quinta-feira, 9 de maio de 2013

Periferia noroeste terá instituto federal em 2015

Daniel Gomes, reportagem publicada no O SÃO PAULO
a
A Prefeitura de São Paulo oficializou no sábado, dia 4, a doação de um terreno na Avenida Mutinga, em Pirituba, para a construção do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), que será o primeiro equipamento de ensino superior público da região noroeste da capital.
a
O anúncio foi feito pelo prefeito Fernando Haddad, em solenidade na Paróquia São Luís Gonzaga, em Pirituba, com a participação de deputados e vereadores; de Eduardo Antonio Modena, reitor do IFSP; de lideranças locais; do clero Brasilândia; de dom Milton Kenan Júnior, bispo regional; e de dom Angélico Sândalo Bernardino, bispo emérito de Blumenau (SC).
a
Em agosto de 2011, quando era ministro da Educação, Haddad anunciou a construção do instituto, mas faltava um terreno, que somente agora foi cedido pelo município. “Temos até agosto para a elaboração do projeto, a licitação, e, depois, pelo menos 12 meses de construção. Assim, seria razoável imaginar que para 2015 teríamos o primeiro processo seletivo”, projetou o prefeito, comentando também que deseja a parceria do instituto para capacitar professores em 31 Centros de Educação Unificados (CEUs) da cidade.
a
Dom Milton classificou como histórico o anúncio da entrega do terreno e disse acreditar que o IFSP terá implicações positivas para a região noroeste, especialmente para a juventude. “No momento em que se discute a redução da maioridade penal como solução para a criminalidade, estamos aqui reunidos com o prefeito, que demonstra seu compromisso com a educação. Não se trata de criminalizar, mas de educar”.
a
Opinião similar manifestou dom Angélico. “Falam em diminuir a maioridade penal, mas já foi dito, não precisamos de cadeia para menor, precisamos de campinhos de futebol, de escola de tempo integral”, comentou, destacando o papel da mobilização popular na conquista do instituto.
a
O Movimento Pró-Universidade da Zona Noroeste, formado em 2009 por lideranças locais, foi que indicou a construção do IFSP em Pirituba, devido à localização do bairro, as características do terreno e às facilidades de transporte.
a
De acordo com o professor Marcos Manoel, que integra o movimento, o IFSP é uma conquista, mas outros equipamentos de ensino superior precisam ser instalados na região devido à quantidade de jovens e adultos a ser capacitados. Uma das prioridades é que se construa uma universidade nas dependências da extinta Fábrica de Cimento de Perus. “Temos uma expectativa muito grande de que o instituto contribua para o aperfeiçoamento da qualidade da educação básica na nossa região”, comentou em entrevista.
a
O IFSP combina equipamentos de ensino técnico em nível médio, de ensino superior em tecnologia, de licenciatura, além de ações de pesquisa e extensão universitária. Segundo o reitor, “os cursos sairão da vontade da comunidade em audiências públicas. Estamos fazendo os primeiros contatos com os vereadores e o subprefeito de Pirituba/Jaraguá para organizar as audiências”, garantiu à reportagem. As datas das audiências ainda não foram definidas. Quando estiver finalizado, o campus noroeste do IFSP terá capacidade para 1.200 estudantes.
a

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Acessos