cidade enorme, com uma população migrante, com uma mudança enorme de cultura, de modos de vida, de convivência e de ritmos de vida”.

Falando com base nos resultados parciais dos questionários em toda a Arquidiocese, o arcebispo expressou preocupação com a queda no número de batizados, crismas e casamentos, bem como com a quantidade de catequistas.

Na avaliação de dom Milton Kenan Junior, bispo regional, alguns dos pontos mais preocupantes dos questionários referem-se à formação dos agentes leigos, à queda da procura pelos sacramentos, além da própria condição de algumas comunidades.

“Temos que dar maior suporte às comunidades em situações mais difíceis, criar solidariedade entre as paróquias, aquelas que estão em situação mais confortável que se solidarizem com as paróquias que estão em situação bastante precária, não só em recursos financeiros, mas também em recursos humanos, de apoio, de material, acho que isso seria uma atitude bonita, fruto do destaque pastoral”, avaliou o bispo.

As lideranças da região voltam a se reunir no dia 26, das 8h30 às 17h, na Paróquia Santos Apóstolos (avenida Itaberaba, 3.907, Jardim Maracanã), para a realização da assembleia regional.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Acessos