sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Pastoral Afro celebra Consciência Negra na Brasilândia

Por Renata Moraes, pela Pascom Brasilândia 
a
Na noite de quarta-feira, 20 de novembro, a Pastoral Afro da Região Episcopal Brasilândia reuniu-se na Comunidade Santo Antônio de Taipas, para celebrar o Dia da Consciência Negra. A missa foi presidida pelo padre Valdiran Ferreira dos Santos e concelebrada pelos padres Alessandro Zanta e Luiz Augusto Stefani.
a 
Durante a procissão de entrada, os membros da pastoral trouxeram ao altar os símbolos de luta e do trabalho da comunidade negra. No ato penitencial, foram relembrados os 125 anos da Abolição da Escravatura no Brasil.
a
Na homilia, padre Luiz destacou que é preciso rememorar a história do povo e suas raízes. “Feliz é o povo que mantém viva a sua história, que reconhece a beleza e a luta dos nossos irmãos africanos.” Padre Valdiran comentou sobre a realidade dos negros na periferia. “As grandes Senzalas de nosso País são hoje as favelas, os cortiços, as Cracolândias, onde o nosso povo vive uma situação de extremo abandono.”
a
O padre lembrou, ainda, o triste número da violência contra os negros, de acordo com um estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) na terça-feira, 19: morrem assassinados 17,4 negros para cada vítima de outra cor. Em todo o Brasil, aproximadamente 39 mil negros são assassinados todos os anos, enquanto indivíduos de outra cor somam 16 mil.
a 

Em entrevista, a coordenadora da Pastoral Afro na Brasilândia, Conceição Rosa, destacou que o principal desafio é trazer mais pessoas para essa caminhada e fez um convite a todos. “A Pastoral Afro não é somente para os negros, mas para aqueles que abraçam a causa”, encerrou.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Acessos